Total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de junho de 2012




MUTILAÇÃO FÍSICA...
Uma mutilação é a perda parcial ou total de um membro do corpo. As mutilações físicas podem ser voluntárias ou involuntárias.


 Mutilação voluntária... JUDIA - CIRCUNCISÃO...

O ato de mutilação pode ser voluntário por diversos motivos, quer auto-infringido quer imposto: durante as guerras e outros conflitos armados, alguns soldados poderão chega a automutilar-se para que sejam declarados inaptos; pessoas com problemas mentais podem chegar a automutilar-se; uma mutilação pode ser a consequência de ações que danificaram a honra (por exemplo o corte do dedo mínimo entre os yakuzas) ; outro tipo de mutilações ocorrem através da tortura ou como práticas religiosas, ou como no BRASIL o corte de dedos asseguram uma aposentadoria certa á comunidades pequenas esquecidas  pelo incentivo governamental federal (circuncisão ou mutilação genital feminin na AFRICA/MALÁSIA/INDONÉSIA/ÍNDIA/JAPÃO/ÁRABE);
 

Mutilação involuntária resulta normalmente na seqüência de acidentes de trabalho ou de viação que causam traumatismos muito graves.

O Acidente de Trabalho e as perdas materiais

A visão mais comum sobre o acidente de trabalho é aquela ligada às pessoas, mas não devemos nos esquecer que os acidentes causam inúmeros prejuízos materiais. Quando acontece um acidente, máquinas e equipamentos podem ser quebrados ou danificados paralisando linhas de produção, atrasando entregas e causando perdas financeiras que às vezes levam tempo para voltar ao normal.

Além disso, muitos acidentes terminam em mortes ou aposentadorias precoces, fazendo com que todo o investimento em treinamento seja perdido. Claro que tudo isso é muito pouco diante de uma vida humana, mas o fator material não pode ser ignorado.

Quando algo é destruído ou algum tempo foi perdido, isso é para sempre, não há como recuperá-los. A empresa pode ter um seguro ou uma reserva de capital para recompor os danos, mas os valores perdidos são para sempre, pois alguém lá na ponta vai pagar esse prejuízo, quer seja através de uma seguradora ou pelos próprios recursos da empresa.

Já ouvimos muitas vezes que devemos “correr atrás do prejuízo”, uma frase totalmente equivocada, pois devemos correr é atrás do lucro, só louco corre atrás de prejuízos. Também já ouvimos falar em “recuperar o tempo perdido”, outra frase sem sentido, pois o tempo uma vez perdido, está perdido para sempre.

O Profissional de Segurança do Trabalho tem como objetivo a prevenção dos acidentes buscando implementar medidas de Segurança que visam minimizar prejuízos de qualquer ordem.

A empresa através de seus representantes tem a obrigação de facilitar “a vida” do Técnico em Segurança, fornecendo-lhe todo o suporte necessário para que o seu trabalho surta efeito, pois só assim os riscos de perdas serão minimizados e a empresa pode obter resultado sempre positivo na sua política de Segurança do Trabalho e conseqüentemente poupando seus equipamentos e maquinários.

O grande desafio do Técnico é aliar a Segurança do Trabalho as constantes reduções de orçamentos da empresa, mas cabem algumas perguntas: Isso é possível? Como uma empresa pode diminuir seus custos sem atingir o setor de Segurança do Trabalho? A resposta para essas perguntas está no ganho da produtividade, pois menos acidentes significam menos afastamentos e menos afastamentos se traduz em mais dias trabalhados.

Um ambiente de trabalho planejado, organizado e com todas as normas de Segurança do Trabalho implementadas, fornece ao trabalhador tranquilidade para o exercício da função e seguramente haverá aumento de produtividade.

A empresa deve manter programas de educação para os seus colaboradores para que transformem o ambiente de trabalho num local onde todos são responsáveis. Nenhum problema deve ser ignorado, pois se uma peça falhar, todos poderão pagar por essa negligência.

A Segurança do Trabalho e o cumprimento das Normas de Segurança é uma responsabilidade das empresas, quem cumprir, não faz mais que a obrigação e para aquelas que desobedecem, cabe ao MTB através das DRT´s e aos Sindicatos identificarem o que está errado e aplicar as medidas necessárias quer seja através de multas ou advertências, para que as empresas façam a sua parte.

Uma empresa não é criada para obter prejuízos e sim lucros, mas o lucro não deve prevalecer sobre a vida humana. Para que haja equilíbrio entre capital e trabalho, a empresa deve proteger o trabalhador.

Os acidentes e os enormes prejuízos por eles causados, já deveriam estar em pauta nas empresas há muito tempo, não há como cortar custos atingindo a Segurança do Trabalho. Uma política de Segurança do Trabalho bem implementada e uma consciência empresarial moderna focada na prevenção são fatores decisivos para uma empresa saudável e economicamente viável







$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$
DIA DOS NAMORADOS EM TEMPOS JUNINO$!!!
REACENDA SUA PAIXÃO E SUA RENDA!!! 












CULINÁRIA FÁCIL...
SOPA DE CANJIQUINHA COM COSTELINHA
Ingredientes


250g de canjiquinha
500 g de costelinha de porco semipronta
2 litros de água
2 cebolas grandes cortadas em cubos
4 tomates sem pele
1 colher de café de urucum
2 colheres de alho batido com óleo
1 pitada de pimenta do reino
½ cálice de cachaça
Sal e cheiro verde a gosto

Modo de preparo

Lave a canjiquinha, misture em 1 litro de água fria e coloque para cozinhar em 1 litro de água quente por meia hora. Reserve.


Refogue a costelinha, temperada e semipronta, com alho batido, tomate, cebola, urucum e cachaça.


Misture a costelinha com a canjiquinha, uma pitada de pimenta do reino e sal a gosto, leve ao fogo brando por 20 minutos.


Sirva com cheiro verde salpicado por cima.

Rendimento: 8 porções




MINGAU DE AVEIA D'AVÓ


1 canela em pau



4 colheres (sopa) de aveia em flocos


2 colheres (sopa) de açúcar


2 xícaras de leite


Coloque os ingredientes em uma pequena panela e misture bem. Leve ao fogo baixo e sempre mexendo, cozinhe até o mingau atingir a consistência desejada. Retire o pau de canela e sirva.

MENSAGEM...

Nenhum comentário: