Total de visualizações de página

sábado, 2 de março de 2013




VOCÊ SABE PORQUE DEVE SE COMPORTAR NO TRABALHO PROFISSIONALMENTE TRABALHADOR(A)????



Teoria comportamental da administração (Simon, 1947) é uma teoria aplicada à administração de empresas. A teoria comportamental (ou teoria behaviorista) da administração trouxe uma nova concepção e um novo enfoque dentro da teoria administrativa: a abordagem das ciências do comportamento (behavior sciences approach), o abandono das posições normativas e prescritivas das teorias anteriores ( teorias clássica, das relações humanas e da burocracia) e a adoção de posições explicativas e descritivas. 

A abordagem comportamental, conhecida como behaviorista, segundo Chiavenato (2003), é caracterizada por ser decorrência da Teoria das Relações Humanas. Assim, sua ênfase ainda se encontra no comportamento humano, porém, leva em consideração o contexto organizacional, de forma mais ampla, abrangendo a influência desse comportamento na organização como um todo e as perspectivas das pessoas diante das organizações. Vale ressaltar que, não se deve confundir a Teoria Behaviorista da Administração com o behaviorismo que se desenvolveu na Psicologia, a partir dos trabalhos de Watson. Apesar de serem semelhantes quanto a ênfase no comportamento humano, essas duas concepções diferem muito quanto ao tratamento de problemas comportamentais. 

A abordagem comportamental se desenvolveu por volta de 1950, nos Estados Unidos, trazendo novos conceitos e variáveis para a teoria administrativa, principalmente, devido ao desenvolvimento das ciências comportamentais, e da Psicologia organizacional. O surgimento de idéias e conclusões, que trazem uma nova perspectiva do homem, foi de extrema importância para a formação da Teoria Comportamental.

 O homem passa a ser visto como um animal dotado de necessidades que vão além do objetivo apenas financeiro, possuindo necessidades gregárias inerentes ao homem. Passa a ser visto também como um animal dotado de sistema psíquico, ou seja, possui a capacidade de organização de suas próprias percepções frente ao ambiente como um todo. O homem passa ser interpretado como um ser passivo de aprender e mudar suas atitudes. Seu comportamento é orientado para objetivos, podendo cooperar com os outros indivíduos, quando for importante para o alcance dos objetivos o esforço coletivo, ou ainda pode competir com os outros, quando ocorre uma disputa. (CHIAVENATO, 2003)
Suas características são:
  1. a ênfase nas pessoas;
  2. preocupação com o comportamento organizacional (processo de trabalho);
  3. estudo do comportamento humano (motivação humana - teoria de Maslow).
Seu ponto crítico é a relatividade: todos os indivíduos possuem as mesmas necessidades e estas são hierarquizadas.


Comportamento Organizacional

É o estudo do funcionamento e estrutura das organizações, sendo estudado o comportamento dos grupos e indivíduos e, caracterizado, portanto, como uma ciência interdisciplinar. A organização espera que o empregado obedeça a sua autoridade, a em contrapartida o empregado espera que a organização possua atitudes corretas e justas com ele. Os sociólogos referem-se a isso como “norma de reciprocidade”, enquanto os psicólogos, “contrato psicólogo”, que nada mais é que um entendimento entre indivíduo e organização, que vai além do contrato formal, ou em outras palavras, é o que ambos esperam ganhar com o contrato formal.

Relações de intercâmbio

Parte do pressuposto de que um indivíduo ao ingressar numa organização, espera que suas satisfações pessoais sejam maiores que os seus esforços pessoais. E, do outro lado, a organização espera que os esforços desse indivíduo superem os custos de tê-lo na organização. Assim, o indivíduo permanece na organização ao perceber os benefícios que traz a ela, ao exceder o custo que traz a mesma e, a organização mantém esse indivíduo ao perceber os benefícios de mantê-los como maior que os custos de mantê-los na organização.

Incentivos à cooperação

Conforme Chiavenato (2003), com o intuito de manter o clima de harmonia e cooperação dentro da organização, os funcionários costumam receber incentivos. Para que estes incentivos realmente ajudem a organização a atingir seus objetivos, é necessário que os funcionários percebam que esses estímulos são vantajosos a ponto de compensar o esforço extra e estão relacionados aos objetivos que devem ser atingidos. Os incentivos podem ou não estar relacionados ao desenvolvimento e crescimento da organização. ....

Apreciação crítica

A Teoria Comportamental, segundo Motta (1991, p. 48), é importante e definitiva, principalmente, pelo fato de seus melhores autores terem desenvolvido uma grande quantidade de pesquisas apresentadas de forma clara, tornando-se bastante conhecidas. Porém Motta (1991) ainda afirma que, mesmo não tendo muitas críticas, ela está passível de censuras. De acordo com Chiavenato (2003), os behavioristas falharam ao dividir as pessoas em “racionais e não-racionais”, “eficientes e não-eficientes”, “satisfeito e insatisfeito”, partindo, portanto, para uma espécie de “psicologização” dos problemas de relações industriais. Outra crítica apresentada, conforme Motta (1991), é que, para James Earley, as idéias dadas pela teoria comportamentalista, não buscam maximizar nada, apenas resultados satisfatório. Earley, em suas pesquisas, tirou várias conclusões que são opostas a esse pensamento. Para ele, os administradores, cada vez mais, procuram novos meios para ter lucros e redução de custos. 

A teoria comportamentalista, segundo Chiavenato (2003), errou ao padronizar os fenômenos do comportamento, desprezando as diferenças individuais de personalidade. “ela procura explicar o comportamento humano tal como os cientistas poderiam explicar ou prever os fenômenos da natureza ou o comportamento dos ratos no laboratório”. Em contraposição, Motta (1991) descreve que mesmo com deficiências, essa teoria representou um avanço para a Administração. 

Os Behavioristas mostram um novo conceito democrático e humano, baseado na equalização do poder, assim como as principais teorias de motivação para a Administração. Outro aspecto a ser considerado é o reconhecimento dos conflitos organizacionais. Os behavioristas acreditam há um conflito entre os objetivos individuais e organizacionais, que podem ser resolvidos por uma mudança no comportamento e na estrutura organizacional. Nesta teoria também é dada importância a formação de grupos de trabalho como meio eficiente de alcançar os objetivos. Como já foi dito, a Teoria Comportamental foi muito importante para o conteúdo da TGA. Ela é mais teoria de análise mais descritiva e explicativa do que prescritiva, preocupando-se mais em explicar do que formar normas, demonstrando uma dificuldade em sua aplicação. Porém, seus conteúdos são um dos mais conhecidos, representando uma grande base para as teorias administrativas.

Referências

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão abrangente da moderna administração das organizações. Revisada e atualizada. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.
MOTTA, Fernando C. P. Teoria geral da administração: uma introdução. São Paulo: Pioneira, 1991.



CURSO
VEJO VCS LÁ!!!





$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$












CULINÁRIA FÁCIL...


RECEITA: Pão de Queijo

Ingredientes

1 kg de polvilho azedo


1 colher de sopa de sal


2 copos de água fria


2 copos de leite

2 copos de óleo

2 ovos inteiros

600 g de queijo minas meia cura ralado

Mussarela ralada para salpicar (opcional)



Modo de Preparo

Em uma bacia coloque o polvilho, o sal e a 

água fria e mexa bem esta mistura com as 

mãos para dissolver bem o polvilho para não 

empelotar

Ferva o leite juntamente com o óleo e 

adicione ainda quente na mistura do polvilho

para escaldá-lo bem e com uma colher de 

pau, mexa bastante esta mistura até que 

fique bem morna

Acrescente os ovos inteiros e o queijo ralado 

e agora com as mãos, amassando bem a 

massa até que fique em ponto de enrolar as 

bolinhas

Enrole as bolinhas no tamanho desejado (se 

tiver dificuldade em enrolar com as mãos, 

pode utilizar uma colher para ajudar)

Coloque as bolinhas em uma assadeira 

grande (não precisa untar), deixando um 

espaço entre elas

Salpique por cima das bolinhas mussarela 

ralada

Levar ao forno já aquecido por cerca de 30 

minutos, retirando antes de dourar para que 

não fique duro

Informações Adicionais

Obs.: Esta receita rende bastante, cerca de 

100 pãezinhos.

Se não quiser assar todos de uma vez, a 

massa pode ser guardada na geladeira em 

pote hermeticamente fechado.


BOLO DE FUBÁ COM YOGURTE!!!
Ingredientes

3 ovos

1 lata de leite condensado

4 colheres de sopa de óleo

1 copo de iogurte natural

1 1/2 xicara de chá de fubá

1/2 xicara de chá de farinha de trigo

1 colher de sobremesa de fermento em 


Erva doce a gosto


Modo de preparo

Bater todos os ingredientes do bolo no 

liquidificador,menos a erva 

doce,acrescentando somente no final

Colocar em uma forma de sua 

preferencia untada e polvilhada com 

fubá

Levar para assar em forno preaquecido 


por 40 minutos ou até dourar

Retirar e se quiser polvilhar açúcar 

misturado com canela em pó.




Mensagem...
]



Nenhum comentário: