sexta-feira, 20 de junho de 2008

Questionário sobre Fadiga




Questionários bipolares

Uma técnica relativamente simples de avaliação da fadiga no trabalho é a utilização de questionários bipolares, desenvolvidos inicialmente pelo prof. Nigel Corlet, de Nottingham, Inglaterra, utilizando os mesmos princípios de testes qualitativos conhecidos como escalas de Likert.
Um questionário bipolar típico contém uma seqüência de pares de adjetivos, conforme exemplificado a seguir, sendo que em cada par, num extremo está uma situação, e no outro extremo a situação oposta, sempre referentes à sensação do indivíduo naquele instante do trabalho. Caso se identifique com o extremo da situação de ausência de fadiga ou de dor, marca-se o número 1, com o extremo da situação de fadiga ou de dor, marca-se o número 7; intermediariamente, marca-se o número 4; se com tendência para o lado da ausência de fadiga, marca-se 3 ou 2; se com tendência para o lado da fadiga ou cansaço, marca-se 5 ou 6. Questiona-se se os números deveriam ser de 1 a 7 ou apenas de 1 a 5; assim como alguns propõem que exista apenas uma linha, e que o pesquisador meça a distância do ponto marcado pelo trabalhador ao extremo da linha; mas qualquer uma dessas ponderações não é mais que o questionamento de detalhes da técnica, que em si funciona a contento em suas diversas modalidades.



Um modelo de questionário bipolar

01) Descansado 1 2 3 4 5 6 7 Cansado

02) Boa concentração 1 2 3 4 5 6 7 Dificuldade de
concentrar

03) Calmo 1 2 3 4 5 6 7 Nervoso

04) Produtividade normal 1 2 3 4 5 6 7 Produtividade
comprometida

05) Descansado visualmente 1 2 3 4 5 6 7 Cansaço visual

06) Ausência de dores nos 1 2 3 4 5 6 7 Dor nos
músculos do pescoço e ombros músculos do
pescoço e ombros

07) Ausência de dor nas costas 1 2 3 4 5 6 7 Dor nas costas

08) Ausência de dor na região 1 2 3 4 5 6 7 Dor lombar
lombar

09) Ausência de dor nas coxas 1 2 3 4 5 6 7 Dor nas coxas

10) Ausência de dor nas pernas 1 2 3 4 5 6 7 Dor nas pernas

11) Ausência de dor de pés 1 2 3 4 5 6 7 Dor nos pés

12) Ausência de dor de cabeça 1 2 3 4 5 6 7 Dor de cabeça

13) Ausência de dor nos braços 1 2 3 4 5 6 7 Dor nos braços
Instruções para o uso correto
do questionário bipolar

# Na medida do possível, o questionário deverá ser preenchido pelo trabalhador na presença do profissional que esteja conduzindo a pesquisa ou do auxiliar de pesquisa. Excepcionalmente poderá ser preenchido diretamente pelo próprio trabalhador na ausência daqueles;

# É muito importante instruir bem o trabalhador sobre o significado dos extremos e assegurar-se que o mesmo entendeu. Também é muito importante um bom contrato psicológico com o trabalhador, para que o mesmo não falseie os resultados;

# Num dia típico de trabalho, aplica-se 8 questionários a um trabalhador, nos seguintes horários:
. ao iniciar a jornada
. 2 horas após o início da jornada
. 3 horas após
. 4 horas após
. 1 hora após o almoço/jantar
. 2 horas após o almoço/jantar
. 1 hora antes do término da jornada
. ao término da jornada

# Sob certas circunstâncias (dificuldade operacional, pessoal trabalhando longe), é possível aplicar apenas 3 folhas (uma ao início, uma antes do almoço, e uma ao final da jornada).

# Deve-se em cada folha mudar a ordem das questões (por exemplo, o par descansado/cansado, que é o primeiro item da folha inicial, deve estar no décimo item da segunda folha, no quarto item da terceira folha, e assim por diante; isso visa evitar que o trabalhador se lembre do que respondeu em cada questão na hora anterior; naturalmente, é muito importante que ele não veja o resultado anterior; e é também importante que a ordem dos pares na primeira folha daquele dia de trabalho coincida com a última, pois isto possibilitará uma interpretação rápida e fácil.


Interpretação do questionário bipolar

a) Forma qualitativa: indica se a pessoa desenvolveu fadiga ou não em relação aquele item;
. Se no final da jornada a pessoa tiver pontuado 4 ou 5, FADIGA MODERADA
. Se no final da jornada a pessoa tiver pontuado 6 ou 7, FADIGA INTENSA
. Isto é valido desde que no início da jornada, naquele item, a pontuação tenha sido 1 ou 2.

b) Forma quantitativa: avalia a diferença numérica entre o início e o final da jornada de trabalho, em relação aquele item; esta forma é útil quando, apesar de não ter sido marcado o ponto 4 ou 5, o usuário passou por exemplo do ponto 1 para o ponto 3, o que pode indicar FADIGA LEVE.


É recomendado o uso do questionário bipolar como o meio mais prático de se estudar a fadiga.

2 comentários:

Anônimo disse...

ola você possui algum artigo ou trabalho que fala sobre questionário bipolar??
AGRARDO RESPOSTA

SARAPROFF.BLOGSPOT.COM disse...

OLÁ VC POSSUI ALGUM ARTIGO OU TRABALHO QUE FALE SOBRE QUESTIONÁRIO BIPOLAR???

AGUARDO RESPOSTA