Total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de junho de 2012





Falta de Segurança do Trabalho na Construção Civil é preocupante...


Com o aquecimento da economia, o setor econômico da Construção Civil foi o que mais cresceu no Brasil. Em todas as cidades do Brasil apareceram canteiros de obras por todos os lados. 

Obras de infraestrutura tais como: construção de estradas, estações de tratamento de água e esgoto, sistemas de transporte e obras residenciais são vistas por todos os lados. 

A multiplicação das obras não foi acompanhada pelo numero de fiscais do MTE e a falta de segurança neste setor aumentou  exponencialmente.



A terceirização de varias atividades e a distância entre os setores de projeto e execução fazem com que a segurança do trabalho não seja contemplada ainda em projeto e tenha que ser por vezes adaptada na fase de execução. 

Alem disso a falta descontrole  na fase de execução abre espaço para erros de engenharia pois o que é feito não respeita o projeto. 

Por fim a pressa, a falta de planejamento e a cultura do improviso transformam um ambiente hostil que é o ambiente de obras civis em uma fabrica de acidentes do trabalho. 

Normas técnicas e de segurança do trabalho não faltam o que falta é uma cobrança mais dura de sua aplicação.


ROTAS DE FUGA – UM PERIGO PARA OS PRÉDIOS ALTOS...



Rotas de fuga são o caminho que um individuo deve percorrer de seu posto de trabalho até a  rua em caso de emergência. Este é um grande problema nos grandes prédios. 

Com a escassez de locais para a construção de prédios nos centros e locais privilegiados das grandes cidades, a construção de prédios com mais de dez andares tem sido rotina para as edificações de uso comercial.

 Grandes edifícios com dezenas de salas comerciais, projetados com toda tecnologia de prevenção de incêndio existente. Até aí não há problemas só soluções

O problema começa quando há instalação de grandes call centers no prédio com cem ou duzentos colaboradores em um único andar. Como evacuar um prédio com essas características quando o mesmo possui apenas uma escada enclausurada e suas dimensões são as mínimas exigidas pelo código de obras da cidade

Até o momento não se tem noticia de um desastre desta magnitude, porém com o aumento de empreendimentos nestas condições aumenta proporcionalmente este risco. Este é um risco a se pensar na solução, antes que aconteçam tragédias de grandes dimensões. 

Seria no mínimo razoável que os prédios altos que abrigassem grande número de pessoas em um pavimento tivessem caracteristicas especiais como mais de uma escada e escadas com maior capacidade para a saída de pessoas em caso de emergência.
FONTE: Giovani TST - Editor do Blog Segurança do Trabalho no Brasil





$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$
COLARES CU$TOMIZADO$


CULINÁRIA FÁCIL...


...

Cuzcuz é uma comida que o cardápio brasileiro 

herdou dos indígenas que povoavam esta terra e 

ainda povoam - de vez em quando a gente topa com 

um deles, principalmente na região norte do país. 

É uma espécie de bolo, feito com flocos de milho 

cozido ou de arroz, que pode ser combinado a várias 

outras coisas, como coco, queijo, carne de sol, 

salsicha, etc, sem deixar de mencionar o leite, 

óbvio!


O cuzcuz é feito com a farinha de milho pré cozida ( meio pacotinho dos que vende no mercado é suficiente para 3 pessoas que comem moderadamente ), água ou leite de coco ( que pode ser o light para diminuir a gordura ) e sal. Misture à farinha, algumas pitadas de sal e um copo americano de água, ou meio de água e meio vidrinho de leite de côco, se ainda achar muito seco, ponha mais meio copo de água, pois precisa estar úmida. E leve à cuzcuzeira por 5 a 8 minutos. Pronto, podemos comê-lo com manteiga, ou tahine com missô, ou patês, ou com o tofu mexido…


SAGU AO LEITE


.1 litro de leite desnatado

. 4 colheres (sopa) de açúcar

. 1 xícara (chá) de sagu
. Canela em pau e em pó a gosto

Modo de preparo:

Misture o leite com o açúcar. Junte o sagu e a canela em pó e mexa devagar. Despeje em um refratário e leve ao forno médio, preaquecido, mexendo de vez em quando enquanto cozinha. Deixe no forno até o sagu ficar macio. Retire e deixe esfriar. Decore com canela em pau e, se desejar, polvilhe a canela em pó.

MENSAGEM...

quarta-feira, 27 de junho de 2012


O que fazer quando os acidentes de trabalho começam a ser constantes na empresa

Previdência social a partir da legislação art. 10 da Lei 10.666/2003; que institui o FAP (Fator Acidentario de Prevenção), ou seja a possibilidade de majoração da tarifa paga pelas empresas de acordo com o CNAE (Classificação Nacional de Atividade Economica); fará com que as empresas tenham  um custo maior se tiverem mais acidentes. 


A empresa muitas vezes não sabe o que fazer para diminuir ou evitar acidentes. muitas vezes são adotados procedimentos que parecem servir para tudo tais como EPI etreinamento. Estes procedimentos são importantes porem destaco que deveriam estar encadeados em ema sequencia lógica e combinados com outros procedimentos. 

Cada caso é um caso a ser analisado e não há uma solução geral que funcione sempre. A elaboração de um projeto de prevenção de acidentes integrado a gestão de Segurança do Trabalho de cada empresa seria uma condição ideal.  

O maior problema neste sentido é que nem todas as empresas disponibilizam ou tem recursos suficientes para tal nivel de organização na área de Segurança do Trabalho. 

Muitas delas não possuem enquadramento para que tenham um profissional de Segurança do Trabalho trabalhando dentro da empresa mas possuem riscos que muitas vezes se encontram fora de controle.

Destaco um pequeno roteiro a ser cumprido, porém lembro que deve ter o acompanhamento de um profissional de Segurança do Trabalho:

1- Sempre que acontecem acidentes os mesmos devem ser investigados mesmo que não causem lesões ou prejuízos materiais. A analise das proteções coletivas e de maquinas é fundamental nesta fase. O objetivo desta investigação deve ser conhecer as causas do acidente e propor soluções;
2- A investigação do acidente deve gerar um relatório com soluções possíveis para o controle das causas do acidente e um cronograma de implantação destas soluções;
3- Devem ser avaliados se os Equipamentos de Proteção Individual do setor estão realmente adequados para controlar os riscos do setor. Se preciso devem ser substituidos imediatamente;
4- Tendo os equipamentos adequados os funcionarios devem ser treinados sobre as praticas seguras a serem adotadas no ambiente de produção;
5- Deve haver uma conscientização continua sobre as praticas seguras e um monitoramento de seu cumprimento caso contrário não terá valor nenhum o esforço de empresa até esta etapa;
6- Deve ocorrer um  monitoramento periodico da empresa levantando causas que possam gerar acidentes e sempre que necessário voltar a etapa 2 do roteiro e atuar de forma preventiva. 

       A empresa deve sempre se antecipar aos riscos e desta forma evitar acidentes e custos desnecessários. Os custos com Segurança do Trabalho se pagam ao longo do tempo.


FONTE: Giovani TST


MAS LEMBRE-SE TRABALHADOR QUE QUEM DIRIGE ESSAS EPI'S É VOCÊ MESMO(A), OU SEJA, ATENÇÃO, BOA VISÃO PERIFÉRICA, CABEÇA AREJADA, SAÚDE EM DIAS...PREVENÇÃO ALCANÇADA COM SUCESSO SEMPRE!!!
AO CONTRÁRIO, A LESÃO PERMANENTE E MORTE SÃO CERTAS!!! 

CULINÁRIA FÁCIL... 
TORTA DE ARROZ SALGADA

Ingredientes:

- 1 cebola picada
- 60 g de manteiga
- 600 g de arroz cozido
- 5 ovos
- 1 dl de natas
- 150 g de ervilhas
- 150 g de milho em lata
- 4 salsichas de conserva
- 4 ovos cozidos
-  sal pimenta
- água e manteiga q.b


Modo de Preparar:


Doura-se a cebola na manteiga. Adiciona-se o arroz e tempera-se com sal e pimenta. Junta-se os ovos e natas, previamente batidos em conjunto e divide-se este preparado em dois. A um deles junta-se as ervilhas, já cozidas e escorridas. No outro junta-se o milho. Unta-se uma forma com manteiga e verte-se a mistura do arroz com as ervilhas. De seguida dispõe-se as salsichas e os ovos e cobre-se com a mistura do arroz com o milho. Leva-se ao forno,a 180º, em banho-maria cerca de 50m e a dez min do fim aumenta-se a temperatura para 200º. Retira-se e desenforma-se ainda morno.


DOCE DE LIMÃO
Ingredientes:
·         3 limões grandes
·         1/2 kg de açúcar
·         65 g de manteiga sem sal
·         3 ovos

Modo de Preparo:

1.    Coloque o açúcar em uma panela com a manteiga, a raspa dos limões
2.    e o suco dos mesmos. Bata bem e leve ao fogo. Ferva durante 10
3.    minutos e deixe esfriar. Em separado, bata muito bem os ovos inteiros e misture com a calda já fria.
4.    Leve ao fogo novamente até engrossar, mexendo com movimentos de vai-e-vem.
5.    Espere esfriar para uso.





MENSAGEM...

segunda-feira, 25 de junho de 2012

EXCELENTE DIA PRA VOCÊ TRABALHADOR(A)....






CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS 

TAMBÉM DEVEM CUMPRIR AS  

NORMAS REGULAMENTADORAS DO 

MTE


Um condominio é uma pessoa juridica como qualquer outra empresa. 

O síndico no caso é mesmo que temporariamente o administrador desta empresa. Como as Normas Regulamentadoras se aplicam a todas as empresas que possuem funcionários em regime CLT, o condominio está perfeitamente enquadradado nesta legislação quando possui funcionários.

Neste caso deverá manter a seguinte documentação: PPRA e PCMSO do condomínio em dia.

O PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) é um levantamento feito no condominio que faz o reconhecimento dos riscos ocupacionais e traz soluções para o tratamento destes riscos e um planejamento de um ano para que sejam controlados estes riscos. Já o PCMSO (Programa de Controle Medico de Saude Ocupacional) é realizado levando em conta os riscos levantados no condominio e traz uma previsão de exames médicos que devem ser realizados pelos funcionários. O PCMSO para ser mantido em dia a empresa deve manter estes exames médicos definidos no PCMSO sempre em dia. 

Quando os funcionários são terceirizados o condominio deve exigir esta documentação da empresa contratada,  e os riscos avaliados devem ser os do condominio e os das atividades qwue serão realizadas no condomínio.


Cada vez mais as empresas procuram terceirizar os serviços auxiliares para preocuparem se apenas com sua atividade fim. 

Este tipo de prática traz mais eficiência as empresas e cria a necessidade de existirem empresas especializadas para realizar as tarefas consideradas auxiliares pela empresa. Tarefas auxiliares são: limpeza, portaria, segurança, manutenção, logistica, vendas etc... São todas aquelas tarefas que não são atividade fim da empresa. 

O único problema e´que a empresa muitas vezes não se preocupa com os riscos ambientais gerados por essas atividades. Em casos de acidente ou doenças de um funcionário terceirizado a empresa contratante e contratada respondem solidariamente pelo mesmo. A terceirização é uma realidade e gera um numero muito grande de empregos.


A empresa que contrata serviços terceirizados deve 

tomar alguns cuidados: cobrar do terceirizado 

documentação referente a segurança do trabalho 

(PPRA, PCMSO e ASOS), solicitar antes do inicio do 

serviço o planejamento da atividade em relação aos 

riscos ocupacionais e a descrição de que forma estes 

riscos serão gerenciados para aquela atividade (muitas 

vezes isto encontra-se no PPRA mas de forma genérica), 

a empresa deverá contratante deverá se preocupar com 

o impacto destas atividades em relação aos próprios 

funcionários, clientes e demais pessoas que circulem no 

entorno e deverá fiscalizar a atividade de forma a não 

deixar que qualquer atividade seja realizada no seu 

ambiente de trabalho sem que haja planejamento e 

segurança da atividade. O ideal é que estes cuidados 

sejam colocados em contrato para não haver duvidas 

quanto a estes cuidados.

Exemplo: Um sindico contrata uma faxineira (poderia 

ser uma empresa de limpeza) para limpar as área em 

comum do prédio (estas recomendações acima até 

parecem exageradas, mas não são). 

Pela simplicidade aparente da atividade o sindico pensa 

que não precisa tomar cuidado algum quanto aos riscos 

ou faz o que a maior parte dos sindicos faz: dá um kit 

com alguns EPIs( luva de latex, avental impermeável e 

bota impermeável). Após breves esclarecimentos a 

funcionária começa a atividade. Foi solicitado dentre 

outras coisas que a funcionária limpasse algumas 

janelas a 3m de altura na fachada do prédio.

O problema é que não foi visto sequer se esta 

funcionaria tem saúde para trabalhar em altura. Alem 

disso ela não usa a luva pois tem alergia a látex outra 

situação que não foi prevista. E finalmente a 

funcionária resolve limpar os vidros de uma janela pelo 

lado de fora. E cai. 

De quem é a culpa. Infelizmente a culpa será imputada 

ao sindico ou ao contratante que não tomou os 

cuidados devidos e listados acima.

Parece impossivel acontecerem coisas assim mas vou 

trazer um segundo exemplo que foi publicado no Jornal 

Zero Hora em Porto Alegre em Agosto de 2009.

...Um homem foi encontrado morto na manhã desta 

sexta-feira dentro da caixa d'água de um condomínio 

na Avenida Carlos Gomes, no bairro Mont'Serrat, em 

Porto Alegre. A vítima trabalhava na colocação de um 

produto na estrutura, que fica no térreo do condomínio. 

A caixa estava vazia.

De acordo com o capitão Franco Andrei Maciel de Brito, 

do Corpo de Bombeiros, a morte pode ter ocorrido por 

inalação durante o serviço. O oficial ressaltou que esse 

tipo de acidente de trabalho já ocorreu outras vezes na 

Capital. Por isso, seria a explicação mais forte para 

esse óbito.

— Ele deveria estar usando uma máscara de oxigênio. 

O cheiro é muito forte lá dentro. As causas mesmo só o 

IML vai confirmar, mas já ocorreu em Porto Alegre, é 

uma tendência. O cara acaba desmaiando e morre por 

asfixia. Em tese, é isso — explicou o capitão.


As empresas devem ficar cada vez mais atentas

contratação de serviços terceirizados para não sofrerem 

prejuízos por não planejarem o tratamento dos riscos 

que essas atividades geram ou estão expostos no seu 

ambiente de trabalho.

FONTE: Giovani TST - Editor do Blog Segurança no Trabalho no Brasil



 






$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$
PANOS DE CHITA...

A Alegria do Tecido de Chita...

A história da chita traz um pouco da trajetória da alma brasileira. Passado, presente, trabalho, castigo, festa, criação, arte, infância, malícia e uma alegria descarada se combinam nas cores e misturas descontroladas das estampas, que vestiram escravos, camponeses, tropicalistas, personagens da literatura, teatro, novela e cinema, sem perder a inocência.
Como o sua própria definição, descrita no Aurélio, a chita por muito tempo foi, realmente, considerada um tecido ordinário, destinada apenas vestir as classes pobres da sociedade, e no máximo era utilizada pelas demais classes sociais emergentes, na confecção de vestidos juninos para personificar figuras caipiras. Mas hoje já não é bem assim.
Apesar de toda a diversidade que temos à disposição, vivemos num constante resgate de nossas raízes, do reinventar, do achar valor nas coisas mais simples e a chita volta nos tempos atuais, não como o tecido ordinário do vestido das lavadeiras ou dos escravos, mas como parte de projetos de decoração, reiventada em objetos de design e na moda, levando com seu colorido único, simples e inconfundível, alegria e energia que fazem bem não só aos olhos, mas também à alma!







VIVA A FELIZ ALMA BRASILEIRA!!!


Culinária Fácil...

CALDO DE CARNE COM MILHO VERDE



Ingredientes para  receita de caldo de carne com milho verde e mandioca
700 gramas de mandioca cozida
2 pedaços grandes de lagarto pronto
3 espigas de milho verde
2 pimentas de cheiro sem semente
2 colheres de sopa de manteiga
sal a gosto
cheiro verde
torradas
Preparo
Bata no liquidificador a mandioca cozida e com água e reserve. Numa panela coloque a manteiga e deixe refogar um pouco de alho. Adicione o milho picado e a carne picada em tirinhas. Misture bem e deixe refogar até começar a fazer uma rapa. Mexa de vez em quando. Quando o milho estiver bom, adicione a mandioca batida que estava reservada e mexa bem. Acerte o sal e adicione a pimenta de cheiro picada. Tampe e deixe cozinhar por uns 5 minutos no máximo. Sirva com cheiro verde e tomadinhas. Essa quantidade serve 6 pessoas.


PUDIM DE ARROZ DOCE...


Perfeito para qualquer situação e gostoso para todos os gostos.  Se você gosta de pudim de leite, precisa provar o de arroz! Simples e prático de ser feito, mas com um sabor inconfundível.
O arroz é rico em carboidratos, além de ser grande fonte de minerais e vitaminas. Ele ainda auxilia na prevenção de doenças do sistema digestivo e do coração, regula a flora intestinal e ele não contém colesterol.

Ingredientes
250g de Arroz branco  (já cozido)
1 cx de creme de leite (200g)
1 cx de leite condensado
1 colher de sopa de açúcar
4 ovos


Modo de preparo

Pegue metade do Arroz , coloque junto com os outros ingredientes para serem batidos no liquidificador por 5min.
Caramele uma forma de pudim e coloque o restante do Arroz cozido no fundo.
Acrescente o liquido na forma e coloque para cozinhar em banho Maria por 45min. Resfrie e sirva gelado.




MENSAGEM...