sexta-feira, 20 de abril de 2012





RESÍDUOS - O QUE SÃO E COMO PODEM SER TRATADOS E REAPROVEITADOS

A palavra lixo tem origem do latim Lix, que significa cinza. Antigamente na Europa a maioria dos resíduos domésticos vinham do fogão e da lareira; eram restos de carvão, e cinzas. Já os restos de comida eram utilizados para ração animal. As cinzas nessa época era utilizadas para fabricar sabão.

O que é resíduo?

Resíduo pode ser considerado qualquer material que sobra após uma ação ou processo produtivo. Diversos tipos de resíduos (sólidos, líquidos e gasosos) são gerados nos processos de extração de recursos naturais, transformação, fabricação ou consumo de produtos e serviços.
O resíduo pode ser classificado em três grupos:
• Resíduo Residencial: é todo o resíduo produzido em nossa casa;
• Resíduo Comercial: é aquele produzido pelos estabelecimentos comerciais;
• Resíduo Público: resíduos de ruas, avenidas, praças, praias e feiras;
Temos também os lixos gerados por fontes especiais como: serviços de saúde, indústria, agricultura, radioatividade e processos químicos.

Prejuízos causados pelo resíduo:

• Poluição espacial;
• Poluição do ar: emissão de gases, poeiras, fumaças, queimadas, etc (lixo gasoso);
• Poluição das águas: rios, mares, lagos, oceanos, geleiras ,lençóis subterrâneos;
• Poluição visual;
• Mal cheiro e odores na sua putrefação;
• Deslizamento de terra: resíduo acumulado nos topos dos morros;
• Assoreamentos dos rios, lagos, e manguezais;
•Inundações das grandes cidades, entupimentos ou obturações de bueiros e boca de lobo;
• Prejuízo à navegação;
• Destruição da fauna e flora, terrestre e aquática;
• Acidentes terrestres e aéreos;
• Doenças através dos seus vetores (ratos,moscas, baratas e mosquitos) levando à morte por águas contaminadas.

O que é Coleta Seletiva?

É um sistema de recolhimento de materiais recicláveis: papéis, plásticos, vidros, metais e orgânicos, previamente separados na fonte geradora e que podem ser reutilizados ou reciclados. A coleta seletiva funciona também como um processo de educação ambiental, na medida em que sensibiliza a comunidade sobre os problemas do desperdício de recursos naturais e da poluição causada pelo resíduo.

O que é Reciclagem?

É o processo de transformação de um material, cuja primeira utilidade terminou, em outro produto. Por exemplo: transformar o plástico da garrafa PET em cerdas de vassoura ou fibras para moletom. A reciclagem gera economia de matérias-primas, água e energia, é menos poluente e alivia os aterros sanitários, cuja vida útil é aumentada, poupando espaços preciosos da cidade que poderiam ser usados para outros fins como parques, casas, hospitais, etc.

Reciclável é diferente de reciclado

Reciclável indica que o material pode ser transformado em outro novo material. Reciclado indica que o material já foi transformado. Algumas vezes, o material que foi reciclado pode sofrer o processo de reciclagem novamente. Certos materiais, embora recicláveis, não são aproveitados devido ao custo do processo ou à falta de mercado para o produto resultante.

Reciclar é diferente de separar

Reciclar consiste em transformar materiais já usados em outros novos, por meio de processo industrial ou artesanal. Separar é deixar fora do resíduo tudo que pode ser reaproveitado ou reciclado. A separação ou triagem do resíduo pode ser feita em casa, na escola ou na empresa. É importante lembrar que a separação dos materiais de nada adianta se eles não forem coletados separadamente e encaminhados para a reciclagem.

Teoria dos 3 R's:

Redução do uso de matéria-prima, energia e geração de lixo;

Reutilização dos materiais do nosso cotidiano;

Reciclagem dos materiais;

Esta técnica de aproveitamento de materiais dentro da metodologia dos 3 R's, se torna cada vez mais eficiente e imprescindível para um modo de vida mais saudável e responsável. Além da preservação dos recursos naturais do meio ambiente, a reciclagem se torna socialmente importante, desde o momento em que gera emprego e renda para os catadores de rua e dos lixões.

A Reciclagem e o meio ambiente

Uma das principais preocupações dos centros urbanos é a quantidade de lixo produzido pela população. Esta questão representa um dos maioresdesafios a serem enfrentados pelas administrações públicas, pois além dos problemas relacionados aos catadores dos lixões e à falta de espaço para disposição dos resíduos, deve também ser levada em conta a preservação do meio ambiente.
A atitude de reciclar, além de diminuir a quantidade de lixo a ser tratada e eliminada, contribui significativamente para a redução da extração de matérias primas necessárias à produção de novos bens de consumo. Afinal, adotar a educação ambiental, colocando os resíduos recicláveis nos locais devidos, não nos custa nada e ainda promove uma melhor qualidade de vida para toda a população.

Lixo Infectante

Todo o lixo proveniente de medicamentos, materiais hospitalares ou infectantes deve ser separado e armazenado de maneira diferente do lixo comum, para não ocorrer nenhum tipo de contaminação das pessoas ou da natureza pelos produtos químicos presentes neles.
Veja o que é e como deve ser armazenado o lixo infectante:
Resíduos Biológicos e/ou Infectantes: materiais perfurantes e cortantes; bolsas de sangue; produtos de fecundação sem sinais vitais; todos os resíduos provenientes de pacientes em estado de isolamento; materiais descartáveis que tenham entrado em contato com quaisquer fluidos orgânicos.
Armazenamento: Saco plástico resistente, impermeável, identificado com simbologia de resíduo infectante. Os perfurantes e cortantes devem ser descartados em recipientes vedados e rígidos, identificados com a inscrição "PERFURO-CORTANTE".

Qual é o tempo que estes materiais levam para se decompor?

<><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><> <><>

Material


Tempo de decomposição


Papel

de 03 a 06 meses

Pano

de 06 meses a um ano

Filtro de cirgarro

05 anos

Goma de maschar (chiclete)

05 anos

Madeira pintada

13 anos

Nylon

mais de 30 anos

Plástico

mais de 100 anos

Metal

mais de 100 anos

Borracha

tempo indeterminado

Vidro

Tempo indeterminado

Lata de aço

50 anos

Garrafa plástica

450 anos

Copo plástico

50 anos

Lixo radioativo

250.000 anos

Caixa de papelão

02 meses

Lata de alumínio

200 anos

Linha de nylon

650 anos

Bóia de isopor

80 anos

O que é a reciclagem?

A reciclagem é o resultado de um conjunto de técnicas e atividades que tem o objetivo de reaproveitar e reutilizar os resíduos de substâncias em seus ciclos de produção. Hoje, já se encontram várias alternativas de reaproveitamento destes materiais em confecções de produtos artesanais, vestuário, acessórios, etc.

Qual a importância da reciclagem?

Cada vez mais se faz necessário o cuidado e a atenção com o meio ambiente. O desequilíbrio provocado pela devastação de recursos naturais está colocando em risco, não só espécies animais e vegetais, mas a sobrevivência do próprio homem no planeta. Uma das formas de revertermos esta situação é com reaproveitamento de materiais recicláveis, evitando uma maior extração de recursos e diminuindo o acúmulo de lixo nas áreas urbanas.

Quais as vantagens da reciclagem?

Entre outras:
1 – Redução da quantidade de resíduos encaminhados ao aterro sanitário com conseqüente aumento da sua vida útil;
2 – Redução dos impactos ambientais durante a produção de novas matérias primas;
3 – Redução no consumo de energia elétrica;
4 – Redução da poluição ambiental;
5 – Ampliação do desenvolvimento econômico pela geração de novos empregos na operacionalização dos materiais recicláveis e na expansão dos negócios relativos à reciclagem.
6 - Gera empregos diretos e indiretos.

Materiais Recicláveis

Vidros

O vidro é um produto inorgânico que possui características modernas e versáteis, permitindo total liberdade de utilização, sendo a única matéria prima 100% reciclável. A reciclagem do vidro vem se tornando uma prática em nossa sociedade. Atualmente, o Brasil já recicla suas embalagens produzidas, mas ainda é um número muito baixo comparado a outros países.
Assim como outros materiais, se for rejeitado junto com outros resíduos, o vidro não se aproveita e nem se decompõe.
No entanto, a sua reciclagem é simples. A fabricação de uma tonelada de vidro reciclado evita a extração de uma tonelada de areia. Além disto, gasta-se menos de 32% de energia, 50% de água e evita em 20% a poluição atmosférica inerente ao processo de fabricação.

Plásticos

O plástico é um material proveniente de resinas geralmente sintéticas e derivadas do petróleo. Com a reciclagem de plásticos poupa-se a extração de combustíveis fósseis que são esgotáveis. Ambientalmente o uso do plástico é considerado problemático pela sua alta durabilidade e grande volume na composição total do lixo.
Quando depositados em lixões, apresentam risco pela queima indevida e sem controle, que pode resultar em emanações tóxicas na atmosfera.
Quando colocado em aterros sanitários, esse material dificulta a compactação do material e prejudica a decomposição dos elementos biologicamente degradáveis.

Metais

Os minérios são substâncias encontradas em solos e rochas de onde é possível extrair os metais. Alguns metais, tais como o ferro e o cobre, são extraídos dos minérios já na forma a se utilizada. Outros, como o aço e o bronze, precisam ser associados a outras substâncias (ex: aço = ferro + carvão).

Papeis
Atualmente, a maior parte dos papéis (95%) é feita a partir do tronco de árvores cultivadas; as partes menores, como ramos e folhas, não são aproveitadas, embora as folhas e galhos possam também ser utilizados no processo. No Brasil o eucalipto é a espécie mais utilizada, por seu rápido crescimento, atingindo em torno de 30 m de altura em 7 anos.
O papel é formado por milhões de fiapos que vêm de plantas, que chamamos de FIBRAS. (você pode fazer uma experiência simples, rasgando uma folha de papel e observando a borda irá notar os fiapinhos). Existem vários tipos de papel. Ele pode variar em peso, espessura, entre outras coisas.
Mas é sua estrutura porosa, semelhante a algumas rochas (como a pedra pome), que lhe dá características especiais, diferenciando-o dos tecidos de algodão.

Cuidados

Todos os materiais devem estar limpos, secos, sem resíduos líquidos comidas ou gorduras para não se tornarem possíveis focos de transmissão de doenças. Caixas de papelão devem ser desmontadas. No caso dos vidros, caso estejam quebrados, os pedaços dvem ser enrolados em pedaços de papel grosso.
O MAIOR PROBLEMA ATUAL BRASILEIRO É O DESCARTE INADEQUADO DE LIXO HOSPITALAR ALTAMENTE PERIGOSO!!!

$$$EMPREENDA FAÇA E VENDA$$$
PAPEL ARTEZANAL
 
Bloquinho - Floral

CULINÁRIA FÁCIL
ARROZ DE FORNO


Arroz de forno light

Ingredientes
- 1 xícara de chá de cenoura picada em cubinhos cozida
- 1 xícara de chá de ervilha em conserva
- 1 xícara de chá de milho em conserva
- 2 xícaras de chá de arroz integral cozido
- ½ xícara de chá de leite desnatado
- 1 colher de sobremesa de margarina light
- 2 colheres de sopa de salsa picada
- 2 colheres de sopa de cebolinha picada
- 1 cebola média cortada em cubos pequenos
- 200 gramas de peito de peru defumado e moído
- sal a gosto
- 1 gema
Para polvilhar
- 1 colher de sopa de queijo parmesão ralado
- 1 colher de sopa de farinha de rosca integral
- 1 colher de café de páprica doce
Modo de fazer
Coloque em uma frigideira a margarina e a cebola para refogar por dois minutos, junte o sal, a ervilha, a cenoura, o milho e o peru, deixe refogar misturando bem os ingredientes. Retire do fogo e junte o arroz, mexa delicadamente com um garfo.
Separadamente, bata a gema e junte com o leite, a salsa e a cebolinha e despeje sobre o arroz. Misture tudo e coloque em um refratário sem amassar o arroz. Polvilhe com o queijo, a farinha de rosca e a páprica, leve ao forno pré-aquecido, por vinte minutos. Sirva quente.

MANJAR COM AMORAS

Ingredientes
• 1 vidro de leite de coco
• 1 lata de leite condensado
• 1 lata de creme de leite
• 1 pacote de gelatina incolor
• 1 caixa de amora
• 5 colheres de sopa de açúcar

MODO DE PREPARO DO MANJAR
Bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque em uma forma de pudim e leve a geladeira. Depois que endurecer a gelatina sirva.

MODO DE PREPARO DA CALDA
Coloque as amoras em uma pequena panela, aqueça e misture ao açúcar. Deixe ferver, mexendo de vez em quando, por aproximadamente 15 minutos. Só esperar esfriar e servir.

MONTAGEM DA
SOBREMESA
Desenforme o manjar e cubra com a calda de amora. Bom apetite.

Ingredientes – para 10 porções
MENSAGEM...

Reflexões sobre o tradicionalismo e o
verdadeiro patriotismo
...

O Espiritismo é uma doutrina profundamente associada aos conceitos mais elevados de educação. Equilibrando a busca pela verdade sobre o “tripé” do bom senso constituído por Filosofia, Ciência e Religião, o Espiritismo não se restringe à tarefa de esclarecer, mas, igualmente, conclama seus adeptos a uma aplicação prática de seus postulados nas mais variadas situações da vida. Essa visão lúcida e profunda constitui realmente em um primeiro passo para o desenvolvimento efetivo de um processo lento e gradual de eliminação das chamadas “bengalas psicológicas”, que as ilusões materiais geram no indivíduo devido à sua própria invigilância.
De fato, a busca sincera pela Verdade exige coragem, desapego, eliminação de preconceitos arraigados, meditação constante e um elevado grau de capacidade de crítica e autocrítica. Essa busca tende a minimizar fixações atávicas para o Espírito imortal, tais como o “milagre”, o “maravilhoso”, o “mítico”, o “místico”, o “mágico”, o “folclórico”, o “simbólico” e o “tradicional”.
Muitos indivíduos defendem, nas diversas áreas do comportamento humano, a continuidade de certas atitudes infelizes, argumentando que aquela “tradição deve ser cultivada e perpetuada”. Será? Se a resposta for sim, resta-nos indagar por segunda vez: Por que razão?
Jesus afirmou (Mateus 9:16): “Ninguém põe remendo de pano novo em vestido velho”. E várias vezes o Mestre enfatizava: “Tendes ouvido o que vos foi dito, eu, porém, vos digo...”. Portanto, é evidente que Jesus não era propriamente um “tradicionalista”. O comportamento pretérito que era correto, à luz do Amor Maior que Ele preconizava, era confirmado e reforçado pelo “Governador da Terra”, mas o que estava equivocado em relação às Leis Divinas era firmemente combatido pelo “Filho do Homem”. Vale acrescentar que o próprio Jesus foi duramente antagonizado pelos chamados “Doutores da Lei”, justamente por não respeitar uma série de hábitos tradicionais associados, via de regra, a um excessivo apego às manifestações exteriores, em detrimento do verdadeiro Amor no coração e de suas inevitáveis conseqüências em matéria de boas ações para com a Vida e o Semelhante. A título de ilustração vale lembrar a categórica frase do Mestre: “O sábado foi criado para o homem e não o homem para o sábado”.
Um notável exemplo que reforça o entendimento da inigualável exemplificação de Jesus diz respeito ao próprio Codificador do Espiritismo. De fato, se Allan Kardec analisasse os fenômenos mediúnicos de seu tempo respeitando demasiadamente os paradigmas científicos, filosóficos e religiosos tradicionais, não teria proporcionado ao mundo a Luz da Verdade. O mesmo raciocínio pode ser estendido a vários homens notáveis que inovaram, inventaram e revolucionaram o conhecimento humano nas mais diversas áreas de atuação da criatura humana. Realmente, exemplos como Newton, Edison, Pasteur, Koch, Einstein, Marie Curie, Gandhi, entre outros, constituem figuras indeléveis na História Universal, pois tiveram a capacidade intelectual e a coragem moral para se colocarem em oposição ao status quo vigente em suas respectivas épocas e áreas de atuação. Tais convenções sociais limitadas somente puderam ser superadas com estudo, trabalho, inteligência e criatividade destes pioneiros, que verdadeiramente foram Missionários da Humanidade.
Assim sendo, se o ser humano sempre mantivesse um comportamento tradicionalista, a escravidão, por exemplo, ainda seria chancelada pelas leis civis de diversos países. Obviamente, nós temos a obrigação de “separar o joio do trigo”, mantendo e ampliando as atitudes positivas e verdadeiras do passado bem como eliminando aquelas eivadas pela nossa ilusão.
Neste contexto, é interessante discutir a complexa questão do Amor à Pátria, que em sua essência, é um sentimento extremamente nobre e em concordância com os princípios evangélicos. Entretanto, na história da humanidade, o patriotismo, que, a priori, é algo muito positivo, foi utilizado como argumento para as mais diversas manifestações de racismo, ódio, assassinatos etc. Guerras terríveis foram fomentadas empregando e deturpando esse valor moral denominado “Patriotismo”, o que ceifou milhões e milhões de vidas.
Obviamente, o Amor à própria Pátria de maneira nenhuma significa o desprezo e muito menos o ódio pela Pátria alheia. Aliás, o entendimento da realidade reencarnacionista explicita a infantilidade espiritual deste tipo de comportamento, uma vez que podemos nascer em inumeráveis países. Logo, em seu processo educacional, as crianças deveriam ser instruídas por pais e professores a amarem seu país através do trabalho, da educação e do respeito ao semelhante e ao ambiente, em todos os níveis. Esta proposta, sim, seria o verdadeiro Patriotismo, à luz do Evangelho de Jesus. Inclusive, era essa a opinião do jovem professor Rivail, que, com pouco mais de 20 anos, elaborou o seu “Plano Proposto para Melhoria da Educação Pública”, enfatizando que a educação, tanto do ponto de vista intelectual como do ponto de vista moral, seria a melhor forma de fortalecer a nação.
De fato, memorizar o hino nacional ou adquirir atitudes tipicamente militares de maneira nenhuma denota o verdadeiro Patriotismo. Essas atitudes externas, muito associadas ao nosso passado belicoso, em nada representam o verdadeiro amor à nossa coletividade, o que, obviamente, não deve excluir outros grupos de irmãos. O próprio esporte que deveria ser, e em essência é, uma forma de confraternização entre indivíduos e países, muitas vezes usa do argumento patriótico para acirrar rivalidades nacionais e até mesmo justificar atitudes de violência e profunda grosseria, que são oriundas de nossas paixões primitivas.
É muito interessante notar que muitos países têm em seus hinos nacionais verdadeiras odes à guerra e à destruição “dos povos inimigos”, o que nos remete, indiretamente, às interpretações religiosas calcadas no Velho Testamento, que enfatizam os questionáveis conceitos de “Povo escolhido”, “Povo de Deus” etc. Ora, todo povo é escolhido e todo povo é de Deus. Aliás, somos um só povo e isso inclui habitantes de outros mundos e de outras galáxias, as quais são as “muitas moradas da casa do Pai”.
Mesmo no meio espírita, é possível notar certo ufanismo exagerado a respeito do Brasil, utilizando de forma deturpada a famosa frase-título de Humberto de Campos: “Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho”. É claro que o Brasil tem um papel importantíssimo na transformação moral já vigente no planeta, mas isso não significa privilégio de nossa nação ou demérito das demais. “A cada um segundo suas obras”, disse Jesus, e isso se aplica tanto aos indivíduos como às coletividades. Por outro lado, “a quem mais foi dado, mais será cobrado”, uma vez que a consciência, que é a Lei de Deus em nós, nos cobra de acordo com nosso nível de lucidez.
Lembremos o exemplo de “Mahatma” Gandhi e não sejamos escravos de denominações, minimizando o nosso bairrismo e buscando o legítimo sentimento patriótico, que não exclui o amor e o respeito aos demais países. Muito pelo contrário, quanto mais fraternos e cordiais com os demais povos, mais nós demonstraremos a grandeza de nosso país, pois, conforme Jesus nos ensinou, “se quisermos ser o maior, que sejamos o servidor de todos”.
LEONARDO MARMO MOREIRA
 LIVRO: O CONSOLADOR - REVISTA SEMANAL ESPÍRITA





Um comentário:

anália adriana disse...

Que legal ver um trabalho meu num post sobre reciclagem tão cheio de dicas e informações ;)