Total de visualizações de página

terça-feira, 1 de junho de 2010

O FUMO E A SUA SAÚDE...



Dia 31 de maio acontece a comemoração do Dia Mundial de Combate ao Fumo. Este ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem como foco principal da campanha os malefícios do cigarro para as mulheres. Isso porque, além dos conhecidos problemas cardíacos, enfisema e câncer de pulmão, o tabagismo nas mulheres pode acarretar infertilidade, problemas no parto, nos ossos e menopausa precoce. Fora o prejuízo estético.


O fumo é considerado pela OMS a principal causa de morte evitável em todo o mundo. São cerca de 4,9 milhões de óbitos em função do consumo de tabaco por ano.


Tratamentos...

Existem diversas opções de tratamento à disposição. Desde os tradicionais, como medicamentos, grupos de apoio, campanhas de esclarecimento, publicações com orientações a serem seguidas passo a passo, até os complementares: métodos não invasivos e mais naturais, como acupuntura, auriculoterapia e homeopatia.

O que muita gente não sabe é que a Terapia Floral também pode ser uma aliada valiosa durante o processo de abandonar o vício. É claro que cada pessoa tem suas características e reações específicas, que devem ser levadas em consideração individualmente para um tratamento a longo prazo, mas, em geral, existem várias essências florais que podem contribuir de forma positiva, encorajando a decisão de parar, dando todo o suporte emocional necessário durante a abstinência e ajudando a prevenir as recaídas, que são muito comuns nestes casos.

Conheça algumas essências e fórmulas que podem ser úteis no combate ao vício:

Agrimony (Florais de Bach) - Indicada para aqueles que buscam nos vícios uma forma de não entrar em contato com os próprios problemas. Em geral são pessoas inseguras, ansiosas, com autoestima baixa, mas que disfarçam seu vazio emocional sob uma fachada de despreocupação e alegria.

Walnut (Bach) - Ajuda a dar o empurrão necessário nos momentos de transição e mudança. A decisão de se abandonar um vício acarreta em uma profunda modificação de hábitos e padrões de comportamento, mexe com sentimentos difíceis e cria uma certa resistência mental, pelo receio de ter que lidar com o que vem pela frente.

Nicociana (Florais de Minas) - Obtida a partir das flores da própria planta do tabaco, é ideal para as pessoas que sofrem com inquietude e extrema agitação psicomotora. Em geral, são pessoas aventureiras, que buscam desafios físicos, buscando na excitação externa o sentimento de força e superioridade, mas com uma grande tendência a acumular frustrações e a adquirir vícios.

Inclusive, é interessante observar o quanto este aspecto da coragem, da liberdade e da superação dos desafios era ressaltado nas campanhas de cigarro, quando estas ainda eram liberadas. Este floral limpa o campo energético e proporciona um estado de contemplação e harmonia e calma, permitindo um contato mais equilibrado com a nossas questões internas, este sim, o maior desafio que devemos enfrentar na vida.

Buquê da Transformação (Minas) - Indicado para a conquista de novas posturas na vida, interna e externamente, ajudando as pessoas a superarem padrões cristalizados de comportamento, que aprisionam e são difíceis de serem superados. É especialmente útil para ajudar aqueles que já tentaram por diversas vezes abandonar o vício, mas sempre acabam recaindo. Fórmula composta pelos florais: Ageratum, Artemisia, Ignea, Jasminum, Millefolium, Origanum,Phyllanthus, Salvia e Silene.

Calmin (Minas) - Fórmula que combate o nervosismo, ansiedade, irritabilidade, tensão e qualquer outro sintoma gerado por descompensações emocionais como insônia e dores de cabeça. Portanto, é ótima para o período de abstinência, ajudando a desenvolver a serenidade e a calma necessárias para lidar com as transformações que estão sendo feitas, tanto no corpo, quanto na mente. Composição: Momordica, Mimosa, Lavandula, Fuchsia, Psidium, Impatiens, Ficus, Basilicum e Vervano.

Vamos direto ao assunto: largue o cigarro e entre em forma. Motivos não faltam. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabagismo está em 4º lugar do ranking dos maiores responsáveis por mortes no planeta. Só no Brasil são aproximadamente 33 milhões de fumantes. E está comprovado: as consequências do fumo são muito mais intensas nas mulheres. Celulites, rugas, queda de cabelo, infertilidade, problemas cardiovasculares, osteoporose e cânceres de mama e ovário são alguns dos problemas associados. E aí, vai ou não vai ficar longe do cigarro?

Largar o vício não é fácil. Dos que tentam parar de fumar, 40% têm uma recaída. A situação fica ainda mais difícil quando, na abstinência, em função da ansiedade e aumento do apetite, se ganha quilinhos extras. O que fazer? Calma. Há luz no fim do túnel: especialistas garantem que é possível, sim, evitar o sobrepeso.

Os males para a mulher...

"Cânceres nas mamas e no aparelho reprodutor, hipertensão, osteoporose, doenças coronarianas, lesões vasculares e doenças pulmonares (cuja gravidade é muito maior nas mulheres que nos homens) são alguns dos males do cigarro", lista Flávio Cure, cardiologista e fundador da ONG Rio Coração. A explicação para tanto prejuízo é simples: o cigarro contém mais de 4.700 substâncias químicas, muitas tóxicas como a nicotina, o alcatrão, o monóxido de carbono e a amônia. No cérebro, essas substâncias liberam dopamina e serotonina - neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e regulação do humor. É dar a primeira tragada e o vício é quase certo.

“O cigarro descarrega substâncias tóxicas, radioativas, corantes e agrotóxicos que vão produzir radicais livres em níveis altíssimos, inflamando e envelhecendo a pele precocemente”

Quer mais???

Estudos apontam que a fertilidade feminina pode diminuir até 40% em relação às mulheres não fumantes. Durante a gestação, o cigarro traz prejuízos ainda maiores. "Ele libera substâncias tóxicas como a nicotina que, inaladas durante a gravidez, impedem que a placenta se desenvolva adequadamente e estreitam os vasos sangüíneos, diminuindo a quantidade de sangue, oxigênio e nutrientes que vão da mãe para o bebê", revela Lucia Marinaro Colon, ginecologista do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. Por isso, o cigarro está associado a um grande número de casos de descolamento de placenta, nascimentos prematuros e abortamentos.

Beleza em xeque...

Foi-se o tempo em que fumar era sinônimo de glamour. Hoje se sabe que o tabaco acarreta inúmeros prejuízos à beleza: celulites, rugas, estrias, flacidez, queda de cabelo e amarelamento dos dentes. "O cigarro descarrega substâncias tóxicas, radioativas, corantes e agrotóxicos que vão produzir radicais livres em níveis altíssimos, inflamando e envelhecendo a pele precocemente", explica a nutricionista funcional Patrícia Davidson. "Ao mesmo tempo, a nicotina reduz o nível de vitamina A, um antioxidante que combate esses radicais, o que torna o organismo mais vulnerável", acrescenta a especialista. E mais: acredita-se que o cigarro seja vasoconstritor. "Ele diminui a largura dos vasos sanguíneos reduzindo a oxigenação e hidratação da pele causando a flacidez e a celulite", ressalta Flávio.

Batalha contra a balança...

Entre as maiores dificuldades para largar o vício está lidar com os sintomas de abstinência do fumo. "Ansiedade, angústia, insônia, sudorese, dores de cabeça, taquicardia e boca seca são as principais consequências do abandono do cigarro", revela Marcelo London, pneumologista do Hospital Copa D'Or, no Rio de Janeiro. Como se já não bastasse sofrer com tudo isso, péssima notícia: está comprovado que parar de fumar pode engordar.

A maioria dos ex-fumantes ganha em torno de três a quatro quilos, mas 10% deles chegam a conquistar 13 quilos ou mais. O que desencadeia todo esse processo? Dois fatores: "Primeiro, porque o cigarro é catabolizante, ele estimula o metabolismo a queimar rapidamente os nutrientes que recebe e a absorver menos nutrientes. Quando o sujeito pára de fumar, seu metabolismo se torna mais lento", explica Flávio.

O segundo fator diz respeito à maior ingestão de alimentos, sobretudo os calóricos, para compensar a ausência do prazer proporcionado pelo fumo. "O hábito de fumar reduz o paladar em até 70%. Se o indivíduo deixa o cigarro, os alimentos se tornam mais apetitosos, cheirosos e com muito mais sabor", complementa Patrícia. Marcelo ainda tem outra explicação:
 "Os centros cerebrais responsáveis pela sensação de prazer que são acionados pela nicotina estão muito próximos aos centros responsáveis pela saciedade da fome. Quando o indivíduo pára de fumar, o cérebro entende que é preciso saciar os centros da fome para gerar prazer".

Conheça o cigarro por dentro


. Na fumaça do cigarro há 4.720 substâncias tóxicas. As mais conhecidas são a nicotina, o alcatrão e o monóxido de carbono. Mas a fumaça contém ainda substâncias radioativas como o polônio 210.

. O consumo de derivados do tabaco causa aproximadamente 50 doenças diferentes, principalmente as doenças cardiovasculares (infarto e angina), o câncer e as doenças respiratórias obstrutivas crônicas (enfisema e bronquite).

. O tabagismo pode provar impotência sexual no homem, complicações na gravidez, aneurismas arteriais, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias, trambose vascular, entre outros maleficios à sua saúde.

Vale a pena parar de fumar!

As estatísticas comprovam que os fumantes comparados aos não fumantes apresentam um risco:

. 10 vezes mais de adoecer de câncer de pulmão


. 5 vezes maior de sofrer infarto


. 5 vezes maior de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar


. 2 vezes maior de sofrer derrame cerebral

(Fonte Informativo FIOPREV Ano IV - Número 32 - agosto / setembro de 2007)

CONVITE ESPECIAL PARA ESTA QUARTA-FEIRA!!!

 













LEMBRE-SE NESTE DIA QUE...

Nenhum comentário: