Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de agosto de 2010

BRASIL MULTICULTURAL - TOMANDO PÉ DO PAÌS QUE VIVEMOS!!!

CULTURA SURDA - O QUE É ISSO?!?!?
AFINAL ELES TAMBÉM FAZEM PARTE DO MERCADO DE TRABALHO INCLUSIVO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS E MUNDIAIS!!!
Os surdos, além de serem indivíduos que possuem surdez, por norma são utilizadores de uma comunicação espaço-visual, como principal meio de conhecer o mundo em substituição à audição e à fala, tendo ainda uma cultura característica.

No Brasil eles desenvolveram a LIBRAS, e em Portugal, a LGP. Já outros, por viverem isolados ou em locais onde não exista uma comunidade surda, apenas se comunicam por gestos. Existem surdos que por imposição familiar ou opção pessoal preferem utilizar a língua falada.



Progresso na cultura surda



Ao longo dos anos, as pesquisas interdisciplinares sobre surdez e sobre as línguas de sinais, realizadas no Brasil e em outros países, tem contribuído para a modificação gradual da visão dos surdos, compartilhada pela sociedade ouvinte em geral.

Esses estudos têm classificado os surdos em duas categorias:


  • Os portadores de surdez patológica, normalmente adquirida em idade adulta;

  • E aqueles cuja surdez é um traço fisiológico distintivo é totalmente ruim, a pessoa é inferior as pessoas normais, sendo assim, uma pessoa ninguém, não implicando, necessariamente, em deficiência neurológica ou mental; antes, caracterizando-os como integrantes de minorias lingüístico - culturais; este é o caso da maioria dos surdos congênitos.



O fato de integrarem um grupo lingüístico-cultural distinto da maioria lingüística do seu país de origem, equipara-os a imigrantes estrangeiros. Porém, o fato de não disporem do meio de recepção da língua oral, pela audição, coloca-os em desvantagem em relação aos imigrantes, com respeito ao aprendizado e desenvolvimento da fluência nessa língua. Essa situação justifica a necessidade da mediação dos intérpretes em um número infinito de contextos e situações do quotidiano dessas pessoas.

Devido ao bloqueio auditivo, seu domínio da língua oral nunca poderá se equiparar ao domínio da sua língua materna de sinais, ainda que faça uso da leitura labial, visto que, essa técnica o habilita, quando muito, a perceber apenas os aspectos articulatórios da fonologia da língua. Daí sua enorme necessidade da mediação do intérprete de língua de sinais.

No caso específico dos surdos brasileiros, cuja língua materna de sinais é a LIBRAS, os intérpretes que os assistem são chamados de “Intérpretes de LIBRAS”.

No Brasil, existem pelo menos duas situações em que a lei confere ao surdo o direito a intérprete de LIBRAS:

  1. Nos depoimentos e julgamentos de surdos (área penal);

  2. E no processo de inclusão de educando os surdos nas classes de ensino regular (área educacional).



Devido as constantes modificações e progresso neste campo, nas concepções de ensino de língua de sinais, atualmente, tem-se dado ênfase ao mecanismo de aprendizado visual do surdo e a sua condição bilíngüe-bicultural. Contudo, o surdo é bilíngüe-bicultural no sentido de que convive diariamente com duas línguas e culturas: sua língua materna de sinais(cultura surda) e língua oral( cultura ouvinte), ou de LIBRAS, em se tratando dos surdos brasileiros.

Deficiência auditiva
O termo deficiente auditivo tem sido largamente utilizado por profissionais ligados à educação dos surdos. O uso da expressão deficiente auditivo, já foi muito criticado refletindo uma visão médico-organicista.

Alguns fatores podem afetar o processo de aprendizagem de pessoas surdas, como por exemplo: o período em que os pais reconhecem a perda auditiva, o envolvimento dos pais na educação das crianças, os problemas físicos associados, os encaminhamentos feitos, o tipo de atendimento realizado, entre outros.

Embora os aspectos médico, individual e familiar ampliem o universo de análise sobre o fenômeno, nos chama a atenção para a necessidade de vê-los sob uma perspectiva sócio - cultural.

Todas as investigações atuais têm chamado a atenção para a multi-determinação da surdez e para a adequação do emprego do termo surdo, uma vez que é esta a expressão utilizada pelo surdo, para se referir a si mesmo e aos seus iguais. É muito importante considerar que o surdo difere do ouvinte, não apenas porque não ouve, mas porque desenvolve potencialidades psico - culturais próprias. Somos todos pessoas diferentes.

Surdo-mudo
Provavelmente a mais antiga e incorreta denominação atribuída ao surdo. O fato de uma pessoa ser surda não significa que ela seja muda. A mudez é uma outra deficiência.

Compreendendo o mundo surdo



Muitas crianças surdas que se tornam adultos surdos dizem que o que mais desejavam era poder comunicar-se com os pais.

Por anos, muitos têm avaliado mal o conhecimento pessoal dos surdos. Alguns acham que os surdos não sabem praticamente nada, porque não ouvem nada. Há pais que super protegem seus filhos surdos ou temem integrá-los no mundo dos ouvintes. Outros encaram a língua de sinais como primitiva, ou inferior, à língua falada. Não é de admirar que, com tal ignorância, alguns surdos se sintam oprimidos e incompreendidos.

Todos sentem a necessidade de ser entendidos. Aparentes inabilidades podem empanar as verdadeiras habilidades e criatividades do surdo. Em contraste, muitos surdos consideram-se “capacitados”. Comunicam-se fluentemente entre si, desenvolvem auto-estima e têm bom desempenho acadêmico, social e espiritual. Infelizmente, os maus-tratos que muitos surdos sofrem levam alguns deles a suspeitar dos ouvintes. Contudo, quando os ouvintes interessam-se sinceramente em entender a cultura surda e a língua de sinais natural, e encaram os surdos como pessoas “capacitadas”, todos se beneficiam.

Escutar com os olhos
A chave para uma boa comunicação com uma pessoa surda é o claro e apropriado contato visual. É uma necessidade, quando os surdos se comunicam. De fato, quando duas pessoas conversam em língua de sinais é considerado rude desviar o olhar e interromper o contato visual. E como captar a atenção de um surdo? Em vez de usar o nome da pessoa é melhor dar um leve toque no ombro ou no braço dela, acenar se a pessoa estiver perto, ou se estiver distante, fazer um sinal com a mão para outra pessoa chamar a atenção dela.

Língua: Conjunto do vocabulário de um idioma, e de suas regras gramaticais; idioma. Por exemplo: inglês, português, LIBRAS.



Linguagem: Capacidade que o homem e alguns animais possuem para se comunicar, expressar seus pensamentos.

Língua de Sinais: É a língua dos surdos e que possui a sua própria estrutura e gramática através do canal comunicação visual, a língua de sinais dos surdos urbanos brasileiros é a LIBRAS, em Portugal é a LGP.



Cultura Surda: Ao longo dos séculos os surdos foram formando uma cultura própria centrada principalmente em sua forma de comunicação. Em quase todas as cidades do mundo vamos encontrar associações de surdos onde eles se reúnem e convivem socialmente.

Intérprete de Língua de Sinais: Pessoa ouvinte que interpreta para os surdos uma comunicação falada usando a língua de sinais e vice-versa.

Bebês de pais surdos

.“Assim como os bebês de pais ouvintes começam a balbuciar com cerca de sete meses ... , os bebês de pais surdos começam a ‘balbuciar’ com as mãos imitando a língua de sinais dos pais”, mesmo sendo ouvintes.- Jornal londrino The Times.



A professora Laura Petitto, da Universidade McGill, em Montreal, Canadá, é da opinião de que os bebês nascem com sensibilidade a ritmos e padrões característicos a todos os idiomas, incluindo a língua de sinais. Ela disse que os bebês ouvintes que têm “pais surdos que sabem sinalizar, gesticulam de maneira diferente, seguindo um padrão rítmico específico, distinto de outros movimentos com as mãos. . . . É um balbucio, mas com as mãos”. Os bebês expostos à língua de sinais produziram dois tipos de movimento com as mãos, ao passo que os que conviviam com pais ouvintes produziram apenas um tipo. Os pesquisadores usaram um sistema de rastreamento de posição para registrar os movimentos das mãos dos bebês na idade de 6, 10 e 12 meses.

Como agir diante de um surdo



Muitas pessoas não deficientes ficam confusas quando encontram uma pessoa com deficiência. Isso é natural. Todos podem se sentir desconfortáveis diante do "diferente". Mas esse desconforto diminui e pode até mesmo desaparecer quando existem muitas oportunidades de convivência entre pessoas deficientes e não-deficientes.

Ao tratar uma pessoa deficiente como se ela não tivesse uma deficiência, estaríamos ignorando uma característica muito importante dela. Dessa forma, não estaríamos nos relacionando com ela, mas com outra pessoa, que não é real.

A deficiência existe e é preciso levá-la na sua devida consideração. Neste sentido torna-se de grande importância não subestimar as possibilidades, nem as dificuldades e vice-versa. As pessoas com deficiência têm o direito, podem e querem tomar suas próprias decisões e assumir a responsabilidade por suas escolhas.

Ter uma deficiência não faz com que uma pessoa seja melhor ou pior do que uma pessoa não deficiente, ou que esta não possa ser eficiente. Provavelmente, por causa da deficiência, essa pessoa pode ter dificuldade para realizar algumas atividades, mas por outro lado, poderá ter extrema habilidade para fazer outras coisas. Exatamente como todos.

A maioria das pessoas com deficiência não se importa de responder perguntas a respeito da sua deficiência ou sobre como ela realiza algumas tarefas. Quando alguém deseja alguma informação de uma pessoa deficiente, o correto seria dirigir-se diretamente a ela, e não a seus acompanhantes ou intérpretes. Segundo professores, intérpretes e os próprios surdos, ao se tomar alguns cuidados na comunicação com o surdo, confere-lhe o respeito ao qual ele tem direito.

Algumas dicas importantes



Não é correto dizer que alguém é surdo-mudo. Muitas pessoas surdas não falam porque não aprenderam a falar. Muitas fazem a leitura labial, e podem fazer muitos sons com a garganta, ao rir, e mesmo ao gestualizar. Além disso, sua comunicação envolve todo o seu espaço, através da expressão facial-corporal, ou seja o uso da face, mãos, e braços, visto que, a forma de expressão visual-espacial é sobretudo importante em sua língua natural

Falar de maneira clara, pronunciando bem as palavras, sem exageros, usando a velocidade normal, a não ser que ela peça para falar mais devagar.



Usar um tom normal de voz, a não ser que peçam para falar mais alto. Gritar nunca adianta.



Falar diretamente com a pessoa, não de lado ou atrás dela.



Fazer com que a boca esteja bem visível. Gesticular ou segurar algo em frente à boca torna impossível a leitura labial. Usar bigode também atrapalha.



Quando falar com uma pessoa surda, tentar ficar num lugar iluminado. Evitar ficar contra a luz (de uma janela, por exemplo), pois isso dificulta a visão do rosto.



Se souber alguma língua de sinais, tentar usá-la. Se a pessoa surda tiver dificuldade em entender, avisará. De modo geral, as tentativas são apreciadas e estimuladas.



Ser expressivo ao falar. Como as pessoas surdas não podem ouvir mudanças sutis de tom de voz, que indicam sentimentos de alegria, tristeza, sarcasmo ou seriedade, as expressões faciais, os gestos ou sinais e o movimento do corpo são excelentes indicações do que se quer dizer.



A conversar, manter sempre contato visual, se desviar o olhar, a pessoa surda pode achar que a conversa terminou.



Nem sempre a pessoa surda tem uma boa dicção. Se houver dificuldade em compreender o que ela diz, pedir para que repita. Geralmente, os surdos não se incomodam de repetir quantas vezes for preciso para que sejam entendidas.



Se for necessário, comunicar-se através de bilhetes. O importante é se comunicar. O método não é tão importante.



Quando o surdo estiver acompanhado de um intérprete, dirigir-se a ele, não ao intérprete.



Alguns preferem a comunicação escrita, alguns usam linguagem em código e outros preferem códigos próprios. Estes métodos podem ser lentos, requerem paciência e concentração.


Dependendo da situação, pode-se dar umas batidinhas no chão ou fazer piscar a luz. Esses e outros métodos apropriados de captar a atenção dão reconhecimento à experiência dos Surdos e fazem parte da cultura surda.

Para aprender bem uma língua de sinais, precisa-se pensar nessa língua. É por isso que simplesmente aprender sinais de um dicionário de língua de sinais não seria útil em ser realmente eficiente nessa língua. Muitos aprendem diretamente com os que usam a língua de sinais no seu dia-a-dia — os surdos.

Em todo o mundo, os surdos expandem seus horizontes usando uma rica língua de sinais.


Nela, o surdo é visto como portador de uma patologia localizada, uma deficiência que precisa ser tratada, para que seus efeitos sejam debelados.

Enfim, os surdos são pessoas que têm os mesmos direitos, os mesmos sentimentos, os mesmos receios, os mesmos sonhos, assim como todos. Se ocorrer alguma situação embaraçosa, uma boa dose de delicadeza, sinceridade e bom humor nunca falham.



domingo, 29 de agosto de 2010

SEM VERGONHA DE SER CHAMADO(A): "TRABALHADOR(A)"...

CONCEITUANDO...
O Termo trabalho se refere a uma atividade própria do homem. Também outros seres atuam dirigindo suas energias coordenadamente e com uma finalidade determinada. Entretanto, o trabalho propriamente dito, entendido como um processo entre a natureza e o homem, é exclusivamente humano. Neste processo, o homem se enfrenta como um poder natural, em palavras de Karl Marx, com a matéria da natureza. A diferença entre a aranha que tece a sua teia e o homem é que este realiza o seu fim na matéria. Ao final do processo do trabalho humano surge um resultado que antes do início do processo já existia na mente do homem. Trabalho, em sentido amplo, é toda a atividade humana que transforma a natureza a partir de certa matéria dada. A palavra deriva do latim "tripaliare", que significa torturar; daí a passou a idéia de sofrer ou esforçar-se e, finalmente, de trabalhar ou agir. O trabalho, em sentido econômico, é toda a atividade desenvolvida pelo homem sobre uma matéria prima, geralmente com a ajuda de instrumentos, com a finalidade de produzir bens e serviços.

Confidenciou-nos certa senhora que encontrou um método ideal para convencer seu filho de 10 anos de idade a não deixar de frequentar a escola.

Afirmou-nos ela que, toda vez que ele expressa sua intenção de não ir à aula, ela o ameaça com uma tarefa, como por exemplo, arrumar a própria cama, lavar a louça, varrer a calçada(como se ele não fosse um membro desta família e que não precisa aprender essas tarefas para eventuais usos futuros, caso ela mesma falte ou ele vá morar sozinho).

A mãe, preocupada com a assiduidade do filho à escola, certamente resolveu um problema, mas não percebeu que repassou para o filho uma ideia atávica: a de que o trabalho é uma penalidade.
Desde os tempos bíblicos, as alegorias de Adão e Eva e o paraíso perdido afirmam que Deus concedeu ao homem o trabalho como penalidade, por sua transgressão à ordem Divina.

Têm se tornado comuns notícias de juízes determinarem que certos delitos sejam pagos pelos cidadãos com trabalho comunitário.

Ora, o que deveria ser encarado como forma de reabilitação, que é verdadeiramente o intuito dos nobres juízes, é entendido pelo infrator e por muitos outros, como castigo.

Alguns sentem prazer em assistir ao trabalho do que infringiu a lei, no desejo único de poder lhe gritar: Muito bem feito. Você merece.

E, no entanto, trabalho jamais foi, nem será castigo. O trabalho constitui uma das Leis naturais, Divinas, que tem por objetivo propiciar ao homem oportunidade de progresso.

Não fosse o trabalho e o homem permaneceria na infância da Humanidade. É o trabalho, o esforço por melhorar suas condições, que lhe permitiram avançar tecnologicamente, ensejando o crescimento do intelecto, propiciando-lhe contribuir para a melhoria do próprio mundo em que vive.

Há o trabalho pelo amor ao trabalho a que se vinculam criaturas que desejam, simplesmente, cooperar nos campos da Terra.

Há o trabalho de centenas de profissionais da medicina, da psicologia e outros tantos anônimos que servem seu semelhante, visando-lhe o bem estar e o equilíbrio. São os semeadores da esperança nos canteiros da desordem emocional e psíquica.

Há o trabalho dos que buscam asserenar as tensões que tomam de assalto os corações incautos. Trabalho que ocupa a alma por inteiro, elevando o ser à condição de auxiliar da vida, propiciando-lhe experiência venturosa.

Vale a pena ajustarmo-nos ao permanente trabalho, ofertando o que dispomos, afeiçoando-nos às tarefas a fim de que contribuamos para o crescimento dessa formidável escola planetária, onde nos encontramos em missão de progresso.

Não nos esqueçamos de que, para manter a harmonia do Universo, Deus trabalha sempre, como bem nos afirmou Jesus.

REFLITAMOS SOBRE A LEI DO TRABALHO...
Há muito pranto aguardando disposição para ser detido, com o lenço da boa vontade, da fraternidade que todos podemos ofertar, num trabalho de amor.

É importante percebermos que há muitos sofrimentos a nos buscarem as possibilidades de servir.

Servindo a outrem, conseguiremos nos erguer acima da vala da reclamação, pois que teremos em mira o bem e como meta a decisão de trabalhar.

FONTE: Redação do Momento Espírita, com base nos cap. 35 e 36 do livro"Vozes do Infinito", de Espíritos diversos, psicografia de Raul Teixeira, ed. Fráter.

CULINÁRIA FÁCIL

ARROZ PRIMAVERA
Ingredientes

3 Unidade(s) Buquês grandes de brócolis japonês picados

1 Unidade(s) Cenoura pequena cortada em cubos pequenos

1/2 Xícara(s) Ervilha congelada

Lingüiça ou Salsichas ou Carne Ou Frango

1 Colher(es) de sopa óleo

1 Embalagem Sachê de tempero meu arroz knorr extra cebola

1 Xícara(s) Arroz 

2 Xícara(s) água fervente

1 Colher(es) de sopa Azeite de oliva

3 Unidade(s) Palmitos picados

1/2 Xícara(s) Milho

3 Unidade(s) Ramos de tomilho fresco

1/2 Xícara(s) Queijo-de-minas ralado no ralo grosso

Modo de Preparo

1.Em uma panela de pressão, coloque um fio de óleo e frite as carnes o alho e a cebola á gosto.

 
2.Junte o arroz e os legumes que tenha á mão.

3.Acrescente o tempero meu arroz knorr extra cebola e misture.

4.Junte a água até cobrir o arroz e os legumes.

5.Tampe a panela de pressão e espere a pressão começar e conte de 05 á 07 minutos e desligue o fogo. Seu arroz está pronto se quiser comer assim já é ótimo!!!

6.Cubra com o queijo( minas, Provolone, mussarela, ricota, prato...) ralado. Sirva em seguida.

7.Dica: utilize legumes que você já tenha em casa.

EXCELENTE SEGUNDA-FEIRA TRABALHADOR(A)!


quinta-feira, 26 de agosto de 2010

SIMPLIFICA - NÃO COMPLICA!!!

Simplicidade ou frugalidade é a ausência de artifícios, extravagâncias e excessos de ordem material, social ou psicológica.

Simplicidade Extrema

Põe de lado os estudos e não conhecerás o sofrimento. Põe de lado a erudição e afasta a sabedoria e o povo será cem vezes mais beneficiado. Põe de lado a benevolência e afasta a rectidão e o povo te pagará com dever filial e amor fraternal. Põe de lado o artifício e afasta o lucro e não haverá mais bandoleiros e ladrões. Mantém-te na simplicidade, restringe o egoísmo e refreia os desejos.

Lao-Tse, in 'Tau Te King'

Verdadeiro é Simples

O verdadeiro, o bom, o inigualável é simples e é sempre idêntico a si mesmo, seja qual for a forma sob a qual ocorre. Pelo contrário, o erro, sobre o qual sempre recairá a censura, é de uma extrema diversidade, diferente em si mesmo, em luta não apenas contra o verdadeiro e bom mas também consigo mesmo, sempre em contradição consigo próprio. É por isso que em todas as literaturas as expressões de censura hão-de ser sempre muito mais que as palavras destinadas aos louvores.

Johann Wolfgang von Goethe, in "Máximas e Reflexões"

O Gosto pela Simplicidade


Cansado às vezes do artificialismo que domina hoje em todos os géneros, enfadado com os chistes, os lances espirituosos, com as troças e com todo esse espírito que se quer colocar nas menores coisas, digo comigo mesmo: se eu pudesse encontrar um homem que não fosse espirituoso, com quem não fosse preciso sê-lo, um homem ingénuo e modesto, que falasse somente para se fazer entender e para exprimir os sentimentos do seu coração, um homem que só tivesse a razão e um pouco de naturalidade: com que ardor eu correria para descansar na sua conversa ao invés do jargão e dos epigramas do resto dos homens! Como é que acontece perder-se o gosto pela simplicidade a ponto de não mais se perceber que ele foi perdido? Não há virtudes nem prazeres que dela não retirem encantos e as suas graças mais tocantes. Existe alguma coisa de grande ou de amável quando dela a gente se afasta? Do momento que ela não é reconhecida, não é falsa a grandeza, o espírito desprezível, a razão enganadora e todos os defeitos mais hediondos?

Luc de Clapiers Vauvenargues, in 'Das Leis do Espírito'

Simplicidade e Perseverança


O que pensas que foi a vida dos homens que se conseguiram erguer acima do comum? Um combate contínuo. Se se tratar de um escritor, para escrever, uma luta contra a preguiça (que ele sente tanto como o homem comum): e isto porque o seu génio quer manifestar-se - e ele não obedece apenas ao desejo vão de se tornar célebre, mas ao apelo da sua consciência. Calem-se portanto os que trabalham com frieza: poder-se-á imaginar o que é trabalhar sob a influência da inspiração? Que medo, que hesitação sentimos em despertar esse leão adormecido, cujos rugidos fazem estremecer todo o nosso ser! Mas, voltando atrás: ser firme, simples e verdadeiro - eis o útil ensinamento de todos os momentos.


Eugène Delacroix, in 'Diário'

SIMPLICIDADE

Quando ouvimos falar de simplicidade logo nos vêm à mente pessoas despidas de adereços, lares onde se percebe a escassez de recursos financeiros e assim por diante.


Todavia, poderemos entender a simplicidade sob outro aspecto.

Nem sempre as pessoas que não se enfeitam são simples e a recíproca é verdadeira. Há pessoas que se vestem com aparente luxo mas são pessoas extremamente simples.

A singeleza está na intimidade de cada criatura. Ser simples é não opinar sobre o que desconhece.

É admitir-se capaz de cometer equívocos. É ser feliz com pouca coisa, ou com coisas simples.

Ser simples é falar com sinceridade. É deixar-se emocionar diante de pequenos fatos. É permitir que as lágrimas rolem pelo rosto quando o coração solicita.

Quem é verdadeiramente simples, percebe as grandezas da vida impressas nas coisas singelas da natureza.

Jesus foi um nobre exemplo de simplicidade. Possuidor de grandioso conhecimento em todas as áreas, soube ensinar sem arrogância. Portador das Verdades Divinas, teve o cuidado de não ofuscar as criaturas que com Ele travavam contato.

Conhecedor do Universo, utilizou-Se de coisas singelas para ensinar a Boa Nova.

Falou do grão de mostarda, do óbolo da viúva, do semeador... Todos os Seus ensinamentos foram ministrados de maneira singela e exemplificados da mesma forma.

Falou de maneira simples tanto aos doutores da Lei quanto aos iletrados. Quando teve que falar com firmeza o fez com simplicidade.

No Seu nascimento, foi acolhido pela manjedoura singela e na Sua morte a simplicidade coloriu Sua face. Lembrando esse Espírito grandioso que a Terra conheceu, vale a pena pensar um pouco a respeito da simplicidade e envidar esforços para sermos pessoas simples.

E a simplicidade consiste em ter um coração predisposto ao perdão. Em ter sempre no olhar uma chama de esperança e nos lábios um sorriso gentil. Ter palavras e gestos que traduzam nossos sentimentos, sem afetação.

E passos firmes na direção da felicidade tão desejada. Enfim, ser simples como o Criador, que nos oferece a natureza bela e exuberante a cantar a simplicidade desde a aurora até o crepúsculo.

* * *
Os homens que se fizeram notar nos diversos campos do conhecimento humano, não o fizeram com afetação e pompa.

Esses homens e mulheres, que se revelaram protótipos da beleza e do saber nas Artes, nas Ciências e na Filosofia, se engrandeceram através da simplicidade, usando as vestes da humildade.

Pensemos nisso!

FONTE: Redação do Momento Espírita

A SUA CULINÁRIA TRABALHADOR(A)

ESFIHA  DE LINGUIÇA E ESCAROLA
Ingredientes

1 Colher(es) de sopa óleo

1 Unidade(s) Dente de alho amassado

200 Grama(s) Linguiça calabresa defumada triturada

1/2 Unidade(s) Maço de escarola picada

1 Unidade(s) Cenoura pequena ralada no ralo grosso

2 Colher(es) de sopa Extrato de tomate elefante

1 Unidade(s) Tablete de fermento biológico (15 g)

1 Colher(es) de sopa Açúcar

1 Xícara(s) água morna

1/2 Xícara(s) óleo

2 Unidade(s) Tempero tok! Knorr caipira

3 Xícara(s) Farinha de trigo

1 Unidade(s) Gema

Modo de  Preparo


1.Em uma panela, aqueça o óleo em fogo médio e frite o alho e a lingüiça até dourar levemente. Acrescente a escarola, a cenoura e o extrato de tomate elefante. Refogue por 1 minuto ou até secar todo o líquido. Reserve até esfriar.


2.Em uma tigela média, esfarele o fermento, junte o açúcar e misture até ficar líquido. Acrescente a água morna, o óleo, os temperos tok! Knorr caipira esfarelados e a farinha. Amasse até que a massa fique homogênea.


3.Divida a massa em 22 porções e modele bolinhas. Achate cada bolinha, formando um círculo e coloque um pouco do recheio no centro da massa.


4.Traga a parte superior direita da massa em direção ao centro. Traga a parte superior esquerda em direção ao centro. Traga a parte inferior em direção ao centro e feche, modelando as esfihas em forma de triangular, apertando bem as bordas.


5.Coloque as esfihas em uma assadeira grande (40 x 28 cm), cubra-as e deixe que cresçam por 10 minutos.


6.Preaqueça o forno em temperatura média (180°c).


7.Pincele as esfihas com a gema e leve-as ao forno por 15 minutos ou até dourarem levemente. Sirva a seguir.


8.Dica: para o preparo de esfihas menores, para festas, corte os círculos de massa menores (6 cm de diâmetro), monte conforme indica a receita. Polvilhe a superfície com orégano seco e asse por 15 minutos ou até dourar.


9.Dica: para que as esfihas não ressequem e fiquem duras, cubra-as com um pano de prato úmido assim que saírem do forno. Deixe por 10 minutos e sirva a seguir.


10.Dica: para dar um toque diferente junte ao recheio meia colher (chá) de sementes de erva-doce

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A Irracionalidade das Queimadas

Está na Constituição: todo ato que prejudica a saúde pública e o meio ambiente é criminoso. Logo, queimada é crime. Outra irregularidade é que ela não atinge nem de longe os 20% de índice de cobertura florestal, como prevê o código.

Além de criminosa é a causa de muitos males, a começar pelos problemas de saúde. Devido ao fato delas coincidirem com a época mais seca do ano, agravam as doenças respiratórias e de pele. Fato este constatado por profissionais e estudiosos da saúde que vêm observando um considerável aumento no índice de moléstias como bronquite, asma alérgica, pneumonia e rinite.

“O problema é que a fumaça libera substâncias tóxicas que irritam os olhos e as vias aéreas. Todas as pessoas podem sentir o efeito dela, mas quem tem problemas respiratórios, como asma, deve ter mais cuidado e evitar o contato com a fumaça”, disse a coordenadora do Programa de Asma da Secretaria de Saúde do DF, Marta Guidacci.

A doutora recomenda o uso de soro fisiológico para quem estiver com o nariz irritado devido à fumaça. “As pessoas podem usar compressas de água fria ou gelada nos olhos. Mas o mais importante é tomar bastante líquido.”

Outro problema causado pela fumaça é a falta de visibilidade nas estradas. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o aumento dos focos de incêndio representa risco à segurança do trânsito. Além da falta de visibilidade, os condutores devem ficar atentos aos riscos de acidentes envolvendo animais silvestres que fogem dos incêndios e o fogo próximo às margens das rodovias.

“É preciso redobrar a atenção quando se aproximar de locais onde ainda há fumaça em decorrência das queimadas. Nesse caso, o motorista deve manter o farol aceso em luz baixa, mesmo se estiver durante o dia e diminuir a velocidade”, disse o inspetor da PRF em Cuiabá, Vanderlei Nunhoz.

Outras recomendações da PRF são manter a distância segura do veículo que está à frente e aumentar a atenção aos veículos que estão atrás. Em casos de visibilidade baixa, o motorista deve concentrar a visão em determinados pontos da via, como as faixas da lateral e central ou ainda nos sinalizadores do chão da pista.

A PRF alerta que restos de cigarros e fósforos acesos jogados pela janelas dos carros durante a viagem podem causar incêndios. Outros objetos, como vidros, potencializam a luz solar e também podem ser a causa de queimadas. A recomendação é não jogar nada pela janela do veículo, principalmente em tempo de seca.

MEIO-AMBIENTE...
Para o meio ambiente, seus efeitos também são desastrosos. No ar, lança gases tóxicos e cancerígenos, que contribuem para o Efeito Estufa, para o aquecimento da Terra e alteram o clima e o regime de chuvas. O solo é empobrecido de nutrientes, sendo retirada sua camada mais fértil e favorecendo o aparecimento de ervas daninhas. Para os pássaros e outros animais, significa a perda do local em que viviam e muitas vezes a sua morte.

Do ponto de vista energético e econômico é considerada uma irracionalidade, já que desperdiça uma enorme quantidade de energia e, por empobrecer o solo, aumenta a necessidade de adubação química. Além do mais, o país fica mal visto no mercado europeu e americano que fazem restrições aos produtos que, em qualquer fase de seu ciclo de vida, prejudicam excessivamente o meio ambiente.

Não se pode deixar de comentar também o lado social. São desumanas as condições de trabalho dos cortadores de cana queimada. Não há programas de classificação profissional ao trabalhador, que fica exposto a elevadas temperaturas, respirando cinzas, alimentando-se com uma dieta miserável e fria, sem qualquer direito social, recebendo uma remuneração indecente, sem um equipamento adequado de segurança.

QUEIMADAS AGRÍCOLAS...

As queimadas agrícolas não são sinônimo de incêndios florestais. Para entender o uso do fogo na agricultura brasileira, é necessário distinguir claramente as diferenças existentes entre queimada agrícola e incêndio florestal.

INCÊNDIO

Um fogo fora de controle, fora de hora, num local indesejado, pelo qual em geral ninguém se responsabiliza. Costuma assumir grandes proporções destruindo patrimônios públicos e privados.

QUEIMADA AGRÍCOLA

Trata-se de um fogo controlado, que ocorre numa hora e num local definido por um agricultor com um objetivo inserido num sistema de produção (controle de pragas, renovação de pastagens, preparo da área para plantio ou colheita etc.).

Quando uma queimada agrícola é realizada em condições inadequadas ou de forma inesperada, ela pode dar origem à um incêndio na área rural. Esses casos são raros se comparados ao enorme número de queimadas praticadas anualmente no Brasil. Entretanto, ocorrem com uma certa frequência em áreas de pastagens extensivas (cerrados do Centro-Oeste e áreas montanhosas no Sudeste) e podem atingir algumas áreas da Amazônia em anos particularmente secos (fenômeno do El Niño - Roraima em 1998).

DESMATAMENTO

Também o desmatamento não pode ser confundido com a queimada agrícola. A imensa maioria das queimadas ocorre em áreas que já foram desmatadas, há muitos anos. Entretanto, na região Amazônica principalmente, quase sempre que ocorre um desmatamento, ele é seguido por queimadas.

Pesquisas realizadas pela Embrapa Monitoramento por Satélite , indicam que em áreas de pequena agricultura leva-se até 8 anos para conseguir eliminar a totalidade do material lenhoso da floresta, no local desmatado para o uso agrícola (Projeto Machadinho).

Em outras palavras, se o desmatamento é frequentemente seguido de queimadas a imensa maioria delas não resultam de desmatamentos mas do uso corriqueiro do fogo nos sistemas de produção agrícola.

Seja sob a ótica ambiental, da saúde, jurídica, econômica ou social, a queimada é um ato destrutivo e precisa acabar!

A PREVENÇÃO...
O objetivo da prevenção é impedir que o fogo comece, pois o combate às chamas nem sempre tem condições de ser realizado com êxito. Mas, se iniciado, o importante é que ele não se alastre. Para isso, é preciso levar em consideração as condições da área, a conscientização do perigo das queimadas e uma eficiente fiscalização. O ser humano é o maior responsável pelos incêndios florestais, devendo ser implantado um programa permanente de educação ambiental, visando a sua conscientização sobre os prejuízos decorrentes das queimadas e a vantagem de se utilizar outras técnicas agrícolas mais modernas. A conscientização das pessoas é um importante passo a prevenção e pode ser feita nas escolas, imprensa, instituições sociais. Para isso, é importante aproveitar cada oportunidade e prejuízos causados pelo fogo.

O conhecimento do terreno através de mapas, plantas topográficas, dados climatológicos, estradas, acessos, aceiros e mananciais de água próximos irá facilitar a ação dos bombeiros e da brigada em caso de incêndio, principalmente se isso for feito fora do período chuvoso, de maio a setembro. Sinalizar o risco de incêndio pode ser feito através de cartazes, placas ou painéis em pontos estratégicos.

É importante, nos períodos críticos, que a vigilância seja feita através de torres bem equipadas e com apoio da própria população. Agindo em parceria com outras empresas reflorestadoras ou agrícolas, indústrias da região e prefeituras, os incêndios serão evitados e um eventual combate surtirá melhores resultados.

O Corpo de Bombeiros e as Brigadas Voluntárias de Combate a Incêndios Florestais devem sempre ser avisados o mais depressa possível em casos de incêndio.

É bom lembrar que o trabalho pesado deve ser deixado para pessoas capacitadas. O Corpo de Bombeiros oferece treinamento gratuito para Brigada de Incêndio. Para participar como voluntário, basta estar bem preparado fisicamente e consciente da importância dessa tarefa.

Além das parcerias com o Instituto Estadual de Florestas, IEF, Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Militar de Minas Gerais, a Cemig conta com a sua ajuda, porque o maior amigo do fogo é a falta de informação.

Fonte: www.bombeiros.mg.gov.br
 http://www.ambicenter.com.br/

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

SEJA O AGENTE DA MUDANÇA QUE DESEJA FAZER EM SUA VIDA TRABALHADOR(A)!!!

A mudança possui duas faces:
1ª) É o desejo pelo novo - que sempre existe(mesmo nas pessoas pessimistas que dizem que não existem), porém muitas vezes o desejo de mudar não é forte o suficiente para vencer a resistência.
2ª) A Resistência dos Hábitos Velhos/Adquiridos - que frequentemente tenta sufocar o desejo d mudar. Quando tentamos implantar mudanças, a face da resistência sempre aparece firme e forte na tentativa de defender o estado anteiro das coisas. Temos dificuldade de abandonar noss zona de conforto e enfrentar os aspectos desconhecidos trazidos pela mudança requerida.

MUDAR EXIGE ESFORÇO, DISCIPLINA E CORAGEM!

A mudança só será implantada se formos persistentes o suficiente para criar novos hábitos.

MUDAR É UM PROCESSO, NÃO APENAS UMA DECISÃO!

Mudanças podem ocorrer por dois caminhos: NECESSIDADE OU INICIATIVA!
Por NECESSIDADEcostuma ser doloroso e incômodo;
Por INICIATIVA é automotivador e planejado - então melhor acolhido e executado!
Para ser o agente de sua própria mudança, considere:

  1. MUDANÇAS SE CONQUISTAM NÃO SE IMPÕE;

  2. OS MAIS SÁBIOS MUDAM ANTES DOS PROBLEMAS APARECEREM/ECLODIREM SÃO VISINÁRIOS E MUDAM MAIS CEDO;

  3. É PRECISO OFERECER CONDIÇÕES PARA TORNAR A MUDANÇA MENOS TRAUMÁTICA E MAIS EFETIVA;

  4. INEVITÁVEL QUE ESTA MUDANÇA NÃO TRAUMATIZE ALGUÉM OU ALGUÉNS NO CENÁRIO EM QUE OCORRA;

  5. MUDAR É UM PROCESSO INTELIGENTE E POR ISSO É PRECISO INTELIGÊNCIA PARA EFETUAR A MUDANÇA SEM DANOS ADICIONAIS OU SOBRECARGA;

  6. SÓ PODEMOS ESTAR EM DUAS POSIÇÕES COM RELAÇÃO Á MUDANÇA: CONDUZINDO-A DE FORMA ORGANIZADA E CONSCIENTE, OU SENDO ARRASTADOS POR ELA. DÊ PREFERENCIA Á 1ª E SEJA AGENTE DA MUDANÇA ALMEIJADA.
Reflita sobre os benefícios que a mudança oferece. As possibilidades em nossa vida aumentam ou diminuem na proporção de nossa coragem em mudar.

NÃO RESISTA, SEJA PARCEIRO(A) DA MUDANÇA QUANDO ESTA FOR DE ARRASTAMENTO OU INEVITÁVEL, AFINAL ELA É UM CONVITE(MESMO QUE INESPERADO) À EVOLUÇÃO!
Deus está presente e pode mudar o seu dia, pode mudar a sua vida e fazê-la definitivamente diferente. Ou não é isso que a Palavra nos diz:
 “…conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” – Efésios 3: 19 e 20.

LEMBRETE:

TENHA UM EXCELENTE FINAL DE SEMANA TRABALHADOR(A)!
  

terça-feira, 17 de agosto de 2010

ENTENDENDO A SEXUALIDADE FEMININA PARA UMA VIDA SEXUAL SAUDÀVEL!!!

ATENÇÃO: ESTE CONTEÚDO POSSUI TEOR SEXUAL E É IMPRÓPRIO PARA MENORES DE 18 ANOS.

                             
No meio da conversa, com a maior naturalidade, tem quem diga que vê estrelas só com carícias nos seios. A amiga ou o amigo ao lado jura gozar enquanto faz sexo oral no parceiro. É quando a outro(a) diz que não precisa nem tirar a roupa para chegar lá. Para você não é tão simples assim? Saiba que você está com a maioria. Talvez por isso tenham criado o Dia do Orgasmo (31 de julho). Para levantar a bandeira de que, sim, é um direito nosso (e deles, é claro) derreter de prazer.

Para você entrar no clima, listamos oito formas eficazes que vão te ajudar a atingir o, oh, orgasmo.

VEJA AQUI 8 FORMAS DE ATINGIR O ORGASMO
1- INVISTA NAS PRELIMINARES - É fisicamente comprovado que a mulher precisa de mais tempo que o homem para se excitar e chegar ao orgasmo. “A resposta fisiológica feminina é diferente da masculina e o processo para chegar a um estado físico de excitação tem um tempo maior”, explica o psicólogo e pesquisador do Instituto Paulista de Sexualidade, Diego Henrique Viviani. Investir nas preliminares é uma boa idéia, como comprova o usuário do Bolsa Tuneca, 51 anos: “Deixo-a bastante excitada e utilizo alguns brinquedos que favorecem os estímulos. Ela chega a ter orgasmos múltiplos”. Ele toca nos pontos mais sensíveis do corpo da mulher através do direcionamento dela. “Sexo oral e carícias são excelentes. Usar vibradores clitorianos é ótimo. O homem goza rápido, mas o meu maior prazer é vê-la estremecer várias vezes. Não tenham pressa: pode demorar, mas quando o orgasmo chega é divino”, assegura.
2-FIQUE POR CIMA - Entre as mulheres que têm orgasmo durante a penetração, a maioria o atinge com mais facilidade quando está por cima. Nessa posição, a mulher é dona da situação e comanda os movimentos até o clímax. A usuária Isis 66 mostra o caminho: “Consegui orgasmos vaginais indescritíveis uma vez de pé e outra no chão - eu por cima, claro! Nessa posição, o clitóris tem um contato maior com o corpo do seu parceiro e fica mais fácil ter orgasmos, controlando a velocidade e a sensibilidade nas partes que você desejar”. Para quem nunca conseguiu gozar na penetração, ela dá mais uma dica: “Se puder coloque um travesseiro embaixo de seu parceiro para dar um apoio maior e uma penetração mais profunda! Cavalgue!”.
3-DEPILE-SE EM VOLTA DO CLITÓRIS - Vanessa de Oliveira é ex-garota de programa. Ela lançou vários livros nos quais dá suas dicas para facilitar o orgasmo. Uma delas tem a ver com depilação. “Quanto mais a área estiver exposta ao contato, melhor. O clitóris é a principal alavanca do orgasmo. Se possível, faça uma depilação completa do clitóris para baixo e isso inclui a região anal. Quanto mais lisa estiver a superfície, mais sensível ao toque e ao roçar ela será”. Vanessa lembra que a depilação pode ser dolorosa mas os resultados valem a pena não só por questões estéticas mas pelo prazer.
4-FOQUE NO ORGASMO - Tem gente que quando está na cama com o eleito, em vez de se concentrar no que está fazendo, pensa em um monte de besteiras: se está gorda, se o parceiro está gostando, se ele vai ligar no dia seguinte, se os vizinhos estão ouvindo, se, se, se. Desse jeito, não há orgasmo que se apresente. Para a usuária do Bolsa Máxima D., não ter vergonha de gostar de sexo é essencial para chegar ao orgasmo. “É fundamental não ter tabus e ficar totalmente desinibida, esquecer do mundo, curtir o momento, se deliciar com cada sensação, falar o que vier a cabeça”, diz ela que, depois de se dar conta disso, passou a chegar lá com muito mais facilidade.
5-DIGA A ELE COMO VOCÊ GOSTA - Como dizem por aí, homem tem botão liga/desliga, mulher tem painel de controle. Facilite a sua vida e a dele dizendo com todas as letras onde e como você gosta. A usuária da rede social do Bolsa de Mulher Ale Ferraz defende a masturbação para se descobrir. “Quando a mulher se toca, ela aprende como chegar lá. Dê as dicas para o seu companheiro, que vai fazer do jeito que você quer”, diz. O psicólogo e pesquisador do Instituto Paulista de Sexualidade, Diego Henrique Viviani, assina embaixo: “Este processo pode facilitar o contato sexual, uma vez que esta mulher sabe o que gosta, como gosta e quando gosta”, afirma, explicando que quando pensamos em sexo, parece que é algo “instintivo”, mas não é bem assim. “O sexo é aprendido e precisa ser conversado”, defende.
6-MASTURBE-SE NA HORA H - A transa está sensacional, mas o orgasmo não vem? Que tal dar uma mãozinha? Estamos falando sobre se tocar durante a penetração, como explica Vanessa de Oliveira, no livro “100 segredos de uma garota de programa”. “Não se envergonhe. Masturbe-se enquanto está, por exemplo, de quatro. Qual é o problema? Você inclusive se surpreenderá com o fato de seu parceiro gostar de vê-la se masturbando ao mesmo tempo em que a penetra”, afirma Vanessa de Oliveira. Foto: Vibrador Lelo INA, da A2Ella
7-TENTE O ANAL - Há relatos de mulheres que chegam ao orgasmo através do sexo anal. Para algumas, a situação é o mais excitante. Para outras, os estímulos no entorno são fundamentais. O jeito é tentar até descobrir como é melhor para você. Paolla Sanfins, usuária da rede social do Bolsa, se diz adepta da prática que lhe proporciona orgasmos indescritíveis. “Na primeira vez, a sensação não é muito boa, mas depois, minha filha, você vai querer sempre!”, garante Paolla, lembrando que é preciso relaxar. “Eu não conseguia ter orgasmo anal de tão nervosa que eu ficava. Mas depois aprendi a controlar a situação e digo que o orgasmo anal é muito mais intenso”, garante.
8-RECORRA À DUCHA HIGIÊNICA - Você está com o maior tesão, mas não consegue chegar até o fim? Uma saída pode ser a boa e velha ducha higiênica. Pelo menos é o que diz Vanessa de Oliveira. “Direcione o jato d’água para o clitóris e experimente-o em vários ângulos, bem como as diferenças de pressão da água. Quanto mais forte a água tocar, mais fácil será”, diz ela.


Créditos: Vanessa de Oliveira

Segundo o Psicólogo e Pesquisador do Instituto Paulista de Sexualidade, Diego Henrique Viviani, grande parte das mulheres não se permite sentir orgasmo. "Falar de sexualidade feminina sempre é muito permeado por crenças e mitos
E por Milênios não incentivada ou proibida pela sociedade de expressar sua sexualidade, coisa permitida só aos homens, as mulheres ficaram segregadas a apenas serem personagem passivo focada em ter filhos e servir aos homens e sua animalidade sexual. inumeras mulheres foram estupradas eem suas "luas de mel" por homens animalizados e focados apenas de que as mulheres eram sua 'propriedade' e deviam 'servi-los' como lhes fora ensinado!!!
Quem perde com isso tudo?!?!? todos os lados, afinal as traições femininas são históricas e os escanda-los registrados nos anais dos museus e retrados em livros. Normalmente a mulher não aprende a se tocar( e seus parceiros não as ensinam!), a se perceber enquanto ser sexual", afirma Diego, salientando que isso pode prejudicar a vivência de uma sexualidade saudável.

São muitos os fatores que podem influenciar no fato de a mulher atingir ou não o orgasmos. "O sexo é permeado de condições emocionais que facilitam o processo: o bem estar, uma relação conjugal de qualidade, amor, carinho, afeto, tudo isso facilita o processo de excitação", explica o psicólogo, sublinhando a importância de que a mulher tenha consciência corporal, saiba utilizar os seus sentidos a favor de sua excitação e do seu prazer sexual.

Complicada e perfeitinha

O que é tiro e queda para uma mulher, para outra é nada feito. "Não existe uma maneira unânime de excitação sexual feminina ou masculina. Portanto quando cada um da parceria sabe o que lhe é confortável e isso é comunicado e compreendido pelo casal, quando há respeito e cumplicidade, o processo tende a melhorar e facilitar que cada um saiba o que fazer para que o outro sinta-se melhor e tenha a possibilidade de prazer no encontro sexual", conclui.
*Fato é que na atualidade do mundo globalizado e tantas mudanças hodiernas, a mulher tem revelado sua explendida sexualidade reprimida por milênios de uma forma muitas vezes observada ou apontada como vulgar pela mídia mundial, porém cabe-nos uma reflexão de que o quadro sexual feminino que eclode neste século XXI, e que tem assustado e intimidado aos homens, que até então tinham o controle das relações amorosas, de maneira até dominante, pensando que eram proprietários de suas mulheres, veêm-se a braços com a nova realidade, ante a sexualidade feminina exposta- das alcovas para a rua- num  1°. momento com prazer e no 2° momento com medo, afinal como eles(homens) poderão confiar nestas mulheres do século XXI para serem suas esposas e mães de seus filhos, companheiras para partilhar seus mais íntimos pensamentos?!?!?!? É...o momento exige mais acurado olhar sobre a transição evolutiva das espécies em questão! As mudanças são inevitáveis e as adequações equacionadas para o equilíbrio destas são urgentes!!! Tenham uma excelente semana TRABALHADORES!!! 
Lilian Saturnino Da Silva - Trainne/Docente/Palestrante. - Contato Pelo Fone (69) 9963-0188 e E-mail - lilianss9@hotmail.com

ARROZ COM PARMESÃO E BANANA DA TERRA

Ingredientes



1 e 1/2 Colher(es) de sopa óleo



1 Unidade(s) Banana da terra grande cortada em fatias finas



1 Xícara(s) Arroz



1 Unidade(s) Sache de knorr meu arroz sabor tradicional



2 Xícara(s) água fervente



4 Colher(es) de sopa Queijo parmesão ralado



1 Colher(es) de chá Cheiro-verde picado



MODO DE PREPARO
1.Em uma frigideira grande ( 18 cm de diâmetro) aqueça meia colher (chá) de óleo em fogo médio e doure a banana. Reserve.



2.Em uma panela média, aqueça o restante do óleo e refogue o arroz. Acrescente o sache do knorr meu arroz sabor tradicional e mexa por 1 minuto.



3.Adicione a água e cozinhe em fogo médio com a panela parcialmente tampada por 10 minutos. Abaixe o fogo e cozinhe por mais 5 minutos ou até secar. Retire do fogo, tampe a panela e reserve por 5 minutos.



4.Coloque em uma travessa, cubra com a banana reservada e polvilhe o parmesão e o cheiro-verde. Sirva em seguida.



5.Dica: se preferir misture metade do queijo com no arroz e polvilhe o restante.

METENDO A COLHER...
O QUE SÃO SIMPATIAS!?!?!?
Simpatias são sentimentos suaves, afinidades, uma forma de conseguirmos a realização de nossos sonhos e desejos. As principais características para o êxito de uma simpatia são: fé, persistência, merecimentos, necessidades.



Simpatia para arrumar marido aos 40

Você deve assistir a 7 missas em uma igreja de Santo Antônio, aos domingos, oferecendo as 7 para Nossa Senhora Mãe de Jesus em intenção á realização de seu pedido. Depois, é só aguardar o pretendente.

POEMA DO DIA