Total de visualizações de página

terça-feira, 29 de janeiro de 2013






A OBSERVAÇÃO DO CICLO DE SEGURANÇA DO TRABALHO EM TURNOS E NOTURNOS 

EDIVALDO COELHO DA SILVA

TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO
REG.Nº000259-3/RO
DSST/SIT/MTE 

Organismo do ser humano funciona de acordo com um relógio biológico, que possui ritmos distintos funcionando de acordo com os fatores ambientais externos e internos. A ritimicidade natural para diversas funções de nosso corpo segue um comportamento periódico, definido de acordo com sua freqüência, e classificado em 3 tipos: 
a) circadiano: leva cerca de um dia, ou seja, tem freqüência próxima das 24hs do dia. 
b) ultradiano: tem freqüência maior que o ciclo circadiano, porém inferior às 24hs de um dia. 
c) infradiano: tem freqüência menor que o ritmo circadiano, porém seus ciclos têm duração superior às 24hs de um dia. 


Os ritmos circadianos estão presentes em diversas funções corpóreas como por exemplo: temperatura corporal, corticosteróides e eletrólitos do soro e urinários, funções cardiovasculares, secreção de enzimas gástricas, número de leucócitos do sangue, força muscular, estado de alerta, humor, memória imediata e a longo prazo. 

Já os ritmos ultradianos estão presentes no intervalo de 90 a 100 minutos entre as repetições do movimento rápido dos olhos durante o sono paradoxal. E, os ritmos infradianos estão presentes dentro do ciclo menstrual das mulheres. 

Na maior parte dos ciclos biológicos, tem-se a princípio, uma média de um período de 25,2hs, existindo sempre as diferenças de indivíduo para indivíduo, pois, a zero hora para um não é a mesma para o outro. Portanto, existem os indivíduos matutinos que são aqueles que acordam e dormem cedo, e os indivíduos vespertinos, que são aqueles que dormem muito tarde e acordam por volta do meio dia. Este aspecto citado, é de extrema importância, pois estas funções influenciam no ciclo do sono deste indivíduo. 


Além destes aspéctos, temos também os estímulos externos, ou seja, a luz ou escuridão também faz parte de um item que influencia na sincronização dos ritmos internos, ou dos ritmos biológicos. 


Este sincronizador poderoso em nossas vidas, a luz do dia, faz com que a presença de algumas glândulas possam funcionar de forma tal que a produção de alguns hormônios necessários sejam realmente aproveitados e não nos causando sérios distúrbios como no caso de alguns trabalhadores noturnos, que posteriormente, sofrem sérios danos. 


Hormônios liberados pelo organismo durante as 24hs .

Alguns exemplos de liberação de hormônios que seguem o ciclo biológico e que, quando alterados, nos trazem conseqüências devido ao desregulamento, que no caso, acontecem durante os trabalhos noturnos. 

O ritmo natural destes hormônios são: 

Meia noite: é quando aumenta a produção do hormônio responsável pelo crescimento. Açúcares e gorduras são armazenados neste horário. 
1 hora: as contrações uterinas alcançam seu ritmo máximo de intensidade 
2 horas: cresce o número de glóbulos brancos. O estado de alerta diminui. 
3 horas: cai a temperatura corporal 
4 horas: horário em que podem ocorrer casos de asma e abortos espontâneos 
5 horas: começam a aumentar as secreções hormonais que chegam a seu ponto máximo às 8hs. 
6 horas: podem surgir dores articulares, que se prolongam até as 8hs. 
7 horas: os hormônios associados ao stress têm sua primeira alta; ganham eficácia os anti-histamínicos, remédios que neutralizam as alergias. 
8 horas: até as 12 hs, aumento do ritmo cardíaco. 
9 horas: bom para o trabalho intelectual (até as 11hs) e para cirurgias, devido ao aumento de substâncias cicatrizantes na circulação. 
10 horas: as secreções ácidas do estômago chegam ao seu ponto máximo; o álcool se concentra mais rapidamente ao sangue. 
11 horas: podem surgir cansaço e diminuição do estado de alerta. 
12 horas: sobem a pressão arterial e a temperatura do corpo. 
13 horas: baixa a atenção (até as 15hs.). 
14 horas: cai a quantidade de glóbulos brancos; a produção de insulina alcança o seu ponto mais alto. 
15 horas: a força muscular está em sua plenitude, não havendo perigo de lesões nas articulações. 
16 horas: a temperatura corporal alcança o ponto máximo (até as 18hs.) 
17 horas: o rendimento intelectual está favorecido (até as 21hs.) 
18 horas: a pele está mais receptiva à ação de medicamentos em forma de creme ou gel (até as 20hs) 
19 horas: o organismo absorve melhor antiinflamatórios, remédios para úlcera, asma e artrite (até as 22hs) 
20 e 21 horas: são horas fatídicas, onde geralmente aparecem a angustia e a depressão. 
22 horas: diminui o calibre dos brônquios; aumentam, ao mesmo tempo, as dificuldades respiratórias. 
23 horas: baixa o estado de alerta (até a meia noite); também é o período de maior excitação sexual e fertilidade femininas (até as 2hs da manhã). 



Ciclo sono/ vigília

Para entender o ciclo do sono, devemos estabelecer basicamente três critérios a serem avaliados: atividade elétrica do córtex cerebral (através do eletroencéfalograma – EEG – são interpretadas as ondas presentes), grau de facilidade com que o indivíduo pode ser acordado e o tônus muscular. 

A partir destes fatores, devemos saber que o ciclo do sono é divido em cinco fases, sendo elas: 
1ª fase: início da sonolência e diminuição da amplitude das ondas. 
2ª fase: a atividade elétrica é alternada, aparecendo episódios de alta freqüência, fusos do sono, ondas grandes e lentas de ocorrência ocasiona. É a fase do sono caracterizado. 
3ª fase: ocorre uma certa freqüência de ondas e a manutenção do tônus muscular. 
4ª fase: é a fase do sono profundo, com a presença de ondas lentas, redução da facilidade de acordar, diminui o tônus muscular, diminuição da freqüência cardíaca e respiratória e redução da pressão arterial. É o sono repousante considerado de recuperação física. 
5ª fase: é a última fase do sono e é caracterizado por movimentos rápidos dos olhos, aumento da freqüência cardíaca, respiratória e pressão arterial, porém com tônus muscular baixo. Este é o sono Paradoxal, pois a pessoa está dormindo e mantém a atividade cerebral, sem ter conhecimento do que a cerca. Nesta fase, o indivíduo dificilmente acorda. 

O padrão do sono, nos seres humanos, são variáveis em função da idade, sendo que a quantidade do sono diminuem com a meia idade, e a qualidade da vigília se traduz em dificuldades ao cumprir atividades ou trabalho. 

No caso de indivíduos que tem seus horários de sono alterados, teem fatores de desequilíbrio psicofisiológicos. 

Temperatura corporal, desempenho e carga cognitiva

A temperatura corporal do homem sofre variações durante o dia inteiro, onde ocorrem aumento durante o tempo de maior atividade (na parte da tarde) e depois tem um declínio considerável (na madrugada, por volta das 2hs da manhã). Estas variações consideráveis da temperatura durante todo o dia, indica que não há uma adaptação e desempenho do homem ao trabalho noturno assim como existe no trabalhador diurno. 

A carga cognitiva não acompanha o mesmo ritmo que a temperatura corporal, portanto, podemos observar que as atividade que necessitam de memória complexa podem ser realizadas durante o dia ou à noite com bons desempenhos. Os trabalhadores que utilizam a memória imediata se mostram muito bem durante o dia, enquanto que aqueles que precisam da memória funcional demonstram maior desempenho ao meio dia, e os trabalhadores que necessitam de uma carga cognitiva elevada são melhor realizados e com demonstração de melhor desempenho é durante a noite. 

Desta forma, podemos perceber, que dependendo da atividade ou tarefa, ocorre um desempenho diferente em cada horário do dia. 



Distúrbios nervosos

Um dos distúrbios nervosos mais presentes nos trabalhadores de turnos e noturnos advém das longas jornadas de trabalho, sendo o estresse, onde, estão mais presentes nos trabalhadores noturnos que nos diurnos ou vespertinos (que dificilmente apresentam).

Distúrbios gastrointestinais

Os distúrbios gastrointestinais aparecem geralmente pelo fato dos trabalhadores não terem horários adequados para a ideal alimentação, sendo que na maior parte das vezes, ocorre a alteração de alimentos por lanches. Existe também o fator que influencia diretamente, que é o horário de trabalho em seu turno (diurno, vespertino ou noturno). 
Estes distúrbios em geral, são: azia, gastrite, ulceração péptica, dispepsias (dificuldade na digestão), colites, diarréias, constipação intestinal e etc. 

Distúrbios cardiovasculares

Os distúrbios cardiovasculares mais presentes nos trabalhadores em turnos, indicados através de pesquisas e diversos estudos, e que ainda não se tem uma certeza ou que seja concreto, mas que realmente aparecem como fatores predisponentes do trabalho , são as doenças cardiovasculares isquêmicas e a hipertensão arterial. A primeira, não é detectado a presença de hábitos como o fumo que causem predisposição, mas a segunda, aponta o fumo como indicador de risco e de grandes chances do distírbio. 

Fadiga e acidentes

A fadiga é uma das maiores e fundamentais queixas dos trabalhadores de longas horas, principalmente está presente nas falas dos trabalhadores noturnos. 
Podem causar acidentes de trabalho devido ao desequilíbrio orgânico, a presença de tensões, conflitos, emoções e rotina. Todos estes fatores desencadeiam um processo de fadiga, que pode vir a se tornar altamente prejudicial através de acidentes nos finais dos turnos, principalmente nos noturnos. 

Aspectos psicossociais, familiares e interpessoais

Há influência dos horários nos diversos turnos sobre a vida do trabalhador, e podemos observar que está diretamente ligado ao seu cotidiano ou seja, pode acarretar importantes dificuldades no plano de vida familiar e social, só que somente serão ressaltados após longo período na vida deste trabalhador. 

Blibliografia
MTE
NORMAS REGULAMENTADORAS
PORTARIAS DO MTE
MEDICINA DO TRABALHO
FUDACENTR




$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$




























CULINÁRIA FÁCIL...
RECEITA:SALADA COM YOGURTE GREGO

Ingredientes
Meia cebola pequena e desfiada

1 maçã pequena desfiada 

1 talo de aipo grande desfiado

1 cenoura grande ralada 

1/3 xícara de iogurte grego 


1/3 xícara de creme de leite 

2 colheres de sopa de vinagre de vinho branco 

1 colher de sopa de mel 

1/2 colher de chá de alho em pó 

Sal e pimenta a gosto 


1 colher de chá de sementes de papoula (opcional)



Modo de Preparo
Em uma tigela grande, misture a cebola, maçã, aipo, cenouras e 
reserve. Em uma tigela média, misture o iogurte, o creme azedo, 
vinagre, mel, alho em pó, sal e pimenta. Despeje sobre uma travessa 
limpa e misture bem. Acrescente as sementes de papoula se desejar 
e depois ponha na geladeira por 20-30 minutos antes de servir.




CREME DE ABACAXI FÁCIL
Rendimento
4 porções

Ingredientes

1 lata(s) de abacaxi em calda

1 lata(s) de creme de leite sem soro

85 gr de mistura para pudim sabor baunilha


Modo de preparo



Escorra o abacaxi e reserve a calda, 


corte o abacaxi em cubinhos.


 Em uma panela,misture a calda do abacaxi com o pó para pudim, leve ao fogo até ferver,mexendo sempre.
Misture o abacaxi em cubinhos ao creme que foi feito com a calda. Deixe esfriar.
Coloque em uma tigela,cubra com o creme de leite e leve à geladeira. Sirva gelado.

MENSAGEM:






Nenhum comentário: