Total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de setembro de 2014



ACIDENTE DE TRABALHO COM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ONTEM EM PORTO VELHO:

Trabalhador sem equipamento de segurança atinge rede de alta tensão.

(FOTO:EDIVALDO COELHO DA SILVA/2014.09)

Por muitas vezes vemos situações constrangedoras com mão de obra não qualificada ou mesmo sendo preparada e especializada, não tem um treinamento para situações adversas que possam surgir em meio a um trabalho o qual ofereça riscos, ou até podemos notar a falta de comprometimento com o uso de EPIs, (material obrigatório de segurança).
NESSE ACIDENTE TEM QUE SER FEITO A CAT(COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO) COM BASE NA LEI 8213/91 PREVIDÊNCIA SOCIAL PARA ELE TER O AMPARO DOS BENEFÍCIOS ISSO É SE ELE TIVER A CARTEIRA ASSINADA
549931_418999274843646_24708775_n

POR: Edivaldo Coelho

AMIGOS SEMPRE ESTOU AQUI RETRATANDO SOBRE SEGURANÇA DO TRABALHO E ALERTANDO SOBRE OS RISCOS DE ACIDENTES DO TRABALHO, AGORA POUCO POR VOLTA DAS 11h48min, TRANSITAVA PELA AV. NAÇÕES UNIDAS COM RUA: JOÃO GOULART, QUANDO OUVI UM ESTRONDO OU UMA EXPLOSÃO AO PARAR MEU VEÍCULO ME DEPAREI COM ESSAS IMAGENS O TRABALHADOR ESTAVA EXECUTANDO SERVIÇOS NESSA LOJA E AO TENTAR SUSPENDER UMA ESCADA A MESMA ENCOSTOU-SE À REDE ELÉTRICA E RECEBEU UMA DESCARGA VINDA A SOFRER QUEIMADURAS NO BRAÇO.
DETALHE AMIGOS NÃO OBSERVEI O MESMO UTILIZANDO OS EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL ADEQUADO,OUTRO PONTO ESSE TRABALHADOR SERÁ QUE RECEBEU ALGUM TREINAMENTO ESPECÍFICO EM SERVIÇOS EM ALTURA CONFORME NR-35,COMO TAMBÉM SERÁ QUE RECEBEU TREINAMENTO EM SERVIÇOS ELÉTRICOS CONFORME NR-10 SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE.E MAIS SENHORES AO SOLICITAR AMBULÂNCIA NEM O SAMU NEM O CORPO DE BOMBEIRO TINHA NO MOMENTO.MAS GRAÇAS A DEUS O TRABALHADOR FOI LEVADO AO JOÃO PAULO II PARA PROCEDIMENTOS E NÃO OCORREU ALGO MAIS TRÁGICO.O TRABALHADOR É O QUE ESTÁ SENTADO DE ÓCULOS.
POR ISSO SENHORES EMPRESÁRIOS DO ESTADO DE RONDÔNIA CONTATE-NOS PARA DARMOS PELO MENOS UMA VEZ POR MÊS O DDS-DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA NO SEU ESTABELECIMENTO DE TRABALHO PARA QUE DE FORMA PREVENTIVA POSSAMOS TENTAR EVITAR DAMOS MORAIS E MATERIAIS PARA AMBOS LADOS: EMPRESA/EMPREGADOS!!!
*TEMOS DISPONIBILIDADE PARA VIAGENS!!!

"Trabalhar com segurança é acreditar que você é a ferramenta mais importante para a empresa"
Tiago Quixaberia


MANTENDO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PROVISÓRIAS 
SEGURAS EM CANTEIROS DE OBRAS 
Um dos maiores índices de acidentes fatais em canteiros de obras são os acidentes que ocorrem com as instalações elétricas. É facilmente percebido o descaso com as essas instalações e muitas vezes este descaso acaba causando acidentes e com grande frequência fatal. As pesquisas foram feitas observando os locais de 
risco elétrico e as atividades do trabalhador em canteiros de obras expondo as maneiras corretas de execução de modo a prevenir os acidentes causados pela presença da energia elétrica nestes locais de trabalho.

Neste cenário de desenvolvimento de nosso país onde muitas obras civis são realizadas onde se focou a observacão para a execução de forma correta das instalações elétricas e nas melhores formas de execução destas instalações de modo a minimizar os riscos elétricos e principalmente na necessidade de obtermos instalações elétricas provisórias, porém seguras em canteiros de obras. 

Palavras-chave: Segurança em Instalações Elétricas, Instalações Elétricas Seguras, Canteiros de Obras, Construção Civil, Instalações Elétricas Provisórias. 
Introdução 

O Brasil teve em 2011 crescimentos de 7,46% na construção civil, equivalente a aumento de 211,1 mil pessoas contratadas, de acordo com o sindicato da indústria, SindusCon-SP, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com isso grande parte dos trabalhadores do Brasil atualmente se encontra em postos de trabalhos situados dentro de canteiros de obras. Este fato ocorre devido ao grande desenvolvimento de nosso país no cenário mundial levando a indústria da construção civil contratar mais e mais funcionários. 

Com o aumento dos postos de trabalho aumenta também a preocupação com a saúde e a integridade física do trabalhador, que nestes locais de trabalho sofrem muito com a falta de organização, planejamento, treinamento, entre outros problemas enfrentados pela indústria da construção civil. Dentre todas as partes de um canteiro de obras existe uma na qual a possibilidade de acontecer acidentes do trabalho e a gravidade com que ocorrem apresenta maior relevância, as instalações elétricas. 

Quando falamos em instalações elétricas e segurança do trabalho encontramos inúmeras situações de risco à integridade do trabalhador que devem ser controladas. Estes riscos são encontrados pelo simples fato que a corrente elétrica e diferença de potencial elétrico são invisíveis aos olhos dos trabalhadores e este fato faz com que os riscos se tornem submissos no trabalho causando os acidentes do trabalho com instalações elétricas. 

Na construção civil uma das principais causas de acidente de trabalho é a presença de energia elétrica e consequentemente os riscos que esta traz ao ser humano. 

Segundo o Sinduscon/PE apud Barkokébas ET al (2004) o choque elétrico é responsável por apenas 6,78% dos acidentes na construção civil, porém, 50% destes são fatais. Dentre os principais índices causadores de acidentes com instalações elétricas em canteiros de obra podemos citar a falta de mão de obra qualificada para a execução da instalação, a falta de projeto e manutenção inadequada. 

De acordo com Véras et al (2003), a cada ano cresce a preocupação das empresas com a segurança do trabalhador nos canteiros de obras. O principal objetivo destas empresas é aumentar a produtividade sem ter maiores custos no orçamento de seu produto final. 

O simples fato das instalações elétricas de canteiro de obras serem uma instalação temporária não quer dizer que esta dever ser feita sem projeto, sem atenção, sem profissional qualificado, com dispositivos de segurança que não condizem com as normas vigentes ou muitas vezes com “gambiarras” para solucionar problemas de fornecimento temporário de energia elétrica. O projeto deste tipo de instalação, assim como todas outras instalações elétricas, deverá possuir medidas de controle preventivas de forma a garantir a segurança e a saúde do trabalhador.

As instalações elétricas provisórias, necessárias para a execução de obras de construção civil, não devem ser tratadas de forma negligente.

Provisório não quer dizer precário. É preciso sempre levar em consideração a segurança dos trabalhadores que se utilizam dessas instalações (SAMPAIO, 1998, p. 341). Esta pesquisa servirá para apresentar as melhores metodologias encontradas de implantação de instalações elétricas provisórias utilizadas em canteiros de obras observando os locais de maior risco elétrico e as atividades dos trabalhadores minimizando os acidentes e garantindo ambiente de trabalho mais seguro aos trabalhadores.

Todo profissional que trabalha em canteiro de obras poderá aumentar seu conhecimento sobre alguns dos acidentes mais comuns com instalações elétricas provisórias em canteiro de obras de modo a poder intervir durante a fiscalização em seu ambiente de trabalho antes mesmo que o acidente aconteça e cause danos aos trabalhadores. 

A principal causa dos acidentes de origem elétrica são os choques elétricos. Para melhor entendimento de como evitar o choque elétrico devemos saber quais as principais formas de ocorrer o choque elétrico, sendo assim, observamos que poderá ocorrer por contato direto e indireto. 
As principais maneiras de evitar o choque elétrico por contato direto são: 
• Isolação – Isolar as partes vivas da instalação através de fitas isolantes, capas isolantes, ou qualquer outro material que não conduza corrente elétrica. 
•Barreiras – Proteção por barreiras isolantes em locais onde as partes vivas da instalação poderá ter o contato com o trabalhador durante certa atividade. 
•Obstáculos – Grades, cercas, e outros obstáculos que não necessariamente são de materiais isolantes, porém mantem trabalhadores não autorizados fora do alcance das partes vivas da instalação. 
•Colocar fora do Alcance – Dispor a instalação elétrica a uma distância considerável segura dos trabalhadores e suas atividades evitando contatos acidentais. 

Quadros de Distribuição, Terminal e Medição 

Toda instalação de canteiro de obras deve possuir quadros de medição, distribuição e terminais para que a instalação possua seletividade e consiga proteger todos seus condutores e possíveis “gambiarras” na instalação. Os quadros são de grande importância 
para a proteção mecânica dos dispositivos de manobra e contra contatos acidentais de trabalhadores nos canteiros de obras. 

Os quadros de medição são os primeiros da instalação onde ocorre a entrega da energia elétrica da concessionária para o canteiro de obras. Os quadros de distribuição são os quadros que possuem dispositivos de proteção e manobra para os quadros terminais que 
contém os terminais tipo tomadas e plugs para a ligação com segurança das máquinas e equipamentos. 

Os principais problemas encontrados nos quadros de instalações elétricas de canteiros de obras basicamente é o estado de conservação dos quadros, os materiais utilizados para a confecção dos quadros, o estado de conservação dos dispositivos de proteção e partes vivas sem isolação adequada. 

Sendo assim, os materiais que compõem estes quadros deverão ser resistentes a corrosão e servirem para a proteção contra efeitos tipo poeira, vibrações, umidade. Os quadros não deverão ser de materiais combustíveis, como madeira, como muitos encontrados em canteiros de obras e independentemente da sua localidade, deverão conter placas de advertência sobre o risco elétrico. A localização dos quadros deverá ser analisada e escolhida de forma a não atrapalhar as atividades dos canteiros de obras e em locais visíveis de fácil acesso aos trabalhadores. 

Outro ponto importante e citato anteriormente é a utilização do sistema de aterramento no neutro e terra da instalação e da carcaça dos quadros quando estes forem de materiais condutores ajudando assim na proteção contra contatos indiretos. 

De acordo com a NR-10 todo quadro utilizado em instalações elétricas deverá possuir em seu interior o diagrama unifilar atualizado do mesmo juntamente com a identificação dos circuitos facilitando a interpretação da instalação elétrica. 

Adotar, sempre que possível, quadros de distribuição com disposiitivo para cadeados e placas de sinalização para que durante manutenções não ocorra manobras indesejadas e inesperadas pelos trabalhadores locais. Este procedimento é mencionado na NR-10 e deverá ser utilizado também em instalações provisórias como as instalações elétricas em canteiros de obras. 
Dispositivos de Proteção e Manobra 

Os dispositivos de proteção e manobra mais utilizados atualmente são os disjuntores termomagnéticos e chaves blindadas. O disjuntor possui capacidade de desarme tanto por uma sobrecarga elétrica quanto por sobrecarga térmica, já a chave blindada possui a proteção por fusíveis, atualmente pouco utilizados, pois em uma sobrecarga térmica este não protegerá o circuito. 

 Os principais problemas encontrados nos dispositivos de proteção e manobra são o mau estado de conservação, instalação de modo inadequado e acesso aos trabalhadores que não são autorizados ao contato com estes dispositivos. 

É muito comum que qualquer trabalhador em um canteiro de obras vá até o quadro de distribuição para ligar ou desligar disjuntores e chaves elétricas sem a autorização para isso. Neste sentido, estes dispositivos de uma instalação temporária em canteiro de obras deverão ser dotados de cadeados ou dispositivos que só permitam o acesso de pessoas autorizadas ao contato com estes dispositivos evitando assim acionamentos indesejados de máquinas e equipamentos ou até mesmo uma instalação que esta em fase de manutenção. 

Manutenções periódicas deverão ser realizadas e qualquer observação de dispositivos em mau estado de conservação ou funcionamento deverão ser trocados imediatamente por outro dispositivo com o funcionamento adequado e correspondente ao ser substituído. Nenhum disjuntor poderá ser trocado por outro de capacidade diferente do qual será substituído sem prévia consulta ao engenheiro responsável pelo projeto. Nenhum circuito poderá ficar sem a proteção, pois sem estes dispositivos a segurança das instalações e dos trabalhadores está comprometida. 

O modo de instalação dos disjuntores termomagnéticos também é muito importante para seu funcionamento. Os disjuntores deverão ser instalados de forma a acionar seu mecanismo de “liga” no sentido da fonte e este deverá sempre ser “armado” contra a ação da gravidade. Esta forma se torna correta uma vez que ao desarmar um disjuntor termomagnético, dessa forma instalado, o sistema de desarme atuará juntamente com a força da gravidade ajudando no desarme. Se for instalado inversamente o disjuntor poderá ser religado somente com a força da gravidade causando um “rearme” inesperado e consequentemente a chance de acontecer um acidente aumenta. 

Instalações Aéreas:

Em alguns canteiros de obras será necessária a instalação de condutores elétricos aéreos. Este sistema de distribuição deverá ser projetado e executado levando em consideração a altura das máquinas que deverão transitar pelo local e a localização correta dos postes de sustentação para que não atrapalhe a movimentação de trabalhadores, materiais e máquinas da indústria da construção civil. 

Os principais problemas encontrados com as instalações aéreas são os contatos acidentais de máquinas e equipamentos, método de instalação iinadequado e local da instalação inadequado. 

Muitas vezes em canteiros de obras se encontram instalações elétricas aéreas instaladas somente escoradas por postes de madeira sem nenhuma isolação ou equipamento como roldanas para fixar a instalação. Esta maneira de instalação prejudicará a isolação e fixação podendo causar acidentes. Toda instalação aérea devera ser fixada por isoladores elétricos, como roldanas de fixação, de modo a proteger a isolação dos cabos e isolar a instalação dos postes de distribuição. Deve-se evitar o contato da isolação dos cabos com superfícies ásperas ou cortantes para que não danifique suas características isolantes. 

É muito comum observar a prática de tracionar cabos pelos canteiros de obras. A grande maioria dos cabos utilizados em canteiros de obras, exceto cabos feitos exclusivamente para suportar tração mecânica, não poderão ser tracionados pois seus filamentos internos poderão se romper bem como a sua isolação. 

A altura mínima dos cabos deverá ser de 5 metros. Em casos que as maquinas ou trabalhadores, mesmo com a rede em 5 metros de altura, não estiver em uma distancia segura da rede de distribuição, esta deverá ser instalada em altura segura ou instalar barreiras isolantes sinalizadas para que não ocorra o contato acidental entre instalações aéreas e maquinas ou trabalhadores da área. 

Em nenhum local abaixo dos cabos aéreos poderá ser feita queimas de materiais ou utilização de altas temperaturas, pois estas podem danificar os cabos aéreos ou ionizar o ar podendo causar curto-circuito por arcos elétricos. 

Instalações Subterrâneas:
Além das instalações elétricas aéreas as instalações subterrâneas ocupam uma boa porcentagem das redes de distribuição em canteiros de obras. As instalações subterrâneas necessitam de alguns cuidados específicos, principalmente no caso de cannteiro de obras. 

Os principais problemas encontrados em instalações subterrâneas são os locais inadequados de instalação, maneiras inadequadas de execução e falta de sinalização. 

Em canteiro de obras muitas vezes temos escavações, perfurações ou até mesmo maquinas de grande porte trabalhando, e isso nos implica a projetar com muita cautela o posicionamento das instalações elétricas subterrâneas. Nenhuma instalação elétrica subterrânea poderá ser instalada sem eletro calhas ou eletro dutos que servirão de proteção mecânica para os cabos de energia devendo ser sempre bem sinalizados os locais onde ocorre a passagem de instalações subterrâneas. 

Escavações são muito frequentes em canteiros de obras e por esse motivo a rede de energia elétrica subterrânea deverá ser instalada de forma que as possíveis escavações fiquem distantes 1,5 metros da mesma, garantindo que nenhum equipamento de escavação atinja os circuitos elétricos. 

Em alguns pontos dos canteiros é comum observar locais de umidade excessiva. Neste sentido, evitar locais com umidade também ajudará na conservação das instalações subterrâneas. 

Plugs e Tomadas:
Em canteiros de obras a utilização de plugs e tomadas muitas vezes é deixada de lado pelos trabalhadores. Todos os equipamentos que utilizam energia elétrica deverão ser ligados à rede de energia elétrica através de tomadas e plugs. 

Os principais problemas encontrados com as instalações de plugs e tomadas são: 
*Mau estado de conservação, instalação inadequada e localização inadequada. 
*Locais de umidade devem ser evitados na instalação de tomada. *As tomadas devem ter dispositivo para não molhar com chuva e nunca ligar dois equipamentos numa mesma tomada se o circuito não for projetado para tal finalidade. 

De acordo com a Fundacentro (2001, RTP 05, p.33) as tomadas industriais, mais utilizadas em canteiro de obras, padronizam cores para cada nível de tensão. 

Abaixo seguem os níveis de tensão seguidos das cores representativas: 

• 20 a 25V – Violeta 
• 40 a 50V – Branca 
• 110 a 130V – Amarela 
• 220 a 240V – Azul 
• 380 a 440V – Vermelha 

A utilização das cores ajudará aos trabalhadores do local identificar qual o nível de tensão nos condutores sem a necessidade de portar consigo um equipamento de medição de tensão elétrica. 
Iluminação Provisória:
Em muitas obras é necessária iluminação artificial por trabalharem em período noturno ou em interiores onde a luz natural não é suficientee. A iluminação em canteiros de obras é realizada de forma provisória pelo fato de que posteriormente serão retiradas ao 
término da obra assim como toda a instalação dos canteiros de obras. 

Os principais problemas encontrados com a iluminação são dimensionamentos de fluxo luminoso mal feito para a atividade a ser exercida, mal estado de conservação de soquetes e luminárias e instalações inadequadas. 

A iluminação provisória deverá obedecer à quantidade de lux necessário para a atividade a ser exercida pelo trabalhador independentemente de ser provisória. 

Comumente é encontrado nos canteiros de obras lâmpadas sem proteção mecânica (Luminárias). Todos os pontos de luz deverão possuir luminárias de modo a proteger a lâmpada de qualquer impacto condizente com a atividade a ser exercida no local de trabalho. 

Os circuitos de iluminação deverão ter seu dispositivo de proteção e manobra nos quadros terminais. No caso de instalações aéreas, esta deverá estar no mínimo a 2,5 metros do nível do solo, porem se esta distância não for a segura para a atividade exercida no local esta altura deverá ser aumentada para uma distância segura da atividade. 

Em locais onde as lâmpadas de iluminação poderão sofrer qualquer impacto, como locais em que transitam materiais, ferros, carrinhos de mão, estas deverão ser protegidas por luminárias contra impactos. 

As luminárias deverão ser instaladas em circuitos de iluminação sendo proibida a instalação em circuitos de distribuição ou qualquer outro circuito que não for para tal finalidade. 

Nos locais onde se encontram ventiladores, exaustores ou qualquer outro tipo de máquina com movimentos giratórios não poderão ser instaladas lâmpadas fluorescentes todas na mesma fase da instalação evitando o efeito estroboscópio onde a frequência da tensão aplicada na lâmpada poderá ser múltipla da frequência de rotação da máquina giratória. 
Máquinas e equipamentos: 
Em canteiro de obras temos muitas máquinas e equipamentos que desenvolvem as atividades pertinentes a este. As máquinas e equipamentos  que desenvolvem as atividades pertinentes a este. As máquinas e equipamentos de uma instalação de canteiro de obras normalmente possuem motores de alta potencia comparado com outros trabalhos costumeiros do dia-dia. Isso faz com que cada operador destas máquinas e equipamentos tenha um treinamento específico para a máquina que irá operar de modo a demonstrar os 
riscos existentes, o funcionamento da máquina, os possíveis acidentes que poderão ocorrer e os métodos de controle dos riscos aplicados. 

Nestas maquinas e equipamentos elétricos a principal ocorrência de acidentes são os choques elétricos que acontecem de forma direta quando alguma parte viva do equipamento esta exposta ou de forma indireta quando a carcaça do equipamento esta energizada. 

Conforme a NR-18 toda máquina e equipamento em canteiro de obras deverão possuir os dispositivos de acionamento, parada e bloqueio, sendo este ultimo também chamado de botão de pânico e quando acionado desliga imediatamente a máquina com a finalidade de evitar acidentes. Usualmente vemos trabalhadores que fazem a manutenção trabalhando no conserto de máquinas e equipamentos com estas ligadas à rede de energia elétrica. Este ato 
deve ser proibido e qualquer máquina e equipamento em manutenção deverão estar desligados da rede elétrica. 

Os movimentos das máquinas e equipamentos de grande porte, por exemplo, um guindaste, deverão ser planejados de modo a garantir que estarão longe de redes de distribuição ou equipamentos energizados. 

Manutenções preventivas deverão ser realizadas nas instalações elétricas do interior das maquinas e equipamentos com a finalidade de se evitar paradas inesperadas, curtos circuitos, perda de controle da máquina, problemas com aceleração e desaceleração de motores sem ser acionados pelos trabalhadores. 

Considerações finais: 
Um ato normal de canteiros de obras é a utilização de extensões sendo estas manuseadas com grande frequência pelos trabalhadores. Neste caso é de suma importância que qualquer extensão utilizada possua cabos com isolação dupla, pois estas poderão estar em ambientes úmidos, secos, quentes e essa precaução ajudará a manter a qualidade do fornecimento de energia e a segurança dos trabalhadores. 

As instalações elétricas deverão constar no PCMAT do canteiro de obras ajudando na prevenção de acidentes do trabalho. 

Treinamentos como curso de NR-10 básico são de extrema importância para que os trabalhadores saibam os riscos das instalações elétricas e como agir no caso de manutenções ou acidentes do trabalho desta natureza. 

Trazendo á tona os principais locais de acidentes com instalações elétricas provisórias em canteiros de obras com temos intuito de demonstrar as melhores formas de implantação de forma a minimizar os acidentes de trabalho com instalações elétricas. 

Observados técnicamente os locais de canteiros de obras para a descrição feita neste artigo confrontando a teoria com as referencias deste trabalho. Assim você leitor Tècnico em Segurança do Trabalho terá a visão real dos canteiros de obras ajudando na implantação do conhecimento aqui obtidos no dia-dia do canteiro de obras. A principal contribuição deste trabalho foi firmar a necessidade de instalações mesmo que provisórias serem realizadas de forma qualificada minimizando os riscos elétricos!!!

Trabalhos futuros deverão ser estudados uma vez que a instalação elétrica causa muitos danos aos trabalhadores. Como ideias futuras poderão surgir temas como instalações elétricas de outros postos de trabalho cujos trabalhadores sofrem como vítimas das intalaçôes de energia elétrica mal feitas.

Referências: 
FUNDACENTRO (2007), Recomendação Técnica de Procedimentos 5 (Disponível em: http://www.fundacentro.gov.br/dominios/ctn/anexos/Publicacao/RTP%2005.pdf, acesso em 29/09/2012, as 16:35hrs) XXVII encontro nacional de engenharia de produção realizado em Foz do Iguaçu PR (Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2007_TR600451_9643.pdf, acesso em 29/09/2012, as 16:35hrs) 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5410: Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Rio de Janeiro, 2004. 
NR-10: Segurança em instalações e serviços em eletricidade. Brasília, 2004. (Disponível em: http://www.mtb.gov.br/Empregador/segsau/Legislacao/Normas/conteudo/nr10/nr10.pdf. acesso em 05/10/2012, as 13:34hrs) 
CREDER, Hélio. Instalações elétricas. 14. ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: LTC, 2002. 
NR 18: Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção. Brasília, 1995. (Disponível em: http://www.mtb.gov.br/Empregador/segsau/ComissoesTri/ctpp/oquee/conteudo/nr18/, acesso em 25/10/2012, as 17:35hrs) 
SAMPAIO, José Carlos de Arruda. Manual de aplicação da NR 18. São Paulo: Pini: SindusCon-SP, 1998. 

FONTE: GONZALEZ CÁCERES, João Rafael - Engenheiro Eletricista – Centro Universitário de Lins (UNILINS) - Aluno de pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho – UNIC-Sinop 
Aeroporto 


PARA NOSSAS: 
MEDIÇÕES & PROJETOS,  
DDS, PALESTRAS,
 WORKSHOP'S, TREINAMENTOS, 

INSTITUIÇÃO E CURSO 

DE CIPA, NR's, 

CURSOS DE ORATÓRIA, 5 'S', 

SEUS DIREITOS TRABALHADOR 

EMPRESA, HIGIENE 

COMPORTAMENTO 

ORGANIZACIONAL,

CONTATE-NOS PELOS E-MAIL'S: 

ecs559@hotmail.com 

liliansat9@hotmail.com 


MEUS PARABÉNS TST's!!!!

$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$


CULINÁRIA FÁCIL...



MENSAGEM..

Nenhum comentário: