Total de visualizações de página

quinta-feira, 5 de abril de 2012

DDS - SUA IMPORTANCIA EM PREVENÇÃO

Trata-se de um método usado na prevenção de acidentes e impactos ambientais.

Com o DDS,os princípios básico de Segurança, Meio Ambiente e Saúde são disseminados em toda organização.

A metodologia consiste na realização de uma breve reunião diária, com duração deaproximadamente 10 minutos.
Nossa experiência mostra que embora o DDS convencional seja uma excelente metodologiapara conscientizar os colaboradores da empresa sobre as questões pertinentes às suasatividades, na prática a sua implementação sofre uma série de dificuldades.

Entre as principais razões encontradas podemos citar:- assunto apresentado de forma confusa e com linguagem inadequada, sem considerar o nívelde entendimento dos participantes;- falta de habilidade para falar em público do apresentador e dificuldade em transmitir oconhecimento;- apresentação feita de forma monocórdia através da leitura de um texto.

Tendo identificado estes problemas nas empresas, foi detectada a necessidade de criar umaforma mais eficiente e atraente para aprensentar o DDS.
 
Temas Abordados:
 
O DDS aborda uma grande variedade de temas, tais como:Cuidados com o uso de solventes;Poluição causada por produto químico;Armazenamento de produtos inflamáveis;Riscos do choque elétrico;Proteção das mãos...etc!
 
Devem ser explanados de forma clara, coerente e contextual para que fique sem sombras de dúvidas como proceder conforme o tema proposto. O Técnico em segurança no trabalho deve saber o assunto e repassá-lo claramente.



DA LEI DO TRABALHO
A necessidade do trabalho é lei da natureza, isto é, é intrínseco no homem ter que trabalhar, para desenvolver o seu potencial intelectual e moral. Tanto é trabalho o do corpo quanto o da inteligência e, como resultado, temos uma aplicação moral desse trabalho, revertendo para o próprio indivíduo e para aqueles que o cercam, aumentando o seu património material e espiritual, do qual deve usufruir para a sua felicidade.



O conceito de trabalho varia de acordo com a ciência que o estiver analisando. Na física, é a produção de movimento ou de atividade a um corpo que resiste por meio de uma força outra. Na fisiologia, é o desgaste de energia na ação muscular ou mental. Na economia, é a atividade produtora de bens e serviços. Na filosofia, que faz uma síntese de todas as ciências, envolve, além disso, a criação e evolução do ser.
O trabalho é considerado uma lei natural porque trás implícito o elemento necessidade. Trabalha-se porque se tem que satisfazer às necessidades, que se ampliam conforme a civilização se torna mais complexa e dinâmica. Necessidade é a consciência de que nos falta algo. Conforme formos progredindo ,vamos tendo necessidade de uma quantidade maior de bens para atender à nossa demanda pessoal. Hoje, incorporamos ao nosso dia-a-dia diversos bens e serviços que no passado eram considerados supérfluos. Exemplo: informática. Quer queiramos ou não, temos de nos adaptar à nova civilização.
A disposição ao trabalho varia para cada um de nós. Muitas vezes, a má escolha da profissão, por não atender à nossa vocação, é causa de muitos dissabores. Optamos por uma profissão que nos dá mais dinheiro e esquecemo-nos de que devemos construir no trabalho a nossa própria personalidade. Independentemente de termos feito a escolha segundo a nossa vocação, a psicologia adverte-nos que devemos fazer esforços por gostar daquilo que estivermos fazendo.
A maioria de nós vê somente o lado material do trabalho, ou seja, o dinheiro ganho que poderá ser utilizado na compra de bens que nos propiciarão mais conforto. Importa não nos iludirmos com essa facilidade aparente. Muitas vezes, se não soubermos utilizá-los com racionalidade, ao invés de ser um bem é um mal. Observe o automóvel: se o utilizarmos em tudo, deixamos de andar a pé e poderemos vir a ter problemas cardíacos. Do mesmo modo é a televisão. A facilidade da notícia cria a mentalidade da notícia. Se não prestarmos atenção, raras vezes estaremos visitando a nós mesmos.
Para o marxismo, a felicidade estaria relacionada com os proventos materiais do trabalho. Para o Espiritismo e algumas doutrinas espiritualistas, a felicidade iria além dos proventos materiais, pois implicaria também a evolução espiritual do ser. Dessa forma, ao produzir um bem, deveríamos ver se tem utilidade para a sociedade, depois produzi-lo o mais perfeitamente possível. Exemplo: se tivermos de escrever uma carta, escrevamo-la o mais perfeitamente possível.
Lembremo-nos de que entre os trabalhos, o mais difícil é o trabalho interior, ou seja, o trabalho de reformulação de nossos hábitos e atitudes negativos. Assim, os nossos maiores esforços deveriam ser direcionados para esse mister, pois é o único bem que nenhum ladrão nos roubará. Importa metermos mão à obra.

Enquanto o trabalho animal é puramente instintivo e condicionado, o do homem é racional e criativo, permitindo-lhe desenvolver os seus potenciais divinos, pois não visa apenas a conservação do corpo e os bens materiais. O homem evoluído faz do trabalho um meio para atingir os seus fins espirituais de socialização.
O trabalho existe em função das necessidades que, quanto menos materiais forem mais, inclinam o homem para um trabalho menos penoso sob o ponto de vista físico. As necessidades materiais exigem um trabalho material, as espirituais um espiritual.
Quanto mais meios o homem possui para a sua manutenção e sustento mais obrigação moral tem de ser útil aos semelhantes, pois usar o que possui só para o seu gozo, caracteriza-o como egoísta e involuído. A posse de bens que extrapolem as suas necessidades obriga-o a ser útil aos semelhantes, sob pena de converter-se num entrave para o progresso moral e social do meio e da sociedade em que vive, podendo, de futuro, encontrar-se impossibilitado de desenvolver uma função voluntariamente desprezada, tendo que viver às expensas do trabalho alheio, sofrendo o peso dos limites que ele mesmo procurou.
Na sociedade atual, o trabalho dos pais a favor dos filhos (de uma maneira geral de uma geração anterior para uma sucessora) deve receber, como recíproca, uma acção de ajuda mútua, estabelecendo uma cadeia natural de trocas, que estabilize a sociedade. O mais velho ajudando a criança a ser adulta; esta, alcançando a maturidade e o seu mais alto potencial produtivo, deverá ajudar e amparar os que por ela tanto fizeram, e voltar-se também para as novas gerações, que precisam de ajuda e exemplos, e assim sucessivamente.

LIMITE DO TRABALHO - REPOUSO

O repouso, além de ter um papel na reparação das energias físicas, também serve como elemento importante na indução do espírito a procurar a liberdade da inteligência, alcançando a vertente da criatividade, fugindo, assim, do estreito anel das condições reflexas e limitantes de um trabalho rotineiro.
O limite do trabalho é o das forças e todo o abuso que se cometa será considerado suicídio indirecto, se for autonomamente imposto pelo próprio interessado, ou escravidão vil, se da responsabilidade de um terceiro. Tanto uma como a outra atitude configuram uma transgressão da lei de Deus.
Num meio social que leva em conta a lei de produção e consumo uma faixa etária nova é responsável pelo trabalho que assegura o bem-estar dos mais velhos, que já não podem produzir, mas que têm o direito de viver e gozar dignamente a sua velhice, e também é responsável pela educação dos mais novos, que se prepararam para contribuir a favor da sociedade e do mundo.
Por isso é que a lei da reprodução é importante na manutenção deste fluxo interminável, do qual são geradas as sociedades e a própria humanidade.

 

Fonte de Consulta

SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais. 3. Ed., São Paulo, Editora Matese, 1965.
KARDEC, A. O Livro dos Espíritos. São Paulo, FEESP, 1972.
 





EMPREENDA E SE SURPREENDA!!!EMBALAGEM PRA PRESENTES DE GARRAFA PET


 





 









NESTA PÁSCOA RESSUCITE A VIDA QUE HÁ VOCÊ!!!

CULINÁRIA FÁCIL
PIRARUCU SUBSTITUINDO O BACALHAU NESTA PÁSCOA
400 g de pirarucu fresco
1 dente de alho amassado
suco de 2 limões
8 camarões-rosa
1 cebola grande cortada em rodelas
2 tomates maduros cortados em rodelas
1 maço de cheiro verde (coentro)
Pimentinha verde a gosto
1 vidro de 250 ml de leite de coco
2 colheres (sopa) de azeite de dendê
azeite de oliva a gosto, sal a gosto.

Como Fazer Moqueca de pirarucu

Modo de preparo: Limpe o peixe e tempere com o alho, o limão e o sal. Coloque o peixe na panela de barro (aguidar) junto com o camarão e todos os temperos. Acrescente por último, o azeite de dendê. Deixe cozinhar por 10 minutos e sirva logo, acompanhado de arroz branco e farofa.    


MOUSSE DE LIMÃO & CHOCOLATE

Ingredientes:

  • 1 gelatina de limão
  • 1/2 xícara de cháde água quente
  • 1 leite condensado
  • 2 cremes de leite
  • raspas de limão
  • 1 pacotinho de gelatinas sem sabor (use apenas 1/3)
  • 300 gramas de chocolate meio amargo derretido em banho maria
  • 2 claras em neve
  • 1 colher de sopa de açúcar
  • 1/2 xícara de chá de leite

Modo de Preparo:

Dissolva agelatina de limão na água quente e misture ao leite condensado e a 1 creme de leite.
Reserve.
Em uma panela mistrue a gelatina sem sabor com o leite e deixe descansar por 5 minutos, depois leve ao fogo em banho-maria até dissolver, mas não deixe ferver. 

Misture o chocolate derretido em banho maria a esta mistura de leite e o outro creme de leite. Reserve. Bata as claras em neve e adicione o açúcar até obter um suspiro.

Divida este suspiro em 2 partes, misturando 1 parte no creme de limão e a outra parte no de chocolate.

Em taças ou um refratário bonito coloque o mousse de limão e leve a geladeira até firmar um pouquinho, depois coloque por cima o mousse de chocolate e retorne a geladeira.

Quando for servir, jogue um pouco de licor de menta por cima, as raspas de limão e decore com uma amêndoa em lasca. A receita rendeu 8 taças!

MENSAGEM...
A ESPERANÇA
 
Jesus, o Divino Missionário, veio à Terra trazendo a esperança de tempos melhores
para toda a humanidade
Mas se ele não se tornasse o exemplo vivo dessa esperança, todos padeceríamos, ainda, da cegueira que produz o desconhecimento.
Címbalos retinem, trazendo a esperança
de um novo tempo.
Mas se não nos movimentarmos, por nossa vez, difícil será alcançá-la.
Os genitores se envolvem na esperança
de que a prole se dignifique na vitória
em todos os setores.
Mas se não se dispõem à movimentação instrutiva e exemplificativa,
tal espera é inócua.
O discípulo inicia suas tarefas de aprendizado na esperança de açambarcá-lo.
Mas se, se refastela na inércia, na indolência, no culto ao ócio, a desesperança, no final,
será o seu laurel.
O Cristo aspira a evolução do seu espírito,
na esperança de felicidade perene.
Todavia, se não se ativer ao aprendizado e
à prática dos ensinos de Jesus, inscritos no Evangelho, resultará que a decepção s
obre si mesmo será o seu troféu.
O médium busca o inter-relacionamento com os desencarnados na esperança de soluções amoráveis em Jesus.
Contudo, se não se aplicar embasado no Pentateuco codificado, em lugar das potestades maiores, receberá as sutis
vibrações da desesperança que
prodigaliza o desequilíbrio.
Como vês, meu irmão amado, unge-te de esperança e mais esperança, movimentando-se na cadência do amor-razão, a fim de que ela
se faça para ti realidade, na sua comunhão
com a fé, casando-as com a caridade.
É que só seremos esperançadamente felizes, quando nos dispusermos à labuta pela felicidade alheia, que representa, sempre,
as belezas da paz.

Maria Angélica

Nenhum comentário: