Total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

O PORQUÊ DO FERIADO DE 07 DE SETEMBRO NO BRASIL!!!

Independência do Brasil

Brasil livra-se da condição de colônia


Em 7 de setembro  de 1822, o Brasil livrou-se da condição de colônia, conquistando sua independência política. O movimento de independência foi o resultado de uma forte reação das camadas sociais mais abastadas, às pretensões e tentativas das Cortes de Lisboa de restabelecer o pacto colonial.


Mas, para entendermos os acontecimentos que culminaram com o movimento de independência, é necessário considerar o período de permanência do governo português no Brasil. A partir daí ocorreram importantes transformações políticas, sociais e econômicas que marcariam os últimos anos do domínio colonial lusitano.

O estabelecimento do governo português no Brasil encerrou quatro séculos de monopólio comercial, ao mesmo tempo em que pôs em prática uma política de aumento de impostos. Porém, enquanto as mudanças nas relações comerciais da Colônia favoreceram a burguesia comercial inglesa (em detrimento dos comerciantes reinóis), o aumento de impostos prejudicou as camadas populares, parcelas da burguesia comercial, e até mesmo os grandes proprietários agrários.




Retorno do rei a Portugal


Assim, o descontentamento com o governo de dom João 6º . não tardou a se manifestar. Em 1817, eclodiu a insurreição pernambucana, que não teve êxito. Em 1820, o reino de Portugal foi palco da revolução Liberal do Porto. Os revolucionários lusitanos convocaram as Cortes Gerais. Entre suas deliberações, exigiram o retorno imediato de dom. João 6º. a Portugal. O monarca decidiu voltar, mas antes de fazê-lo concedeu poderes ao seu filho dom Pedro, para governar o Brasil na condição de regente.
As Cortes de Lisboa promulgaram uma série de decretos anulando os poderes regenciais de dom Pedro. Quando ficou evidente que as Cortes tinham por objetivo recolonizar o Brasil, começou a se formar uma ampla aliança anticolonialista, integrada por diversas forças sociais que compunham a sociedade brasileira daquele período. Mas as lideranças desses grupos divergiam profundamente sobre os rumos do movimento de independência.


Conservadores e radicais


Para os conservadores, a independência pressupunha tão somente a obtenção de autonomia administrativa e liberdade de comércio. Os radicais, porém, defendiam a ruptura com a antiga metrópole, e iam além, ao questionar as relações de dominação vigentes, baseada no trabalho escravo e na grande propriedade agrária. Os partidários do conservadorismo estavam vinculados aos grandes proprietários, ao comércio e à burocracia oficial. O representante mais notório do pensamento conservador foi José Bonifácio de Andrada e Silva .
Já os radicais tinham maior inserção entre bacharéis, letrados, padres, jornalistas, funcionários públicos e militares. Entre os defensores do radicalismo estão Gonçalves Ledo, Januário da Cunha Barbosa e Cipriano Barata. A união desse grupo heterogêneo resultou na criação do Partido Brasileiro, também conhecido por Partido da Independência, que daria sustentação social e política ao movimento de independência.


O "Dia do Fico"


Pressionado pelas Cortes de Lisboa para regressar à Portugal, dom Pedro recebeu, em janeiro de 1822, uma petição com 8 mil assinaturas solicitando a sua permanência. Sua decisão foi tomada com base numa frase célebre: "Como é para o bem do povo e felicidade geral da nação, estou pronto, diga ao povo que fico", que deu origem ao chamado "dia do Fico". A decisão expressou publicamente a adesão do regente à causa brasileira.

A partir de então, sucederam-se os atritos políticos com as Cortes de Lisboa. Ministros portugueses pediram demissão. Formou-se um novo ministério, e José Bonifácio de Andrada e Silva foi nomeado ministro do Reino e Negócios Estrangeiros. Em maio de 1822, o príncipe regente aceitou o título de Defensor Perpétuo do Brasil, oferecido pelo Senado da Câmara do Rio de Janeiro. Em junho, decidiu convocar uma Assembléia Constituinte. Em agosto, resolveu considerar inimiga as tropas portuguesas que eventualmente desembarcassem no Brasil.


"Independência ou morte"

As Cortes de Lisboa elaboraram um decreto que anulava os poderes de dom. Pedro. Este último acontecimento, teve como conseqüência a declaração formal de independência do Brasil, proclamada por dom Pedro em 7 de setembro de 1822, às margens do riacho Ipiranga, em São Paulo: "É tempo (...) independência ou morte (...) Estamos separados de Portugal". Em dezembro de 1822, ele foi coroado imperador do Brasil, tornando-se Pedro 1º
Iniciavam-se o Império e o Primeiro reinado.
Renato Cancian é cientista social, mestre em sociologia-política e doutorando em ciências sociais, é autor do livro "Comissão Justiça e Paz de São Paulo: Gênese e Atuação Política -1972-1985" (Edufscar).





INDEPENDENCE DAY BRASIL - 07 SEPTEMBER OF 1822

Independence of Brazil Brazil free-if the condition of the colony In September 7, 1822, Brazil got rid of the condition of the colony, gained its political independence. The independence movement was the result of a strong reaction from the wealthiest social strata, to claims and attempts of the Cortes of Lisbon to restore the colonial pact.  But, to understand the events that culminated in the independence movement, it is necessary to consider the period of permanence of the Portuguese Government in Brazil. From there occurred important political, social and economic transformations that would mark the last years of colonial rule lusitano.  The establishment of the Portuguese Government in Brazil ended four centuries of trade monopoly, while put in place a policy of raising taxes. However, while changes in the trade relations of the colony favored the English business bourgeoisie (to the detriment of traders from pilão), the increase ...
Return of the King to Portugal So, discontent with the Government of dom João VI. no time to manifest themselves. In 1817, the pernambucan insurrection broke out, which was unsuccessful. In 1820, the Kingdom of Portugal was the scene of the Liberal revolution of Porto. The revolutionaries lusitanos convened the Cortes Generales. Between its deliberations, demanded the immediate return of dom João VI. the Portugal. The monarch decided to return, but before doing so granted powers to his son, dom Pedro, to govern Brazil in condition of Regent.  The Cortes of Lisbon promulgated a number of decrees nullifying the Regency powers of dom Pedro. When it became evident that the courts had to re-colonize Brazil, began to form a broad alliance, comprised of many anti-colonialist social forces that formed the Brazilian society of that period. But the leaders of these groups differed profoundly on the directions of the independence movement.  


Conservatives and radicals for conservatives
For conservatives, the independence assumed so only getting administrative autonomy and freedom of trade. The radicals, however, defended the break with the former metropolis, and went further, questioning the current domination relationships based on slave labor and large agrarian property. Supporters of conservatism were tied to large owners, trade and official bureaucracy. The most notorious representative of conservative thought was José Bonifácio de Andrada e Silva.  Already the radicals had greater insertion between alumni, literati, priests, journalists, civil servants and the military. Among supporters of radicalism are Gonçalves Ledo, Januário da Cunha Barbosa and Cipriano Barata. The Union of this heterogeneous group resulted in the creation of the Brasilian party, also known by Independence Party, which would give social and political support to the independence movement.

The "Fico" Pressed by the Cortes of Lisbon to return to Portugal, dom Pedro received in January 1822, a petition with 8 thousand signatures requesting their permanence. Its decision was taken on the basis of a famous phrase: "as it is for the good of the people and general happiness of the nation, I am ready, tell the people that I am", which gave rise to the so-called "day of". The decision expressed publicly the accession of Regent to the cause.  From then on, followed the political friction with the courts of Lisbon. Portuguese Ministers resigned. Formed a new Ministry, and José Bonifácio de Andrada e Silva was appointed Minister of the Kingdom and Foreign Affairs. In may 1822, the Prince Regent accepted the title of perpetual defender of Brazil, offered by the Senate Chamber of Rio de Janeiro.
In June, decided to convene a constituent Assembly. In August, decided to consider the Portuguese troops enemy that eventually disembarked in Brazil.  "Independence or death," the courts of Lisbon have drawn up a decree annulling the power of dom Pedro. This last event, had as a consequence the formal declaration of independence of Brazil, proclaimed by dom Pedro in September 7, 1822, on the shores of the Ipiranga River in São Paulo: "it's time (...) independence or death (...) We are separated from Portugal ". In December 1822, he was crowned Emperor of Brazil, Pedro becoming 1.  Began the Empire and the First 
$$$EMPREENDA, FAÇA E VENDA$$$























CULINÁRIA FÁCIL...


Tempo   30min (+6h de geladeira)

Rendimento    10 Porções

Dificuldade   Fácil


Ingredientes

1 pacote de gelatina em pó sem sabor

1 xícara (chá) de água quente

300g de salaminho

1 tablete de caldo de frango

200g de maionese

1 lata de creme de leite

3 gotas de molho inglês

Azeite ou óleo para untar

Raspas e rodelas de limão para decorar


Modo de preparo

Dissolva a gelatina em pó na água quente e leve ao banho-

maria por 20 minutos. Bata todos os ingredientes no 

liquidificador. Coloque em fôrma untada com azeite ou óleo 

e deixe descansar na geladeira por 6 horas. Decore com 

raspas e rodelas de salame, azeitonas e limão.



SALAMINHO DE CHOCOLATE


.300 g de chocolate meio amargo

300 ml de creme de leite fresco

.30 g de sucrilhos

.1 xícara (chá) de água

.2 xícaras (chá) de açúcar

.1 xícara (chá) de amoras.framboesas ou qualquer fruta 
vermelha congelada


Modo de preparo:

Derreta o chocolate meio amargo em banho-maria. Junte 
o creme de leite, batendo constantemente, até obter uma 
mistura lisa e brilhante. Deixe esfriar, misturando 
ocasionalmente para que fique uma consistência grossa. 
Acrescente os sucrilhos e mexa bastante. Quando a 
massa estiver bem firme em ponto de enrolar, modele-a 
como um salame e enrole-a em um filme plástico. Leve 
ao freezer por aproximadamente quatro horas. Faça uma 
calda em ponto de fio grosso com a água e o açúcar, 
junte as frutas picadas e deixe apurar. Retire do fogo e 
espere esfriar. Na hora de servir, retire o salame do 
freezer e deixe-o descansar por cerca de cinco minutos. 
Depois corte-o com uma faca aquecida e sirva com a 
calda de framboesa separadamente.
MENSAGEM:


Nenhum comentário: