Total de visualizações de página

terça-feira, 3 de abril de 2012




VANDALISMO NO TRABALHO É CORRETO?!?!?

CONCEITO DE VANDALISMO
O conceito de vandalismo surgiu na Roma antiga, com a chegada dos povos bárbaros, que invadiram Roma e a saquearam por duas semanas correntes. Hoje em dia, vândalo é aquele que destrói por bel prazer e o vandalismo é um problema comum em grandes cidades.
A  maioria dos trabalhadores que ocupam as vagas nas usinas que estão sendo construídas em Rondônia são de  outros Estados brasileiros, que se moveram até aqui no afã de renovarem suas vidas, que estavam paradas em seus locais de origem por falta de trabalho.

Com esta visão inicial podemos ver que há 'bárbaros' que aqui se enfronharam como trabalhadores e que estão causando tumulto e atraso das obras, além do enorme prejuízo causado ás empresas empregadoras geram enorme desconforto na sociedade rondoniana por causa do excesso de contigente humano desconhecido desta mesma sociedade.
É o segundo incêndio em menos de um mês, afinal em março houve outro tumulto em Jirau com queima dos ônibus. Esperamos que a Justiça rondoniense tome providências reais para possível controle da situação, não só chamando a força nacional á cada evento nefando, mas efetuando prisões e devolvendo aos Estados de origem os vândalos bárbaros que assolam em nossos modus vivendi!!! 

Se estavam querendo passar o feriado de páscoa em casa deveriam ter reinvindicado de forma legal e adequada pelos seus sindicatos e não pelo vandalismo e violência pessoal, uns pela ação outros pela omissão!!!

USINA JIRAU - RONDÔNIA
Construtora Camargo Corrêa, contratada pelo consórcio de Jirau para construção das obras civis da usina hidrelétrica no rio madeira, informa que na madrugada desta 3ª feira (03/04) novos atos de vandalismo voltaram a ser praticados no canteiro de obras com o incêndio e depredação de cerca de 30 unidades de alojamentos de trabalhadores (aproximadamente 30% do total).
Não houve registro de vítimas em razão desta ocorrência. Após paralisação de 26 dias, provocada por uma greve que foi julgada ilegal pela justiça do trabalho, as atividades foram retomadas com a aprovação pela assembleia dos trabalhadores de proposta de acordo mediada pela Delegacia Regional do Trabalho. Foi aprovada a antecipação de reajustes no salário de até 7% e do valor da cesta básica para até R$ 220,00, além de não descontar os dias parados que seriam compensados futuramente.
Neste momento os esforços estão concentrados na mobilização de recursos para retirada com segurança dos trabalhadores alojados no canteiro de obras (cerca de 7 mil pessoas) e que desejam deixar o local. Ônibus, alimentação e alojamento provisório em Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, estão sendo providenciados para triagem e encaminhamento dos trabalhadores às suas cidades de origem.
A Força Nacional de Segurança estava presente no canteiro de obras, distante 130 quilômetros de Porto Velho. Os prejuízos materiais ainda não podem ser avaliados.
COMO COMEÇOU O ATO DE VANDALISMO 2º UM DOS OPERÁRIOS DESTA OBRA:
De acordo com este operário o início dos atos de vandalismo foi no Bloco C, que, segundo o operário, é justamente os trabalhadores que tratam da mão de obra mais pesada, contratados da Camargo e Corrêa. E no outro lado um grupo de funcionários da Emesa que fazia um churrasco ateando fogo no chão, utilizando tijolos – de acordo com ele, isso era normal -, no entanto, em determinado momento, um caminhão pipa foi até o local e apagou o fogo do churrasco. Irritados pela atitude e já com a cabeça quente pelo desenrolar da paralisação, iniciou uma provocação entre funcionários da Emesa – empresa terceirizada contratada – e da Camargo Correa – que eram chamados de “salário mínimo” (sic).
Com os ânimos acirrados os operários passaram a xingar e a tocar fogo em objetos e entulhos, para chamar a atenção e incitar a segurança no local. A segurança feita no canteiro pela polícia militar e guarda nacional acompanharam o desenrolar da situação e tentaram manter o controle, porém o clima foi ficando hostil, e até 1h da manhã ficaram nas provocações, até que num determinado um grupo de operários, que ele não soube definir, passou a tocar fogo nos alojamentos dos setores norte e sul. "Foram cerca de 15, só o que eu vi", disse ele em determinado trecho de seu relato. Logo teve início a confusão, com funcionários da margem direita querendo ir embora, pois não tinham mais local para ficar.
Com os atos de vandalismos cerca de 30% do total de alojamentos foram destruídos pelos vândalos e uma caravana de operários que estão sem onde ficar foi encaminhada para a capital. De acordo com a assessoria de comunicação foram disponibilizados ônibus, alimentação e alojamento provisório em Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, estão sendo providenciados para triagem e encaminhamento dos trabalhadores às suas cidades de origem.
QUEM ESTÁ POR TRÁS DESTE VANDALISMO?!?!?  É TENSO O MOMENTO BRASIL!!!
ONDE ESTÁ O 153 DE PORTO VELHO?!?!?!? SOCORROOOOOOOO!!!!
$$$EMPREENDA E VENDA$$$
MARAVILHAS DE GARRAFAS PET











CULINÁRIA FÁCIL
ESCONDIDINHO DE FRANGO


INGREDIENTES

1 e 1/2 Kg de Mandioca
1 copo de requeijão
1 caixa de creme de leite
1 peito de frango
150 gr de queijo mussarela
1 cebola pequena picada
1 dente de alho picado
1 caldo de galinha
1 Tomate picado
2 colheres de sopa cheias de molho de tomate
Óleo
Sal
Cheiro verde
Pimenta

Preparação:
Em uma panela de pressão aqueça o óleo, refogue a cebola e o
alho, acrescente o caldo de galinha, coloque o peito de frango e
deixe refogar um pouco, depois coloque um pouco de água (quase
cobrindo o peito de frango) e deixe cozinhar na pressão por 10
min. Depois de cozido desfie o peito de frango e volte a panela,
acrescente o cheiro verde, o tomate picado e o molho de tomate,
refogue bem e reserve.
Cozinhe a mandioca na panela de pressão até ficar quase
desmanchando, depois amasse e faça um purê da mandioca,
acrescente o requeijão, o creme de leite e sal a gosto.
Em um refratário coloque uma camada do purê, depois coloque todo
o recheio de frango e mais uma camada do purê, coloque o queijo
mussarela por cima e leve ao forno para gratinar.

MOUSSE DE MARACUJÁ LIGHT


INGREDIENTES
1 xic de leite condensado light
1 xic de suco de maracujá
1 xic de creme de leite light
2 colheres de sopa de gelatina incolor
½ xic de água
Calda
½ xic de água
½ xic de suco de maracujá
2 colheres de açúcar
1 colher de amido
Enfeite
Sementes de um maracujá

MODO DE PREPARO:
Hidratar a gelatina na água
Misturar o leite condensado, o suco e o creme.
Aquecer a gelatina e misturar tudo.
Calda
Misturar os ingredientes, aquecer em uma panela até engrossar. Tirar a espuma caso se forme
Sementes
Ferver a poupa de um maracujá com bastante água. Fazer esse processo novamente. Descarte a água e a poupa, guardando apenas as sementes. Colocar as sementes no forno para secar.
RENDIMENTOS: 5 porções R$13,00

MENSAGEM...


AÇÃO SOCIAL FRATERNA!!!

Nenhum comentário: