Total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de abril de 2012

NR 13 - CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃO




NR 13
A norma regulamentadora NR 13, do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, estabelece requisitos compulsórios relativos a projeto, operação, manutenção e inspeção de caldeiras e vasos de pressão.

Devido a enorme diversidade e complexidade destes tipos de equipamentos, a interpretação destas exigências e o seu enquadramento na referida norma, podem ser muito complicados. Interpretações indevidas podem gerar elevados custos, interrupções da produção, sanções de orgãos fiscalizadores e até mesmo riscos de acidentes e agressões ao meio ambiente, desnecessariamente”.
De acordo com a norma reguladora do funcionamento de caldeiras e vasos de pressão (NR-13) , todo vaso de pressão e caldeira deve apresentar:
  1. Válvulas de segurança e sistemas/dispositivos de controle
  2. Placa de identificação com informações mínimas afixado em seu corpo e definição da categoria e grupo de risco que se enquadra.
  3. Prontuário
  4. Livro de registro de segurança.
  5. Projeto de instalação da caldeira.
  6. Projeto de alteração ou reparos.
  7. Relatório de Inspeção
  8. Manual de Operação em língua portuguesa.
Os tanques de ar-comprimido (compressores) e os cilindros hidro-pneumáticos (garrafas de moendas) também se enquadram nessa norma e devem apresentar os itens acima descritos.
Além disso devemos salientar que as caldeiras a vapor devem estar sob responsabilidade de um operador com certificado de Treinamento de Segurança para operação de caldeira.

Caldeiras e vasos de pressão são tranqüilamente seguras se forem tomadas todas as medidas de segurança e manutenção recomendadas, entretanto observa-se em muitos casos que a falta de informação e a imprudência contribuem para que acidentes como os relatados aqui aconteçam.

CASOS

Caldeira explode e provoca mortes
Uma das vítimas fatais estava a 40 metros de distância e foi atingida pelo equipamento
LUIZ AUGUSTO
CORREIA PINTO
A explosão de uma caldeira matou dois operários ontem. João Adão Correia, 48 anos, e Gilmar José de Souza, 40 anos, foram socorridos, mas morreram quando eram levados para o hospital.
O acidente ocorreu ontem por volta das 11 h30min, na madeireira Dalmina, às margens da BR-116, no distrito de Águas Sulfurosas, em Correia Pinto. Outros quatro funcionários sofreram ferimentos leves e estão internados em observação no Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, em Lages.
A força da explosão arremessou a caldeira de meia tonelada de aço a 40 metros. Ela caiu sobre o servente geral Gilmar Souza. João Correia, que não era funcionário da madeireira, estava no telhado sobre a caldeira, fazendo reparos na calha, e caiu de uma altura de quatro metros.
O acidente só não teve proporções maiores porque, apesar da explosão, não houve incêndio no local. A caldeira ficava anexa a um galpão onde são guardadas madeiras beneficiadas e trabalhavam 12 funcionários. De acordo com a direção da empresa, a caldeira havia sido instalada na segunda-feira e aprovada em todos os testes realizados.
No início da tarde, peritos da Polícia Civil de Lages trabalharam no local. O laudo deve estar pronto em 15 dias. Na opinião do tenente do Corpo de Bombeiros que atendeu a ocorrência, Edson Tadeu Stank, duas são as prováveis causas da explosão: falta de água na caldeira, ou falha na válvula de segurança.
O caldeirista João Maria de Oliveira estava a quatro metros da caldeira quando houve a explosão. Ele não lembra de muita coisa. Apenas que foi um barulho ensurdecedor e ele saiu correndo. "Mesmo assim fui atingido na cabeça pelos estilhaços das telhas", recorda Oliveira. Ele destaca que a caldeira tem capacidade para 10 mil quilos de vapor, e na hora da explosão estava com 5 mil quilos.
O encarregado de produção da madeireira, Dalberto Dalmin, garantiu que a empresa dará toda a assistência aos feridos, inclusive a família de João Correia, que não é funcionário.

Fonte: Diário Catarinense / SC
 
<><> <><> <><> <><> <><>
Fábrica explode em SP
SÃO PAULO - "Foi um grande susto, pensei que o prédio estava desabando"- comentou Elisabete Alves de Almeida Freire, minutos após a explosão do tanque de combustível de uma caldeira instalada na Industria de Lenços Presidente, a 150 metros de seu apartamento e na altura do número 800 da Avenida Radial Leste, O acidente aconteceu por volta das 10 horas da manhã de ontem, destruindo a parede da tinturaria da fábrica e quebrando vidraças de prédios vizinhos.

Não houve vítimas.

A diretoria da empresa nada quis falar sobre o acidente e de sua causa, mas alguns operários comentavam, ainda assustados com a forte explosão, que houve falha da válvula de segurança do reservatório de óleo da caldeira. "Mais de 40 pessoas trabalhavam na tinturaria, junto a caldeira, quando aconteceu o barulho e a parede ruiu. Ficamos com muito medo.

Mas ninguém saiu ferido - parece que foi milagre"- disse um empregado, que não se identificou temendo "represálias do patrão". Momentos depois, duas viaturas do Corpo de Bombeiros chegavam ao local - junto com uma viatura da Rádio Patrulha - mas logo foram embora, depois de inspecionar o prédio danificado. Um oficial disse ter dispensado rapidamente as viaturas porque não havia risco de incêndio.
Do outro lado da Avenida Radial Leste, dois edifícios e um revendedor de rolamentos foram afetados pela explosão; alem do susto, dezenas de janelas e vitrais de algumas portas ficaram despedaçadas. "De imediato imaginei acidente com botijão de gás no prédio"- disse o zelador Antonio Francisco de Aquimo, do Edifício Alcântara Machado, 799. Entretanto, ao correr para fora do prédio, o zelador notou que diversas janelas tinham seus vidros estilhaçados.

"E na direção da fábrica de lenços"- explica ele - "ainda deu para notar uma fumaça negra com poeira cobrindo tudo". Outro zelador, Antonio Pereira de Castro, do Prédio Don Pasquale - número 833 da Radial Leste - , enumerava os danos causados pela explosão e dizia que os prejuízos "deverão ser cobertos pela própria industria, que já prometeu pagar tudo para gente". Daniel Paciulle, da loja Rodarte, instalada no número 765, afirmava que seus prejuízos, "com as quatro vidraças quebradas, somam cerca de 50 mil cruzeiros ". Ele também recebeu a promessa da empresa para pagar os prejuízos. "Mas como garantia, temos apenas um pequeno cartão da industria de lenços "- observou. - Aconselha-se que geradores de vapor devem ser instalados em locais que possam oferecer boas condições de ventilação e temperatura. Os projetos dessas instalações deverão ser submetidos ä apreciação de um órgão regional competente em matéria de segurança do trabalho". A seguir, exemplos de outras orientações ditadas pelo DNSHT: - Toda Caldeira deve possuir, afixada em local visível, placa identificadora com as seguintes informações: número, nome e registro do fabricante; ano de sua fabricação; pressão máxima de trabalho permitida (Kg/cm2); área de superfície de vaporização (m2) e capacidade de produção de vapor (Kg/h ou t/h).
- Esses equipamentos devem ser acompanhados de prontuário com a documentação original do fabricante, abrangendo, no mínimo, especificações técnicas, desenhos detalhados, tipo de revestimento, provas ou testes realizados durante sua fabricação e montagem, características funcionais e a fixação da respectiva pmtp (por extenso), além de laudos de ocorrências diversas. - O proprietário do equipamento deve organizar, manter atualizados e apresentar quando exigidos pela autoridade competente o registro de segurança e o prontuário. - O registro de segurança constituirá livro próprio com páginas numeradas, onde serão anotadas, sistematicamente, as indicações de todas as provas efetuadas, inspeções internas e externas, limpezas e reparações e qualquer outros fatos de realce, tais como explosões, incêndios, superaquecimentos, rupturas, troca de tubos, de tambores ou de paredes, deformações, aberturas de fendas, soldas, recalques e interrupções de serviço.
Esse registro deve ser assinado mensalmente pelo operador responsável. - As caldeiras, instaladas em área apropriada, devem estar completamente, isoladas de locais em que se armazenam ou manipulam substâncias inflamáveis ou explosivas. Essa área não deve ser utilizada para nenhuma outra finalidade, com exceção de compressores, excluído, porém, o reservatório de ar comprimido. O local deve, também propiciar acesso fácil e seguro ás válvulas de segurança, registro, indicadores de nível de água, reguladores de alimentação e demais acessórios essenciais ä operação e segurança de uma caldeira.

 - A área de trabalho do foguista deve ser protegida contra intempéries e construída de material incombustível. Com relação ao item inspeção, a Portaria nº 3.214 estabelece que elas constarão de exames do prontuário original e do registro de segurança, vistoria interna e externa, fixação da pmtp, prova de pressão hidrostática, de suficiência das válvulas, do dispositivo de alimentação e do dispositivo de segurança de chama e de nível baixo e falta de água. Após essa verificação, o proprietário recebe um relatório de inspeção, documento que o livra de qualquer sanção por parte do DNSHT.
 
<><>
<><>
Explosão de caldeira em BH
BELO HORIZONTE - Sete operários morreram e outros 3 foram internados em estado grave, todos em decorrência de queimaduras causadas pela explosão, às 8h30min de ontem, de uma caldeira da usina de açúcar Rio Grande, a 27 Km de Passos, no sul de Minas.

A usina Rio Grande, maior produtora de açúcar de Minas havia paralisado suas atividades na noite de Sábado, devido à fortes chuvas que impediam o fluxo de cana até a unidade industrial e, no momento em que a equipe de onze técnicos da empresa acionava o gerador para reativar a produção, a caldeira explodiu, causando as vítimas por queimaduras e, possivelmente, também por choque elétrico.

A perícia realizada logo em seguida ao acidente, como parte do inquérito policial aberto pelo delegado de Passos, Adan dos Santos, não havia apurado ainda as causas. Morreram no local os operários Lideu Israel de Oliveira, 43, casado, encarregado mecânico e a 29 anos trabalhando na usina; Nelson Ribeiro de Lima, 48, casado; Eurico Marcos Galvão, 23, casado, e Edmilson de Oliveira Silva, 22, casado, todos três eletricistas.

Morreram ainda Carlos Roberto da Silva, 26, casado, mecânico de manutenção; Elcizo Vieira Costa, 26, casado, e Eliezer Rodrigues, 27, solteiro, ambos do departamento de serviços gerais. Os corpos, todos apresentando queimaduras generalizadas, foram encaminhados pela manhã para Passos.
Entre os feridos, todos internados no hospital da Santa Casa de Misericórdia de Passos, Osvander Ferreira Felipe, 31, casado, encarregado mecânico, e o que se encontra em estado mais grave, com queimaduras de segundo e terceiro grau em 95 % do corpo e até a tarde, permanecia no bloco cirúrgico do hospital. Os outros dois, Osmar Ferreira Felipe, 27, casado, irmão de Osvander, e Paulo Matias da Silva, 27, casado, ambos técnicos em análise laboratorial já não correm risco de vida, segundo o médico anestesiologista que os atendeu, César Faria Nunes.

Um quarto ferido, Antonio de Lima, foi imediatamente liberado, com queimaduras sem maior gravidade. O médico Pedro Messias da Silva disse que as queimaduras foram causadas por violentos jatos de vapor liberados pela explosão, com temperatura em torno de 170 ºC. Um outro funcionário da usina, que preferiu não se identificar, disse que, ao ser acionado um gerador de energia elétrica para reativar a usina o tubo de vapor rompeu-se numa das extremidades. A previsão da usina Rio Grande era uma produção este ano de 1,2 milhão de sacas de açúcar. Somente dentro de uma semana, quando estiverem concluídos os reparos técnicos, a empresa terá condições de operar normalmente. A mesma fonte informou que o defeito que conduziu à explosão é , por enquanto, inexplicável.















CONTRATE-NOS!!! É MUITO PERIGOSO!!!

<>
OBJETIVO: Capacitar profissionais para operar com segurança caldeiras instaladas em empresas, em atendimento à NR-13.
EXIGÊNCIA LEGAL: NR-13
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
- Noções de grandezas físicas e unidades;
- Tipos de caldeiras e suas aplicações;
- Partes de uma caldeira;
- Instrumentos e dispositivos de controle de caldeiras;
- Operação de caldeiras;
- Tratamento de água e manutenção de caldeiras;
- Prevenção contra explosões e outros riscos;
- Legislação e normalização;
- Demais assuntos referentes à operação de caldeiras.
CARGA HORÁRIA: 40 horas teóricas + estágio supervisionado.
PRÉ-REQUISITO: Ensino Fundamental - 1º Grau (Apresentar cópia autenticada do Atestado de Conclusão do 1º Grau, conforme exigência da NR 13 - item 13.3.6).
IMPORTANTE:
- O estágio supervisionado é obrigatório e deverá ser realizado na própria caldeira em que o aluno - Operador de Caldeira - for trabalhar. A carga horária mínima exigida para o estágio dependerá da categoria da caldeira: 80 horas (categoria A); 60 horas (categoria B); 40 horas (categoria C).
- Toda caldeira a vapor deve estar obrigatoriamente sob operação e controle de operador de caldeira, sendo que o não atendimento a esta exigência caracteriza condição de risco grave e iminente (NR-13, subitem 13.3.4), situação passível de interdição (NR-3), além da incidência de pesadas multas.

EMPREENDA ECO EFICIENTEMENTE!!!
RECICLANDO POTES DE SORVETE!!!


CULINÁRIA FÁCIL
MACARRÃO ASSADO...

Ingredientes. 500gr de macarrão tipo talharim
. 400gr de mussarela picada em cubos
. 400gr de presunto picado em cubos
. 1 copo de requeijão ou catupiry
. 1 colher (sopa) de azeite
. 1 dente de alho amassado
. 2 litros de água
. 1 lata de molho pronto de tomate
. Sal e pimenta a gosto
. Salsa e cebolinha picada a gosto
. Queijo ralado a gosto
Modo de preparo
Em uma tigela adicione a mussarela e o presunto e o requeijão, misture bem e reserve. Em uma panela grande adicione o azeite e leve ao fogo. Assim que esquentar refogue o alho amassado, deixe dourar e acrescente a água, o molho de tomate e os temperos e deixe ferver por 10 minutos. Em uma assadeira alta coloque o macarrão, formando ninhos. Com cuidado acrescente a mistura de mussarela por cima de cada ninho e cubra com o caldo, com o auxílio de uma concha, até quase cobrir o macarrão. Cubra a forma com papel alumínio e leve para assar em forno médio por 50 minutos. Depois, retire o papel e deixe por mais 5 minutos para secar. Na hora que retirar do forno salpique queijo ralado por cima e sirva imediatamente.

Dica: Para uma receita menos calórica, substitua o presunto por peito de peru.

 
ALETRIA - DOCE DE MACARRÃO
Ingredientes
- 150 g de manteiga
- 1 pacote de macarrão (500 g) aletria quebradinho com as
mãos
- 500 g de ricota amassada com garfo (pode ser light)
- 1 lata de leite condensado
- 1 xícara (chá) de nozes quebradas
- 3 xícaras (chá) de açúcar
- 2 xícaras (chá) água

Modo de Preparo

Numa frigideira grande, em fogo médio, derreta manteiga e frite
macarrão aletria quebradinho com as mãos até dourar. Reserve. Numa vasilha junte ricota amassada com o garfo, leite condensado
e nozes quebradas. Misture muito bem. Reserve. Coloque metade do macarrão frito num refratário (32 cm X 25 cm X 4,5 cm) de forma que ocupe todo o fundo, em seguida despeje a mistura de ricota e cubra com a outra metade do macarrão frito. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 20 minutos. Enquanto isso, numa panela prepare uma calda com açúcar e água. Leve em fogo médio até ponto de bala (10 a 15 minutos).
OBS: Se quiser troque 1 xícara (chá) de água por 1/2 xícara de
(chá) de água de flor de laranjeira (ou água de rosas) na calda.
Se não encontrar nenhuma das duas, faça sem. Retire o doce do forno e despeje sobre ele a calda, ainda quente. Espere esfriar e corte em pedaços do tamanho desejado. Não leve à geladeira.
Curiosidades:
Macarrão Aletria: o mesmo que macarrão cabelo-de-anjo (termo
indiano). Versátil, o macarrão aletria também é utilizado em confeitaria. Os melhores doces preparados com ele costumam ficar nas vitrines das casas árabes, com muito mel e amêndoas, em vários formatos. Há mais de cem tipos de massa no mercado. No caso das que têm o formato de fios, a diferença é a espessura e a largura. A ordem do macarrão mais fino ao mais grosso é: aletria ou cabelo de
anjo, espaguete, talharim, fetuccine, tagliatelle, pappardelle.
 
MENSAGEM...
 




 


Nenhum comentário: