Total de visualizações de página

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

BOMM DIAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!

AGRADECEMOS A PARTICIPAÇÃO DE TODO(A)S QUE COMPARECERAM E ABRILHANTARAM NOSSO EVENTO EM PROL DO DIA DO TÉCNICO EM SEGURANÇA NO TRABALHO NO AUDITÓRIO DA IFRO!!!
*$UCE$$O TOTAL!!!*
*OBRIGADO*

DIA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS!!!
QUE ELA PROTEJA TODO(A)S TÉCNICOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO!!!








A IMPORTÂNCIA DA SEGURANÇA NO TRABALHO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Importância


A Indústria da Construção Civil é uma atividade econômica que 
envolve tradicionais estruturas sociais, culturais e políticas. É 
nacionalmente caracterizada por apresentar um elevado índice de 
acidentes de trabalho, e está em segundo lugar na freqüência de 
acidentes registrados em todo o país. Esse perfil pode ser traduzido 
como gerador de inúmeras perdas de recursos humanos e 
financeiros no setor.

Os acidentes de trabalho têm sido freqüentemente associados a 
patrões negligentes que oferecem condições de trabalho inseguras e 
a empregados displicentes que cometem atos inseguros. No entanto, 
sabe-se que as causas dos acidentes de trabalho, normalmente, não 
correspondem a essa associação, mas sim às condições ambientais a 
que estão expostos os trabalhadores e ao seu aspecto psicológico, 
envolvendo fatores humanos, e sinistros.


Normas e Regulamentos

A segurança e a saúde do trabalho na área da construção civil baseiam-se em normas regulamentadoras descritas na Portaria 3214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
Entre essas normas, a NR-18 estabelece diretrizes administrativas, de planejamento e de organização para implementar medidas de controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas condições e no meio ambiente de trabalho na indústria da construção, além de determinar a elaboração do Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção (Pcmat).
A elaboração e o cumprimento do Pcmat são obrigatórios em estabelecimentos com 20 ou mais trabalhadores. As empresas que possuem menos de 20 trabalhadores ficam obrigadas a elaborar o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).


















Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na 
Indústria da Construção (Pcmat):

Em ambientes coletivos de canteiro de obras, a NR 18 determina 
alguns itens que devem ser respeitados para garantir boas condições 
de trabalho para os funcionários, como Banheiros; Vestiários; 
Refeições;
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA):

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais deve conter alguns 
aspectos da Norma Regulamentadora (NR-4, NR-5, NR-6, NR-7 e 
NR-9).

  • NR-4: rege os Serviços Especializados em Engenharia de 
  • Segurança e em Medicina do Trabalho.

  • NR-5: diz respeito à criação da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, CIPA, para segurança e saúde do trabalhador no ambiente de trabalho. Todas as empresas que possuam empregados com atividades em um canteiro de obras devem possuir CIPA.A comissão CIPA pode ser formada de várias maneiras. São elas:
1. CIPA centralizada: quando a empresa possui num mesmo município um ou mais canteiros de obras ou frentes de trabalho com menos de setenta empregados.
2. CIPA por canteiro: quando a empresa possui um ou mais canteiros ou frentes de trabalho com setenta ou mais empregados.
3. CIPA provisória: para o caso de canteiro cuja duração de atividades com menos de 180 dias
  • NR-6: dita sobre Equipamentos de Proteção Individual, sua importância para neutralizar possíveis acidentes contra o corpo do trabalhador, evitar lesões ou minimiza a gravidade delas, além de proteger o corpo contra os efeitos de substâncias tóxicas, alérgicas ou agressivas, que causam doenças ocupacionais.
  • NR-7: diz respeito ao Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, que torna obrigatório a elaboração e implementação de Programa de Controle, por parte de todos os empregadores e instituições, para promoção e preservação da saúde dos trabalhadores.
  • NR-9: Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, que busca a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e controle dos riscos ambientais (agentes físicos, químicos e biológicos) do ambiente de trabalho.

Dados Alarmantes


Na Indústria da Construção ocorre alta incidência de acidentes de 
trabalho e particularmente dos acidentes graves e fatais. No Brasil, 
mantém elevados índices de ocorrências, perdendo apenas para o 
setor rural.

O número de acidentes de trabalho em todo o país cresceu entre 
2004 e 2006, passando de 465.700 para 503.890. Os dados 
referentes à construção civil ficaram nesse mesmo período, em 
28.875 e 31.529, respectivamente. O percentual de acidentes no 
setor para os dois anos é o mesmo, 6,2%. Em 2005, de um total de 
499.680 ocorrências no Brasil, 29.228 (5,8%) foram na construção 
civil. No mundo inteiro, a maior causa de acidentes fatais na 
construção é a queda de trabalhadores e também de material sobre 
os funcionários. O segundo fator são os choques elétricos e o 
terceiro, soterramentos.
Apesar de as estatísticas nos mostrarem indicadores úteis para a 
avaliação do estado atual dos acidentes e mortes por trabalho, o seu 
valor é por vezes relativo. É necessário, sem dúvida, inspecionar e 
processar quem não cumpre a legislação vigente, mas é também 
necessário prevenir e informar – levar a cabo algum tipo de ação 
punitiva sem que tenha havido uma prevenção ou (in)formação 
prévia leva a que haja maior número de infrações, o que se revela 
ainda mais penalizador para as empresas e, também, para os 
próprios trabalhadores. Mas a responsabilidade não é apenas dos 
empregadores, passa também pelos trabalhadores, pelo Governo e 
pelos parceiros sociais. Os empregadores deveriam garantir boas 
condições de trabalho a todos os seus colaboradores, cumprindo a 
legislação em vigor, formando os trabalhadores e colocando à sua 
disposição os equipamentos e meios necessários para que pudessem 
desempenhar as suas funções em segurança. Os próprios 
trabalhadores, ao não terem essas boas condições de trabalho 
deveriam exigi-las, tarefa em que os parceiros sociais os deveriam 
auxiliar.

CONTATE-NOS PARA ORÇAMENTOS EM: 

$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$
PRESENTES CASEIROS DE NATAL!!!
HOMEMADE!!!


AMARULAS

Marcadores de livros
MARCADORES DE PÁGINAS!!!
ESFOLIANTE CASEIRO!!!
QUEIJO COM TOMILHO E PIMENTAS:

NOZES OU CASTANHAS
Merry Christmas Pictures

CULINÁRIA FÁCIL...
OVOS
Para saber se os ovos estão fresquinhos,mergulhe-os dentro da água. Se boiarem pode jogar fora, se afundarem está bom pro consumo.
CORDEIRO ASSADO COM BATATAS
INGREDIENTES:

2 colheres (sopa) azeite de oliva

3 colheres (sopa) manteiga

½ colher (sopa) tomilho

1 pernil de cordeiro

500g de batata bolinha

1 lata de cerveja clara

Sal e pimenta a gosto

6 dentes de alho

7 fatias de bacon

Modo de preparo

Coloque o pernil de cordeiro numa tigela, tempere com a cerveja, o 
tomilho, sal e pimenta.

Cubra e deixe descansar 2 horas.

Preaqueça o forno em temperatura alta.

Escorra a carne e reserve os temperos.

Coloque numa tábua de cozinha e abra com uma faca afiada.

Cubra a carne com as fatias de bacon, enrole e amarre com 

barbante.

Prenda os ramos de tomilho entre o barbante.

Coloque a carne numa assadeira e unte com a manteiga.

Leve ao forno preaquecido e asse por cerca de 10 minutos.

Reduza a temperatura do forno para média, regue a carne com os 
temperos reservados e asse por cerca de 20 minutos, banhando 
sempre com o molho da assadeira.

Enquanto isso, cozinhe as batatas e os dentes de alho em água 
levemente temperada com sal até as batatas ficarem al dente.

Tire do fogo e escorra.

Descasque os alhos, junte o azeite de oliva, tempere com sal e 
pimenta a gosto, e amasse muito bem.

Tempere as batatas com a mistura de alho.
ESTRELA DE CANELA
INGREDIENTES:
2 claras

1 1/4 xícara (chá) de açúcar

1 1/2 xícara (chá) de amêndoas moídas

1 1/2 colher (sopa) de canela em pó

2 colheres (sopa) de farinha de trigo (para polvilhar)

2 colheres (sopa) de açúcar (para polvilhar)

1 xícara (chá) de açúcar de confeiteiro (peneire antes de medir)

2 colheres (sopa) de água


Modo de preparo


Bata as claras em neve, em velocidade baixa, até obter picos 

moles.


Aos poucos, adicione o açúcar e continue batendo até as claras 

ficarem com picos firmes.


Reserve.


Em uma tigela média, misture as amêndoas com a canela e 

acrescente às claras.


Misture bem, cubra a tigela e leve para gelar de um dia para o 

outro.


No dia seguinte, divida a massa ao meio e abra uma metade 

sobre um pano, polvilhado com a farinha e o açúcar, em uma 

espessura fina, de 5 mm.


Corte com o cortador de biscoitos em forma de estrela e vá 

colocando-os numa assadeira untada.


Repita a operação com a massa restante.

Deixe os biscoitos na assadeira, sem cobrir, por 2 horas, em 

temperatura ambiente.

Leve para assar em forno baixo à 150ºC, pré aquecido, por 20 

minutos.


Enquanto isso, misture o açúcar de confeteiro com a água até 

ficar liso.

Retire os biscoitos do forno e pincele-os com essa mistura.

Volte ao forno e asse por mais 5 minutos (não se preocupe com 

a cobertura, que escorre um pouco).


Retire do forno e deixe esfriar ligeiramente.

Tire da assadeira e deixe esfriar bem.

Guarde em latas bem fechadas.

Rendimento: 40 unidades 



MENSAGEM...